Convite

 
Feminismo: o maior inimigo da mulher
Grupo do Facebook • 157 membros
Participar do grupo
Grupo criado com o propósito de desmascarar o feminismo.
 

Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Teresa de Calcutá, a outra face.


Teresa de Calcutá, a outra face 

Um pequeno resumo sobre o que dizem os acusadores dela 



A verdade sobre Madre Teresa de Calcutá, a religiosa albanesa naturalizada indiana, fundadora da Congregação das Missionárias da Caridade, e apelidada por aqueles que a conheceram como “anjo da morte”. As suas “Casas para Doentes” eram chamadas por médicos da Organização Mundial de Saúde (OMS) de “necrotérios”.  

Teresa de Calcutá (1910-1997) recebeu de doadores centenas de milhões de dólares para seus hospitais — que ela chamava de “casas para doentes” — mas o grosso desse dinheiro se diz que ela mandou para o Vaticano, deixando os doentes em estado precário, sem remédios e cuidados. Médicos classificaram esses locais de “casas da morte” ou de “necrotérios”. No âmbito da OMS, houve denúncias de que essas “casas” eram locais de epidemias. Uma ex-voluntária escreveu que faltava até AAS para amenizar a dor dos doentes. Na verdade, a crítica maior da OMS a Teresa era por causa de sua pauta anti-aborto, diga-se, por dever de justiça. E, por dever de justiça também, diga-se que é a mesma crítica dos canadenses também, que acham que a solução para a pobreza na Índia é assassinar crianças no ventre materno. 

Essa são algumas das revelações do artigo “O Lado Escuro de Madre Teresa[1], escrito pelos acadêmicos Serge Larivée e Geneviève Chénard, da Universidade de Montreal, Canadá, e Carole Sénéchal, da Universidade de Ottawa, Canadá, e publicado em março de 2013Os pesquisadores canadenses, após examinar mais de 500 documentos, constataram que os alegados altruísmo e generosidade de Madre Teresa não passavam de fantasia vendida como verdade pela imprensa internacional.

A rigor, ela foi “inventada” pelo jornalista Malcolm Muggeridge, da BBC, que, em 1969, lhe dedicou o documentário “Algo bonito para Deus[2], apresentando ao mundo a figura frágil de uma missionária que se dedicava aos pobres e doentes da Índia. Em 1971, o jornalista publicou um livro com o mesmo título.

O trabalho de Teresa de “auxílio a pobres, órfãos e moribundos” foi tão reconhecido dentro e fora da Índia que ela recebeu o Prêmio Templeton, em 1973, e o Prêmio Nobel da Paz, em 1979. Ela morreu em 1997. Em 2003, foi beatificada por João Paulo II e em 2016 foi canonizada por Francisco.  

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Missas de Fevereiro de 2020


Missões Cristo Rei — Tradição Católica

Missas de Fevereiro de 2020 

Rev. Pe. Ernesto Cardozo



CONTAGEM-MG — MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 

01/02 — Sábado — 20h — Seguido de Adoração Noturna
02/02 — Domingo 
> 9h — Fim da Adoração ao Santíssimo
> 10:30 — Benção das Velas e Procissão seguida da Missa


IPATINGA-MG — MISSÃO CRISTO REI 

02/02 — Domingo — 20h — 4º Domingo depois da Epifania
03/02 — Segunda — 20h 
04/02 — Terça — 20h 
05/02 — Quarta — 20h 
06/02 — Quinta — 20h 
07/02 — Sexta — 20h 
08/02 — Sábado — 20h 
09/02 — Domingo — 9:30 — Domingo da Septuagésima


NANUQUE-MG — MISSÃO SAGRADA FACE 

09/02 — Domingo — 19:30 — Domingo da Septuagésima 
10/02 — Segunda — 19:30 
11/02 — Terça — 19:30 


IPATINGA-MG — MISSÃO CRISTO REI 

12/02 — Quarta — 20h 


CONTAGEM-MG — MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS  

13/02 — Quinta — 20h 
14/02 — Sexta — 20h 
15/02 — Sábado — 20h 
16/02 — Domingo — 10:30 — Domingo da Sexagésima


POUSO ALEGRE-MG — MISSÃO SÃO JOSÉ  

16/02 — Domingo — 19:30 


POÇOS DE CALDAS-MG — MISSÃO SANTA GEMA GALGANI 

17/02 — Segunda — 19:30 


MUZAMBINHO-MG 

18/02 — Terça — 19:30 


CONTAGEM-MG — MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 

19/02 — Quarta — 20h 
20/02 — Quinta — 20h 
21/02 — Sexta — 20h 


CARAÇA-MG  

22/02 — Sábado — Horário a determinar
23/02 — Domingo — Horário a determinar — Domingo da Quinquagésima
24/02 — Segunda — Horário a determinar
25/02 — Terça — Horário a determinar


26/02 — QUARTA-FEIRA DE CINZAS — JEJUM E ABSTINÊNCIA


CONTAGEM-MG — MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 

26/02 — Quarta — 20h 
27/02 — Quinta — 20h 


CONGONHAS-MG

28/02 — Sexta — 20h 
29/02 — Sábado — 10h 


CONTAGEM-MG — MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS 

01/03 — Domingo — 10:30 — 1º Domingo da Quaresma


POUSO ALEGRE-MG — MISSÃO SÃO JOSÉ  

01/03 — Domingo — 19:30  





domingo, 19 de janeiro de 2020

Nossa Senhora da Defesa

Festa de Nossa Senhora da Defesa  

19 de janeiro - Cortina d'Ampezzo, (Vêneto, Itália)


Difícil para o imaginário coletivo - sobretudo para aqueles que ou não são cristãos ou não estudaram o Catecismo - juntar a Virgem e a espada, contudo, em uma bucólica igrejinha entre as Dolomites, e em outras partes da Terra agora, esta união existe, e traz à lembrança aqueles célebres versículos do Cântico dos Cânticos: 
"Quem é esta que vai caminhando como a aurora quando se levanta, formosa como a lua, brilhante como o sol, terrível como um exército formado em batalha?" (Ct 6,9). 
Um versículo que, conquanto seja tradicionalmente aplicado à Virgem Maria, não é levado muito a sério pelo sentimentaloide homem moderno. Contudo, eis que nesta igrejinha, como em outros lugares do panorama da arte e da fé, uma Virgem verdadeiramente  terrível e com a espada desembainhada.  

A menção à espada não é incomum na Bíblia, e a própria Palavra de Deus é denominada como espada de dois gumes que Lhe sai da boca (Hebreus 4,12). O Cristo do Apocalipse sai de trás das nuvens com uma espada de dois gumes que Lhe sai da boca (Ap 2,12). Assim, Deus, com uma imagem simples e imediata educa o Seu povo à legítima defesa, a qual, como afirma o Catecismo, é um imperativo para o cristão. A legítima defesa, além de um direito, pode ser também um grave dever para quem é responsável pela vida de outros. A defesa do bem comum exige que se coloque o injusto agressor em estado de não causar dano. Mas o homem, se saber - e o afirma repetidas vezes o texto bíblico - é incapaz de conjugar justiça e misericórdia, verdade e amor. Oscila entre um justicialismo exacerbado e um bonismo sem juízo. E o mandamento de dar a outra face às ofensas pessoais não contradiz aquele, ordenado pelo próprio Cristo, que manda ter uma espada ou comprá-la quando não se a tem (Lucas 22,36).   
Veja, na arte, as diferentes representações de Nossa Senhora com a espada em mão, com os títulos de Nossa Senhora da DefesaNossa Senhora da AjudaNossa Senhora da das Milícias... 


NOSSA SENHORA DA DEFESA


Nossa Senhora da Defesa de Cortina d'Ampezzo


O título de Nossa Senhora da Defesa nasceu a partir de um episódio histórico, durante o rigoroso inverno de 572, quando um exército dos Longobardos, vindos do norte da Europa, instalou-se na Bacia de Ampezzano, no Vêneto (norte da Itália), onde se situa a cidade Cortina d'Ampezzo, famosa por sua estação de esqui.  

Os habitantes da região logo começaram a se reunir para organizar uma defesa. Acontece que eram pobres, não tinham armas nem um exército treinado capaz de vencer inimigo tão poderoso. Por isso, começaram a se reunir para rezar, pedindo ajuda a Nossa Senhora. O povo permaneceu unido, em oração, pedindo e esperando auxílio do céu. Quando o exército Longobardo partiu para o ataque, o povo intensificou as orações. De repente, Ela, Nossa Senhora, apareceu sobre as nuvens. Empunhava uma espada de fogo na mão direita, segurando o Menino Jesus no braço esquerdo. Em seguida, Ela desceu sobre o local onde aconteceria o massacre. Nesse momento, nuvens espessas causaram enorme escuridão, de tal forma que os Longobardos nada podiam ver. Atordoados e confundidos, começaram a lutar contra eles mesmos até que, por fim, mataram-se uns aos outros. O povo italiano, emocionado e agradecido, a partir desse momento, passou a chamar a Virgem Maria de Nossa Senhora da Defesa

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

O Milagre de Loreto refutado por Francisco e Sarah

Clique para ver mais imagens

O Milagre de Loreto refutado por Francisco e Sarah



Um terremoto sacudiu a Cristandade em novembro 2019, quando veio à tona a VERDADE sobre o "Decreto sobre a Celebração da Beata Maria Virgem de Loreto a ser inscrita no Calendário Romano Geral", de 7 de outubro de 2019, da lavra do Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, o cardeal Robert Sarah. Justo no dia 7 de outubro!!! Dia da Festa de Nossa Senhora do Rosário. É um escárnio! 

O Decreto, em si, é bonitinho, fofo... Vamos ler: 
A veneração pela Santa Casa de Loreto foi, desta o fim da Idade Média, a origem daquele peculiar santuário frequentado, ainda hoje, por numerosos fiéis peregrinos para alimentar a própria fé no Verbo de Deus feito carne por nós. 
Aquele santuário recorda o mistério da Encarnação e empurra todos os que o visitam a considerar a plenitude do tempo, quando Deus mandou o seu Filho, nascido de mulher, e a meditar seja as palavras do Anjos anunciador do Evangelho, seja as palavras da Virgem que respondeu ao divino chamado. À sombra do Espírito Santo, a humilde serva do Senhor se tornou casa da divindade, imagem puríssima da Santa Igreja. 
O mencionado santuário, estritamente vinculado à Sé Apostólica, louvado pelos Sumos Pontífices e universalmente conhecido, soube ilustrar em modo excelente, no decorrer do tempo, não menos de Nazaré[1] na Terra Santa, as virtudes evangélicas da Santa Família. 
Na Santa Casa, diante da efígie da Mãe do Redentor e da Igreja, Santos e Beatos responderam à própria vocação, os enfermos invocaram consolação no sofrimento, o povo de Deus iniciou a louvar e suplicar Santa Maria com as Litanias lauretanas, conhecidas no mundo todo. Em modo particular todos os que viajam de avião encontraram nela a celestial padroeira. 
À luz de tudo isso, o Sumo Pontífice Francisco decretou com a sua autoridade que a memória facultativa da Beata Maria Virgem de Loreto seja inscrita no Calendário Romano aos 10 de dezembro, dia em que ocorre a festa em Loreto, e celebrada todo ano. Tal celebração ajudará a todos, especialmente as famílias, os jovens, os religiosos, a imitar as virtudes da perfeita discípula do Evangelho, a Virgem Mãe que concebendo o Chefe da Igreja acolheu consigo a nós também. 
nova memória deverá, portanto, aparecer em todos os Calendários e Livros litúrgicos para a celebração da Missa e da Liturgia das Horas; os relativos textos litúrgicos estão anexados a este decreto e as suas traduções, aprovadas pelas Conferências Episcopais, serão publicadas após a confirmação deste Dicastério. 
Não obstante qualquer coisa em contrário. 
Desde a Sé da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, 7 de outubro de 2019, memória da Beata Maria Virgem do Rosário. 

Subscrive here! Siga este blog, receba as novidades por e-mail!

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

Se vc é das Missões Cristo Rei, cadastre-se aqui

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA