Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

A História de um Adolescente

Uma leitura importante para quem já é pai e mãe, ou pretende ser. Mesmo na Tradição, sobram problemas. Qual a causa? Aqui as pistas. Reconhece algum padrão aqui? Já viu isso em sua casa, mesmo enchendo seu(s) filho(s) de manhã até tarde da noite de rezas e programinhas bacanas? Se a fumaça de Satanás entrou na Igreja porque desarmaram as defesas dEla, porque não entraria em sua casa? Orai e vigiai! É preciso ser honesto consigo mesmo para ser um bom pai e uma boa mãe. Enganar a si próprio, neste caso, pode ser até pecado mortal, porque diz respeito à alma de seu(s) filho(s), de que terá que prestar contas um dia diante de Deus Onipotente, que nunca foi um hippie paz e amor. Pense nisso!

Boa leitura!!!


A História de um Adolescente



Caros Amigos e Benfeitores,

Nunca é demais repetir, o primeiro dos Dez Mandamentos é também o primeiro em importância: Deverás amar a Deus com todo teu coração, com toda tua alma, como toda tua força e com todo o teu entendimento, e não deverás ter outros deuses diante Dele. Se muitos católicos têm seus filhos perdidos para a Fé, perdem-nos até mesmo de casa; isso pode acontecer porque, apesar das aparências, eles não obedeceram o Primeiro Mandamento. Pode até ser que eles tenham colocado seu filho numa escola católica, mas se em seus próprios corações e almas eles não colocam Deus em primeiro lugar, as crianças seguem o exemplo, e sob a pressão feroz do mundo de hoje, eles caem para longe de Deus.

Vamos, no início de outro ano letivo, ver crianças, dentro ou fora de escolas católicas, com o mesmo problema, clamando pela mesma solução: os pais devem viver pela sua Fé Católica. Em primeiro lugar, o caso de um adolescente norte-americano de 13 anos de idade, como me foi descrito recentemente por um bom amigo que teve que cuidar dele por duas semanas. Nós o chamaremos de Nick. Citarei meu amigo quase palavra por palavra:

“Esse tempo que eu passei em casa cuidando do Nick foi uma das maiores experiências de aprendizado de minha vida: eu entrei no espantoso mundo de um adolescente moderno. Resumindo em uma sentença: para ele não há realidade externa. Nada existe fora de sua cabeça, a não ser que apareça na tela onde ele tenha escolhido ver imagens dançantes.

“Quando Nick chegou de avião, sua bagagem foi perdida. Nós tivemos que comprar roupas novas para ele, mas ele não iria usar qualquer coisa. Para definir a si mesmo, ele dependia de sua camiseta, então para comprar suas substitutas, Nick levou-me para visitar a indústria da camiseta. Eu não fazia ideia! Cabides e mais cabides e mais cabides de camisetas, e nove entre dez estampadas com sangue, esqueletos, cadáveres, membros arrancados, tudo de acordo com vários grupos de rock Heavy Metal, combinando com CDs. Há uma extraordinária dependência dos jovens quanto a esses grupos. Sobre escolha? Não existe! As camisas, os discos, os grupos são tudo a mesma coisa: uma indústria multimilionária! Assim como os adultos definem a si mesmos por suas placas de carro personalizadas, os jovens fazem o mesmo com suas camisetas!



“Então Nick tinha que preencher um formulário para reivindicar sua bagagem perdida. Ele nem sabia qual era o seu endereço! Isso que eu descobri era parte de um padrão: para Nick, qualquer coisa que caia fora dessas quatro áreas simplesmente não existe: em primeiro lugar, Heavy Metal – eu percebi que ele assiste muito a MTV (o contínuo canal televisivo de “música” Rock). Em segundo lugar: filmes horríveis (mas Nick assiste qualquer filme). Em terceiro lugar, jogos de computador. Nas lojas há centenas e centenas desses, cada um sendo um mundo independente, no qual os garotos desaparecem, “aprimorando suas habilidades”, com livros que explicam o fantástico jogo, tudo incrivelmente complexo, do herói eletrônico mergulhando em corredores de labirintos com uma arma Zoogoo que pulveriza os Zogos pulando sobre eles a cada esquina, etc., etc. Eu não tinha um computador adequado em casa? Então Nick parou nas lojas, passando horas sonhando com novos jogos absurdos, horas e horas de fantasias sem sentido. Em quarto lugar, fast food. Nick sinceramente acreditava que o McDonald’s da 3rd street era melhor que o McDonald’s do Plaza! Ele é um perito em fast food! Patético. Ele não conseguia comer nada além disso. Ele é viciado em açúcar. Eu comprei vários doces para durar alguns dias. Eles se foram em poucas horas, e ele estava cheio de energia! Em quinto lugar, deve-se acrescentar o programa de TV, Beavis and Butthead. Nick pode citar frases inteiras dos diálogos, palavra por palavra. Esse desenho é puro niilismo, vazio e destruição, nulidade. É o deleite de Nick. Aterrorizante!

“Nick tinha alguma habilidade? Leitura, eu chutaria, no nível de 7ª série; matemática, 6ª série, enquanto sua idade é da 9ª série. Nick não fazia nada que exigisse alguma coisa, por exemplo adição de números em sua cabeça é muito difícil. Quando ele jogava Scrabble, ele inventava palavras. Ainda assim ele tira A e B nos trabalhos escolares, e ele espera ir para o Massachusetts Institute of Technology [um dos mais importantes dos EUA] – para estudar e criar jogos de computador! Mas como esse garoto irá algum dia se conectar a realidade? Como uma vez em que estávamos dirigindo ao longo de um famoso rio e eu chamei o nome dele – Nick nem mesmo olhava para fora da janela. De um estado a outro, ele não tinha ideia de onde estava. Uma tarde, eu disse a ele que ele tinha meia hora para ficar pronto para sair – ele passou 25 dos 30 minutos assistindo MTV sem a menor ideia de que faltavam cinco minutos para sair!

Esse garoto é ESCRAVO da PROPAGANDA. Como se todo o seu ser existisse para dar dinheiro aos fabricantes e comerciantes de camisetas, CDs, jogos Nintendo, filmes e fast food. É para eles que vai cada dólar imediatamente. Esse garoto é um viciado em lixo. Qualquer coisa que a tela diga para ele fazer, ele vai fazer, esse CD ou aquele filme ou  McDonald’s, e se ele não consegue isso, ele fica irado. Seu coração e sua alma têm sido oferecidos a propaganda.

“O que devo dizer a favor do garoto é que ele tem um verdadeiro senso de humor e não há presunção nele. Diferente de outros jovens que conheço que aprenderam como enganar adultos, mas que em privado são exatamente iguais ao Nick, ele não tem habilidades para fingimentos. Pelo menos ele não inventa desculpas.

“Há muito que sei sobre a filosofia moderna localizando a realidade dentro da mente – Descartes disse, 'Penso, logo existo' – mas esse garoto colocando isso em prática ainda me pegou de surpresa – sua cabeça é vazia a não ser pelo conteúdo da tela. Eu também fiquei surpreso pela quantidade de dinheiro que ele gasta para enriquecer os arruinadores de sua alma. Parte desse dinheiro – para crédito dele – ele tinha trabalhado arduamente para ganhar para si. O restante veio de seu pai que também trabalha arduamente para sua família, e que tentou ajudar seu filho, mas a anticultura de hoje tomou conta de tudo.

“Os pais de Nick são pessoas decentes, eu os conheço, mas eles não compreenderam a seriedade do problema. Eles permitem que Nick jogue no computador e assista TV, mas eles não entenderam a descida ao Demonismo no que ele está assistindo. Flautistas mágicos do Rock levaram embora o filho deles enquanto eles estavam de costas. Os pais de Nick também confiaram que deixá-lo numa escola católica faria dele um bom garoto, mas… Nick pode saber a lista dos sete sacramentos, mas sua religião de escola cessa aqui, seu coração não está nisso, seu coração foi vendido aos comerciantes. A escola não pode substituir os pais. O pai de Nick está a maior parte do tempo no trabalho, seu coração está nos seus negócios. A mãe dele é uma mulher adorável, verdadeiramente feminina, com um toque de New Age, uma filha dos anos 60, nenhuma base sólida apesar de um lar estritamente católico. O Vaticano II deu a eles dois uma versão solta e relaxada de Catolicismo – não surpreende que o coração do filho deles esteja em jogos de computador.
“Se o senhor me perguntar o que eu acho que pode ser feito pelo garoto, eu responderia que antes que as sementes sobrenaturais da Fé possam ser plantadas, o campo seco esturricado de sua alma precisa primeiramente ser arado, regado e nutrido com nutrientes naturais. Até que essa casca dura tenha se quebrado, ensiná-lo é uma perda de tempo. Eu sei que a fé sobrenatural é infinitamente superior a qualquer cultura natural, mas enquanto a alma é arruinada e murchada pela anticultura de hoje, o salto para a Fé é muito grande. É necessário que haja uma rampa para Roma no nível natural. Na escola, esta deveria ser a glória da chamada civilização ocidental, significando, de fato, os frutos naturais da cultura católica. O solo deve ser preparado, senão a semente simplesmente pula fora. Especialmente com crianças. Não devemos iludir-nos – CUIDADO COM FACES RELUZENTES; TODAS PRONTAS PARA LEVAR SORRATEIRAMENTE AOS COMERCIANTES DE LIXO.

“Mas pelo amor de Deus não pensem que não vejo esperança para Nick. O primeiro passo é reconhecer que a anticultura de hoje é lixo, e não se enganar pensando que está tudo bem porque isso é democrático (é!), apenas questão de gosto, ou o que seja. O segundo passo é ver por que se apropria das crianças, porque ela não encontra nenhuma resistência, ela encontra a alma vazia. O terceiro passo é preencher a alma da criança com coisas boas, não apenas sobrenaturais, mas também naturais, caso contrário quando o antinatural chega, corre-se o risco de bater o pé para fora do sobrenatural. Que as criancinhas aprendam as antigas cantigas de roda, e depois de “… ciranda cirandinha, vamos todos cirandar”, não há necessidade de dizer “Amém”! A Fé, sim, mas bom senso também. E os pais devem perceber que o exemplo tem alcance muito maior do que as palavras. Seus filhos não são brinquedos, mas almas imortais por cuja formação ou deformação Deus irá pedir-lhes as contas. Quando os pais realmente colocam Deus em primeiro lugar, será brincadeira de criança preencher a alma das crianças com coisas boas. Papai precisa passar tempo com os garotos, mamãe precisa passar tempo com as garotas.”

Dito isso, os pais do Nick estão agora agindo para cuidar da educação dele, mas vamos passar para outro amigo escrevendo para mim da França. O problema é transposto para uma chave diferente, mas é basicamente o mesmo problema:

“Uma vez eu trabalhei com alcoólicos, agora eu estou ensinando numa tradicional escola católica secundária para garotas, que possui boa reputação por toda a França, mas estranhamente, eu olho para trás com saudade do tempo que passei com os alcoólicos. Talvez seja porque havia tanta coisa enterrada sob camadas de miséria, e é claro que o pecado é um enorme desejo por Deus, e depois eles descobriram quem Ele era, por Nosso Senhor. Não havia hipocrisia – eles haviam tentado encontrar felicidade em todo  lugar e de toda maneira imaginável, e eles não tinham ilusões sobre encontrar o Paraíso neste mundo.

“Enquanto que, inevitavelmente, para as crianças, o mundo é cheio de promessas. E as crianças na nossa escola são geralmente da segunda geração de `Tradicionalistas’. Infelizmente, na França atual, é um pouquinho mais inteligente ser um `Tradicionalista’. É bastante chique nosso cachecol da Gucci e conversar sobre nossas simpatias monarquistas e criticar algum bispo modernista. [o tradicionalista de fachada!!! Livrai-nos, Senhor!] Mas ao mesmo tempo “não se deve exagerar”, e a religião deve caber na vida social e divertimentos da pessoa. Aquela chama e sede de descobrir os tesouros do Coração de Nosso Senhor são bastante raras nessas finamente educadas garotas católicas. Isso me lembra um pouco a capela da minha própria escola-internato, que era protestante: belos cantos, incenso, procissões, sinos, de fato tudo exceto Nosso Senhor que não tinha nenhuma relevância pessoal em nossas vidas. Existe é claro entre nossas garotas exceções que alegram nossos corações.”

Mas Vossa Excelência, o senhor está nos condenando se não colocarmos nossas crianças em escolas católicas, e agora o senhor está nos condenando se nós colocarmos! Caros, caros amigos, caros, caros pais, sem dúvida alguma, se isso é possível, as crianças devem ser colocadas em escolas católicas, como a Igreja Católica sempre insistiu, e isso, é claro, não se refere às escolas da atual Igreja “Católica” oficial. Entretanto, melhor o alcoólico sedento de Deus, ou o viciado em lixo que pode aprender a ter fome de Deus, do que Tradicionalistas conhecendo seu caminho para Deus, o significado, tendo aprendido, como eles pensam, como chegar perto Dele! Ao pobre, Ele preenche com coisas boas; àqueles que pensam que são ricos, Ele esvazia (Luc. 1,53).

Em qualquer parte, na doença ou na saúde, na Tradição ou fora dela, Deus é tudo o que importa, e a única coisa que Ele não tem que é nossa para dá-Lo, e isso é o que Ele quer, é o coração dos nossos corações, como toda nossa alma, como todo o nosso entendimento, com toda a nossa força. E tudo o mais será dado por acréscimo.

D. Williamson
Carta de setembro de 1994.
Traduzido por Andrea Patrícia
Visto em: http://rosamulher.wordpress.com/2014/02/17/a-historia-de-um-adolescente/

Grifos e comentários nossos. Algumas pequenas revisões, também. Imagens: web. A identidade de todos foi resguardada desfocando os olhos. 


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA