Pesquisar este blog

Novidades!!!

sábado, 31 de maio de 2014

01 de junho - Santa Ângela de Merici


01 de Junho

Santa Ângela de Merici


Virgem e Fundadora das Ursulinas (1470-1540)




Tambem conhecida como Santa Angela de Bréscia. 

Angela de Merici nasceu em 21 março de 1470 em Disenzano, Lombardia, Itália. Ela ficou órfã com 10 anos. Ela e sua irmã  foram criadas pelo seu tio, com carinho e amor. 

Sua irmã morreu repentinamente, sem receber os últimos sacramentos e isto  deixou Angela muito chocada e triste. Ela se tornou um membro da Terceira Ordem das Franciscanas e orava com muita freqüência pela salvação da alma de sua irmã. 

Quando Angela estava com 20 anos, seu tio faleceu e ela teve que voltar para sua casa em Disenzano. 

31 de maio - Festa de Maria Rainha


31 de maio

Festa de Maria Rainha




A liturgia sagrada já invoca a Mãe de Deus com os títulos de Rainha dos Anjos, dos Patriarcas, dos Profetas, dos Apóstolos, dos Mártires, dos Confessores, das Virgens, de todos os Santos, Rainha Imaculada, Rainha do Santíssimo Rosário, Rainha da Paz e Rainha Assunta ao Céu.  

PIO XII: ENCÍCLICA AD CAELI REGINAM - 1954

CARTA ENCÍCLICA DO SANTO PADRE PIO XII

AD CAELI REGINAM



SOBRE A REALEZA DE MARIA 
E A INSTITUIÇÃO DA SUA FESTA





AOS VENERÁVEIS IRMÃOS
PATRIARCAS, PRIMAZES,
ARCEBISPOS E BISPOS
E OUTROS ORDINÁRIOS DO LUGAR
EM PAZ E COMUNHÃO
COM A SÉ APOSTÓLICA


INTRODUÇÃO

1. Desde os primeiros séculos da Igreja católica, elevou o povo cristão orações e cânticos de louvor e de devoção à Rainha do céu tanto nos momentos de alegria, como sobretudo quando se via ameaçado por graves perigos; e nunca foi frustrada a esperança posta na Mãe do Rei divino, Jesus Cristo, nem se enfraqueceu a fé, que nos ensina reinar com materno coração no universo inteiro a Virgem Maria, Mãe de Deus, assim como está coroada de glória na bem-aventurança celeste. 

2. Ora, depois das grandes calamidades que, mesmo à nossa vista, destruíram horrivelmente florescentes cidades, vilas e aldeias; diante do doloroso espetáculo de tantos e tão grandes males morais, que transbordam em temeroso aluvião; quando vacila às vezes a justiça e triunfa com freqüência a corrupção; neste incerto e temeroso estado de coisas, sentimos nós a maior dor; mas ao mesmo tempo recorremos confiantes à nossa rainha, Maria santíssima, e patenteamos-lhe não só os nossos devotos sentimentos mas também os de todos os fiéis cristãos. 

sexta-feira, 30 de maio de 2014

30 de maio - São Félix I, Papa e Mártir


DIA 30 DE MAIO

São Félix I

Papa e Mártir
(?-274)

Foi eleito papa em 5 de Janeiro de 269, permanecendo no Trono de São Pedro até o dia 30 de Dezembro de 274, sucedendo Papa Dionísio. Santo da Igreja Cristão, nasceu em Roma, sendo as informações sobre sua vida poucas e confusas.

Interveio na questão da deposição de Paulo de Samósata, condenado por suas doutrinas trinitárias e cristológicas no Sínodo de Antioquia (268). O Liber Pontificalis atribui-lhe um decreto com que se autorizava a celebração da missa sobre os túmulos dos mártires.

Juntou-se aos fiéis nas catacumbas, para escapar à perseguição do Imperador Aureliano. Iniciou o sepultamento dos mártires sob o altar e a celebração da missa sobre seu túmulos. Segundo a tradição, o papa de número 26 teria morrido martirizado em 30 de dezembro de 274, sepultado na Catacumba de São Calisto, na Via Ápia, e sucedido por São Eutiquiano (275-283).


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Nove dias até o Pentecostes: retiro, caridade, oração e boas obras!

Hoje, 29 de maio de 2014, foi a Festa da Ascensão de Nosso Senhor, e no dia 8 de junho será a Festa de Pentecostes

Daqui para lá, começa a espera e a primeira novena, uma espera feita de meditação e oração, conforme Cristo ordenou. 

No “Manual do Cristão” de Goffiné, lemos hoje, na hora da reza, uma passagem interessante. Após umas breves notas sobre a Ascensão de Nosso Senhor, Goffiné conclui:
“Depois da Ascensão, voltaram os Apóstolos a Jerusalém, e, conforme a ordem do Senhor, conservaram-se retirados em uma casa, em contínua oração, até receberem o Espírito Santo. 
Imitemo-los do melhor modo que pudermos, retraindo-nos algum tempo dos negócios da nossa obrigação, empregando estes dias no exercício da caridade, oração e boas obras, pedindo que nos encha o Espírito Santo como aos Apóstolos”. Goffiné. 1944. p. 552.

Como é praticamente impossível executarmos ao pé da letra esse precioso conselho, façamos, então, “do melhor modo que pudermos”, o nosso retiro espiritual para esperarmos pelo Pentecostes: “caridade, oração e boas obras”. 


Se puder deixar uma sugestão, podemos repetir o jejum de TV, Internet, entretenimento variados que fizemos na Quaresma.


 

Novena do Pentecostes


Embora a Igreja nunca tenha escrito uma oração oficial para a Novena de Pentecostes, esta é a "mãe" de todas as novenas. Ela é litúrgica, instituída por um decreto do Papa Leão XIII, na Encíclica Divinum Illud Múnus, em 9 de maio de 1897. Preocupado com a pouca atenção dada à pessoa do Espírito Santo nos escritos da Igreja, e sua escassa presença na liturgia e nos devocionários católicos, Leão XIII escreveu este Documento Pontifício sobre a virtude do Espírito Santo:
“Vede, veneráveis irmãos, os avisos e exortações nossas sobre a devoção ao Espírito Santo, e não duvidamos que por virtude principalmente de vosso trabalho e solicitude, se produzirão saudáveis frutos no povo cristão. Certo que jamais faltará nossa obra em coisa de tão grande importância; mais ainda, temos a intenção de fomentar esse tão belo sentimento de piedade por aqueles modos que julgaremos mais convenientes a tal fim. Entretanto, posto que Nós, há dois anos, por meio do breve Provida Matris, recomendamos aos católicos para a solenidade de Pentecostes algumas orações especiais a fim de suplicar pelo cumprimento da unidade cristã, nos apraz agora acrescentar aqui algo a mais. Decretamos, portanto, e mandamos que em todo mundo católico neste ano, e sempre no porvir, à festa de Pentecostes preceda a novena em todas as igrejas paroquiais e também ainda nos demais templos e oratórios, a juízo dos Ordinários. Concedemos a indulgência de sete anos e outras tantas quarentenas por cada dia a todos os que assistirem a novena e orarem segundo nossa intenção, acrescida da indulgência plenária em um dia de novena, ou na festa de Pentecostes e ainda dentro da oitava, sempre que confessados e comungados orarem segundo nossa intenção. Queremos igualmente também que gozem de tais benefícios todos aqueles que, legitimamente impedidos, não possam assistir aos ditos cultos públicos, e isto ainda nos lugares onde não puderem celebrar-se comodamente – a juízo do Ordinário – no templo, com tal que privadamente façam a novena e cumpram as demais obras e condições prescritas. E nos apraz acrescentar do tesouro da Igreja que possam lucrar novamente uma e outra indulgência todos os que em privado ou em público renovem segundo sua própria devoção algumas orações ao Espírito Santo cada dia da oitava de Pentecostes até a festa inclusive da Santíssima Trindade, sempre que cumpram as demais condições acima indicadas. Todas essas indulgências são aplicáveis também ainda às benditas almas do Purgatório”.

Então, não há uma fórmula para a Novena, podendo ser adotada a que for de uso comum. Aqui algumas:
  1. http://precantur.blogspot.com.br/2012/05/novena-de-pentecostes.html
  2. http://precantur.blogspot.com.br/2013/05/pentecostes-2013.html
  3. http://farfalline.blogspot.com.br/2010/04/novenas-catolicas-compreendendo-as.html - aqui tem duas. 
  4. http://www.acheoracao.com.br/oracoes/881.html
  5. http://oracoesgruporenascer-rcc.blogspot.com.br/2010/05/novena-de-pentecostes.html
  6. http://servimariae.blogspot.com.br/2013/05/novena-em-honra-ao-espirito-santo.html
  7. http://www.oracoes.info/div05.html
  8. http://www.oracoes.info/div09.html
  9. http://www.oracoes.info/div06.html

Uma boa semana a todos. 
+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

FESTA DA ASCENSÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO


FESTA DA ASCENSÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO


CLIQUE AQUI


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

CRISTO DE LA TARDE



En esta tarde, Cristo del Calvario,
vine a rogarte por mi carne enferma;
pero, al verte, mis ojos van y vienen
de Tu Cuerpo a mi cuerpo con vergüenza.

¿Cómo quejarme de mis pies cansados,
cuando veo los Tuyos destrozados?

¿Cómo mostrarte mis manos vacías,
cuando las Tuyas están llenas de heridas?

¿Cómo explicarte a ti mi soledad,
cuando en la Cruz alzado y solo estás?

¿Cómo explicarte que no tengo amor,
cuando tienes rasgado el Corazón?

Ahora ya no me acuerdo de nada,
huyeron de mí todas mis dolencias.

El ímpetu del ruego que traía
se me ahoga en la boca pedigüeña.

Y sólo pido no pedirte nada,
estar  aquí, junto a Tu Imagen muerta,
ir aprendiendo que el dolor es sólo
la llave santa de Tu Santa Puerta. Amén.


Diego Velázquez y Gabriela Mistral





+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Padre Pio: Servir a Deus




+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Santo Agostinho da Cantuária


28 DE MAIO

Santo Agostinho da Cantuária


Agostinho de Cantuária (ou de Canterbury) foi um monge beneditino que se tornou o primeiro arcebispo de Cantuária em 597. Ele é considerado o "Apóstolo dos ingleses" e o fundador da Igreja da Inglaterra.  

Agostinho era prior de um mosteiro em Roma quando, em 595, foi convocado pelo papa Gregório I para liderar uma missão à Britânia com o intuito de converter o rei Etelberto e seus súditos no Reino de Kent, que eram fiéis ao paganismo anglo-saxônico. A escolha de Kent como alvo da missão deveu-se ao casamento de Etelberto com uma princesa cristã, Berta, filha do Rei dos Francos Cariberto I. 

Antes da chegada a Kent, os missionários ameaçaram desistir, mas Gregório urgiu-os a continuar e o grupo finalmente desembarcou, em 597, na ilha de Thanet e de lá partiu para a capital, Cantuária.  

O rei se converteu ao Cristianismo e permitiu que os missionários pregassem livremente, oferecendo-lhes terras para a fundação de um mosteiro fora das muralhas da cidade. Agostinho foi consagrado bispo e promoveu o batismo da população, incluindo um coletivo que reuniu milhares de pessoas no Natal de 597. Diante do sucesso da missão, o papa enviou mais missionários em 601, juntamente com cartas e ofertas para garantir a consolidação da Igreja, mesmo após as tentativas da missão de submeter os bispos celtas locais à autoridade de Agostinho não tenham sido bem sucedidas. Os bispos romanos se estabeleceram em Londres e em Rochester em 604, local onde foi fundada uma escola para preparar sacerdotes e missionários anglo-saxões. Agostinho, antes de morrer, nomeou para sucessor Lourenço de Cantuária. Sua morte terá ocorrido provavelmente em 604, após a qual passou a ser venerado como santo.  

terça-feira, 27 de maio de 2014

Sobre a RCC - Protestantismo na Igreja Católica XXI

A RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Pe. Scott Gardner, FSSPX*

Fruto do Concílio Vaticano II, Semente de Destruição.



São José, patrono da Igreja
livrai-A da RCC!
Inegável Contradição

Devido a essas comparações entre as ideias Carismáticas e a Doutrina Católica, deveria ficar claro, portanto, que, seja lá quais forem as disposições individuais de seus seguidores em relação à Igreja e à Fé, a RCC, como um todo, de forma alguma pode ser considerada um Movimento Católico, mas sim mais uma seita enganadora do Pai da mentira infiltrado no corpo da Igreja. A maioria dos Carismáticos pode muito bem negar que eles apoiam tais erros concernentes à graça, ao Espírito Santo, às missões externas da S. S Trindade etc., mas sua própria renúncia à ação do intelecto torna explícitos seus erros implícitos.

O pensamento Carismático faz um paralelo muito próximo com aqueles erros os primeiros dias da Igreja e francamente demonstram uma admiração pelas heresias do Protestantismo. A ideia “evolucionista” que os Carismáticos adotaram a respeito do Magistério da Igreja é uma garantia que eles usam para se protegerem contra qualquer tipo de alegação proveniente dos ensinos anteriores ao Vaticano II. Identicamente aos Protestantes, eles descartam a Tradição, deixando-se levar quase inteiramente pela “defesa Bíblica” dos seus assim chamados “carismas”, depois de terem se submetido a um rito não Católico, quase sacramental, dirigido e inventado por heréticos.

O fato das autoridades eclesiásticas não terem a coragem de condenar a RCC, entrará para a história da Igreja no século XX, como sendo um fracasso semelhante àquele do Vaticano II em não condenar o Comunismo. De fato tudo isso nos leva a conjecturar se o “espírito” que os Carismáticos alegam seguir, não seria o mesmo “espírito do Vaticano II”, ou seja, o espírito do mundo...


* Autor: Scott Gardner, do Seminário São Tomás de Aquino, Winona, Minnesota — EUA — Publicado pela THE ANGELUS PRESS — Março de 1998.


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

São Beda, o Venerável


27 DE MAIO

São Beda, o Venerável



Beda (ca. 673-26 de maio de 735), natural de Jarrow, à época Reino de Nortúmbria, nordeste da Inglaterra. Menino de 7 anos, foi confiado aos cuidados do santo Abade Benedito de Wearmouth (Inglaterra). Mais tarde com o Abade Ceolfredo foi transferido para o novo mosteiro de Jarrow, onde, com 19 anos, recebeu o diaconato e, com 30 anos, o presbiterato.

Toda a sua vida passou estudando, escrevendo e ensinando, sendo para todos modelo de ótimo religioso, cumpridor de seus deveres e observador fidelíssimo das prescrições da Santa Regra.

Não havia ponto de doutrina que não se achasse admiravelmente versado e, por isso, via-se rodeado de muitos discípulos e amigos de alta categoria. Por amor de seus estudos, rejeitou por diversas vezes a dignidade e o cargo de Abade.


Em seis grossos volumes, por ele compostos e escritos, documentou o seu rico saber, sua perícia em todos os ramos da ciência naquele tempo conhecidos. Nesta grandiosa obra, são encontrados tratados sobre gramática, métrica, retórica, matemática, física, meteorologia, astronomia, música, poesia, hagiografia (biografia dos santos).

Grande luminar foi nas ciências teológicas como profanas, não menos eminente se evidenciou na piedade e na prática das virtudes cristãs e monásticas. A fama da sua sabedoria e santidade transpôs os limites de sua terra natal.

São Bonifácio, bispo e Mártir, chama-o “luz da Igreja”; Lanfranc dá-lhe o título de “doutor dos Anglos”; o Concílio de Aix-la-chapelle confere-lhe o grau de “doutor admirável”. Seus escritos eram lidos em público nas igrejas. Como não era lícito denominá-lo Santo, apelidaram-no de Venerável, título que permanece até hoje.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

São Felipe Neri e o Paraíso

São Felipe Neri e o Paraíso


http://farfalline.blogspot.com.br/2012/04/milagres-acontecem.html
clique para ler


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

26 de Maio: São Felipe Neri

26 DE MAIO

SÃO FELIPE NERI


Confessor e Fundador da Congregação do Oratório
(1515-1595)


Devoção: À caridade com as crianças e à direção espiritual
Padroeiro: Das crianças levadas  

Poucos são os santos da Igreja privilegiados como São Filipe Néri. Filho de pai nobres e piedosos, Filipe nasceu em 1515, na cidade de Florença. De boa índole, de modos afáveis e inclinação à oração mereceram ao menino de 5 anos o apelido de "o bom Filipe". Um incêndio destruiu grande parte da fortuna dos pais e Filipe passou a morar com um primo que era negociante riquíssimo em São Germano. Este primo prometeu-lhe estabelecê-lo como herdeiro de todos os seus bens, se quisesse tomar-lhe a gerência dos negócios. O bom Filipe, porém, pouca inclinação sentia para ser negociante; o que queria, era ser santo e apesar das repetidas insistências do primo, resolveu dedicar-se ao serviço de Deus. Fez os estudos de Filosofia e Teologia em Roma e começou desde logo a observar a regra de vida austeríssima, que o acompanhou até o fm da vida. Alimentava-se de pão, água e legumes; para o sono reservava poucas horas, para a adoração, porém, muitas.

No grande desejo de dedicar-se à vida contemplativa, vendeu a biblioteca, deu os bens aos pobres e aprofundou o espírito na meditação da Sagrada Paixão e Morte de Jesus Cristo. Todo o tempo disponível passava-o nas igrejas ou de preferência catacumbas. A graça de Deus tocou-lhe o coração com tanta violência que, prostrado por terra, exclamou muitas vezes: "Basta, Senhor, basta! Suspendei a torrente de vossas consolações, porque não tenho forças para receber tantas delícias. Ó meu Deus tão amável, por que não me destes um coração capaz de amar-Vos condignamente?" Foi nas catacumbas de São Sebastião, no ano de 1545, que recebeu o Espírito Santo, em forma de bola de fogo. Naquela ocasião sentia em si um ardor tão forte do amor de Deus que, devido às palpitações fortíssimas do coração, foram deslocadas a segunda e a quarta costelas.

Com o amor de Deus, grande era-lhe também o amor do próximo. Filipe, possuía o dom de atrair todos a si, circunstância para a qual concorriam muito sua afabilidade, cortesia e modéstia. Recorria a mil estratagemas, para ganhar os jovens das ruas e nas oficinas de Roma. Era amigo de todos e uma vez adquirida a confiança preparava-os para a recepção dos Sacramentos e encaminhava-os para o bem. As noites passava-as nos hospitais, tratando os doentes como uma mãe. O monumento mais belo de sua caridade é a Irmandade da Santíssima Trindade, cujo fim principal era receber os romeiros e tratar dos doentes. No início de cada mês convidava o povo para adoração ao SS. Sacramento e nesta ocasiões, embora leigo, fazia admiráveis alocuções aos fiéis. A piedosa idéia achou eco entre o povo que, abundantes esmolas deitavam para a nova instituição. Cardeais, bispos, reis, ministros, generais e princesas, viam grande honra em poderem pertencer a esta irmandade.

Seguindo o conselho do seu confessor, Filiperecebeu o santo Sacramento da Ordem , tendo a idade de 36 anos. Tinha a vontade de trabalhar nas índias e de morrer mártir pela religião de Cristo. Pela vontade de Deus, porém, sua Índia havia de ser Roma, e lá ficou.

Deixando-se guiar pela Providência Divina, tornou-se Apóstolo da capital da cristandade, sendo sua obra principal a fundação da Congregação da Oração para a qual chamou homens igualmente distintos pelo saber e piedade. As conferências espirituais tinham grande concorrência entre cardeais, bispos, sacerdotes e leigos, os quais confiavam-se à direção de São Filipe, a quem veneravam como um pai.

Grande Parte do dia passava no confessionário e só Deus sabe o número das almas que a seus pés acharam a paz, o perdão e a salvação. Todos nele depositavam uma confiança ilimitada. Ilimitada também era a inveja e o ódio de Sanatás e seus sequazes. Os confrades tiveram que saborear muitas vezes o escárnio, a calúnia e perseguição. O ódio dos inimigos chegou a tal ponto, que levaram uma acusação falsa à autoridade eclesiástica, de que resultou para Filipe a suspensão de ordens. Privado da celebração da Santa Missa, da pregação e da administração do SS. Sacramento, o Santo não perdeu a calma e só dizia: " Como Deus é bom, que me humilha!" A suspensão foi retirada e o inimigo principal do Santo, caindo em si, fez reparação pública e tornou-se-lhe discípulo.

Pelo fim da vida já não lhe era possível dizer a santa Missa em público, tanta era a comoção que lhe sobrevinha, na celebração dos santos mistérios. Estando no púlpito, as lágrimas lhe embargavam a voz quando falava do amor de Deus e da Paixão de Cristo. Quando celebrava a Missa, chegando à santa Comunhão, pelo espaço de duas a três horas ficava arrebatado em êxtase enquanto o corpo se lhe elevava à altura de dois palmos. Não é para admirar que o Papa o consultasse nos negócios mais importantes e quisesse beijar-lhe as mãos e a batina.

À sua prudência e clarividência deve a França a felicidade de ter permanecido país católico. Henrique IV, calvinista, tinha abjurado a heresia e entrado na Religião Católica. No ardor das guerras civis, tornou a voltar ao calvinismo, paradepois outra vez se agregar à Igreja. O Papa Clemente VIII com o apoio dos cardeais, negou ao rei a absolvição e opôs-se-lhe à reconciliação. Filipe, prevendo a apostasia da França, no caso de o Papa persistir nesta resolução, fez jejuns e orações extraordinárias e pediu a Barônio, que era confessor do Papa, que o acompanhasse nestes exercícios, para alcançar a luz do Divino Espírito Santo. Posteriormente, Henrique IV obteve a absolvição do Papa e foi solenemente recebido no seio da Igreja.

Fatigado e exausto de trabalhos e alquebrado pela idade, Filipe foi acometido de grave doença, tendo os médicos o examinado e saindo do quarto desanimados, ouviram o doente exclamar: "Ó minha Senhora, ó dulcíssima e bendita Virgem!".Voltaram para ver o que tinha acontecido e encontraram o Santo elevado sobre o leito e, em êxtase exclamou: "Não sou digno, não sou digno de vós, ó dulcíssima Senhora, que venhais visitar-me!".Os médicos, respeitosos, indagaram ao doente o que sentia. Este, voltando a si e tomando a posição costumeira no leito, perguntou: "Não a vistes, a Santíssima Virgem, que me livrou das dores? " De fato se levantou completamente curado e viveu mais um ano. Tendo predito a hora da morte, Filipe fechou os olhos para este mundo no dia 02 de maio de 1595. O túmulo tornou-se glorioso e poucos anos depois da morte, Filipe foi beatificado pelo Papa Paulo V, em 1622, e canonizado por Gregório XV.


Reflexões:
São Filipe deu o seguinte conselho a uma pessoa que se queixava da sua cruz:"Meu filho, a grandeza do amor que se tem a Deus, é medida pela grandeza do desejo de sofrer muito por amor de Deus; quem se impacienta com a cruz, achará uma outra mais pesada";convém fazer da necessidade uma virtude. Os sofrimentos deste mundo são a melhor escola do desprezo do mundo; quem não se matricular nesta escola, merece dó, porque é um infeliz.


Oração
Oração de São Filipe Néri: Ó glorioso S. Filipe, vós que fostes tão favorecido de Deus em ajudar e consolar os vossos filhos espirituais na hora da sua morte, sede-me advogado e pai, quando me achar naquele tremendo passo. Impetrai-me a graça, para que naquela hora o Demônio não me vença, que a tentação não me oprima e que o temor não me desanime. Fortalecido de viva fé, firme esperança e ardente caridade, sustentai-me com perseverança naquele último combate, de modo de, cheio de confiança na misericórdia de Deus, nos merecimentos de Jesus Cristo e na proteção de Maria Santíssima, seja feito digno de morrer a morte dos justos e de alcançar a bem-aventurada pátria do paraíso para ver e louvar a Deus convosco e com todos os santos do céu. Assim seja. Rogai por nós São Filipe – Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. (Fonte)


Veja o filme sobre São Felipe Neri: "Prefiro o Paraíso": http://migre.me/eDHl8

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

domingo, 25 de maio de 2014

Mudando o Evangelho no essencial: Jorge Mario Bergoglio e o fim do Papado!

"... tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (S. Mateus 16:18). Foi assim e aqui que Nosso Senhor Jesus Cristo estabeleceu o Primado Petrino, o Primado de São Pedro, o primeiro Papa da Igreja Católica. 

Os escândalos de Bergoglio não tem mais fim e se tornam blasfêmias indiscutíveis!  Os jornais noticiam mais um desses escândalos:


"Estou aberto a discutir o Primado de Pedro", diz o Bispo de Roma




Oras, quem é esse Francisco Bergoglio para discutir o que Cristo estabeleceu? O que virá depois? Dizer que Deus não existe? 
"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema" (Gálatas 1:8 )

O que diria Pedro a Bergoglio? Oras, diria simplesmente: "Anátema!", Como foram repetindo os Concílios Católicos por dois mil anos todas as vezes que "homens" tentaram mudar a Verdade. O que diria, mais diria São Pedro? Que Bergoglio está certo? Que o Pontificado não há mesmo razão de ser? Que Cristo se enganou? Que não foi isso que Cristo quis dizer? Peraí! Quem diz isso são os malditos heréticos protestantes!!!

E, como se isso não bastasse, Bergoglio convidou - convite aceito - um líder judeu e outro muçulmanos para rezarem com ele pela paz, no Vaticano, sobre os túmulos dos Santos Papas, sobre o altar de Deus!!! Nesses momentos me lembro da Pérola de York e me repito: "não rezarei convosco, hereges, nem direi amém às vossas orações, malditos!". 

São tempos de penitências e orações, CATÓLICOS! Tempos de se cobrir de cinzas e implorar perdão! A fumaça de Satanás já se solidificou! 

Quem é que ainda que vai brincar o jogo do contente da Polyanna e achar essa blasfêmia uma boa coisa? Onde está a Fé dos católicos que lotam as igrejas modernistas aos domingos, batendo palmas como protestantes e achando encantador um blasfemo escandaloso

E que farão agora os imprudentes do "Ecclesia Dei" (IBP, Vianney, Montfort) e os padres "tradicionalistas" que gostam de rezar missa-em-latim sub Bergoglio, que caíram no conto do vigário e deixaram a verdadeira Igreja para se "integrar" à igreja conciliar APÓSTATA? E que fará Fellay, que está, como Jano, falando uma coisas aos "seus" e outra a Roma? Para eles tudo bem que Bergoglio venha a discutir com hereges o Primado Petrino? Canalhas!

Tantos pontos de exclamação são porque estou verdadeiramente indignada com essa blasfêmia!!! E, pior, Bergoglio trata o assunto como algo de "pouca coisa", de menor importância: "estou aberto a discutir"... como se por 2000 anos a Igreja tivesse sido irrazoavelmente intransigente e despótica! Oras! Seu paspalhão fantasiado de papa! Tome tento! Não teme a ira Divina? Não teme a Deus? Deve ser porque não crê em Deus! Ou por ter a visão protestante que a infeliz Companhia de Jesus passou a ter nas últimas décadas de um deus complacente e abobalhado, que tudo perdoa e tudo aceita. 

Anátema seja, Jorge Mario Bergoglio, por cada heresia e blasfêmia que tua boca tem proferido, ditada por teu coração vendido. 

A notícia: http://arautoveritatis.com/2014/05/estou-aberto-a-discutir-o-primado-de-pedro-diz-o-bispo-de-roma.


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

PAPA LEÃO XIII: ANNUM SACRUM - 1899

ENCÍCLICA DO SANTO PADRE LEÃO XIII

ANNUM SACRUM

sobre o Sagrado Coração





A TODOS OS NOSSOS VENERÁVEIS IRMÃOS, OS PATRIARCAS,PRIMAZES, ARCEBISPOS E BISPOS DO ORBE CATÓLICO, EM GRAÇA E COMUNHÃO COM A SÉ APOSTÓLICA

Veneráveis Irmãos, Saúde e Bênção Apostólica. 

1. Com nossa carta apostólica promulgamos recentemente, como bem sabeis, o ano santo, o qual, segundo a tradição, será dentro em breve celebrado nesta alma cidade de Roma. Hoje, na esperança e na intenção de tornar mais santa esta grande solenidade religiosa, propomos e recomendamos um outro ato verdadeiramente solene. E temos todos os motivos, se ele for cumprido por todos com sinceridade de coração e com unânime e espontânea vontade, de esperar frutos extraordinários e duradouros em vantagem da religião cristã e de todo o gênero humano.

sábado, 24 de maio de 2014

BFE - Banco Fellay de Empréstimos... a juros camaradas!

Chegou-me às mãos esta tradução, que eu revisei, de um artigo do site "www.traditio.com", mostrando uma nova faceta do camaleônico Fellay: a de agiota de seus súditos! Ele já é conhecido por sua estudada ingenuidade, pela dissimulação e a arrogância, pela absoluta falta de humildade em reconhecer seus erros, por sua falsa caridade, por suas perseguições e ameaças... Agora, acrescenta mais uma "qualidade" à sua personalidade multifacetada. Sic!

Vamos ao texto. Como a tradução foi do inglês, e há as benditas expressões idiomáticas e que tais, peço, por gentileza, que, se encontrarem algum erro de tradução, me façam saber.


25 de Maio de 2014 – V Domingo depois da Páscoa

Católicos Tradicionalistas ficaram chocados ao saberem que Fellay 
cobra juros de suas próprias “Paróquias” 
quando elas constroem para ele e para a sua Neo-FSSPX. 

Por: The TRADITIO Fathers

Eu vou deixá-los de bolsos vazios, ameaça Fellay, Superior-ditador da Neo-FSSPX.
Ondas de choque abalaram a Comunidade Católica Tradicional,
quando foi recentemente revelado que Fellay está cobrando juros de suas próprias “paróquias”, quando elas terminam os seus projetos de construção
da própria NFSSPX. Fellay está agindo agora como o escandaloso Banco Vaticano de Francisco-Bergoglio

Ondas de choque abalaram a Comunidade Católica Tradicional quando foi revelado, em 18 de Maio de 2014, que Bernie Fellay, Superior-ditador da Neo-FSSPX, está cobrando juros de suas próprias “paróquias” por dividas de construção, isto é, por dinheiro emprestado por Fellay para terminar os projetos de construção da própria Neo-FSSPX. Isso não deve ser nenhuma surpresa. Quando Fellay foi sagrado em 1988, no último minuto, como um bispo substituto, ele não tinha essencialmente nenhuma experiência pastoral. A sua atividade principal havia sido a de contador [green-eye-shaded bookkeeper (no original). Em inglês, green-eye-shaded é um visor de celuloide verde, que servia, até meados do sec. 20, para diminuir o cansaço visual causado pelas lâmpadas incandescentes da época, usado por contadores, editores de textos, telegrafistas etc. – a lâmpada do banqueiro clássico tinha uma sombra verde por razões semelhantes. Mas era aplicado depreciativamente aos indivíduos que são excessivamente preocupados com questões financeiras ou pequenos e insignificantes detalhes] da FSSPX, desde a sua Ordenação em 1982.

Especula-se bastante que a política de Fellay possa ter sido influenciada pelo seu alter-ego financeiro, Maximilian Krah, o judeu arrecadador de fundos, que participa, com Fellay, de diversos Conselhos financeiros de Administração. Desde que Fellay juntou forças com Krah, a Neo-FSSPX está funcionando cada vez mais como o Bank of America, o Bank of England, ou o cheio-de-escândalos Banco do Vaticano de Francisco-Bergoglio.

Em meio a grande controvérsia, Fellay está sucateando o antigo Seminário da Fraternidade nos EUA, em Winona, Minnesota, que já foi dirigido pelo Bispo Tradicionalista Católico sênior Richard Williamson, que em 2012 abandonou Fellay por causa da sua tentativa de levar [a FSSPX] à Novus Ordo, e se tornou independente. No momento em que 1/6 do seu clero abandonou Fellay por tentar entregar a outrora Tradicionalista FSSPX à modernista Neoigreja da Novus Ordo, Fellay está esbanjando maços de dinheiro (de proveniência desconhecida) em outro projeto de construção: um novo seminário de ar modernista nas montanhas da Virgínia, destinado aos pseudo-tradicionalistas de inclinação Novus Ordo.

Fonte: http://www.traditio.com/comment/com1405.htm.
Tradução: um amigo de além-mar
Revisão e adaptação ao Português do Brasil: Giulia d'Amore.

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

24 DE MAIO: Festa de Nossa Senhora Auxiliadora

24 DE MAIO

Nossa Senhora Auxiliadora


Clique para ver mais imagens

Nossa Senhora Auxiliadora é uma das formas de devoção da Virgem Maria, que remonta à vitória da Armada Cristã em 1571, comandada por Dom João da Áustria, que, invocando o auxílio da Virgem, afastou o perigo maometano da Europa. Em agradecimento, Pio V incluiu na ladainha o título de "Auxiliadora dos Cristãos".

A festa de Nossa Senhora Auxiliadora foi promulgada por Pio VII, no ano de 1816, tão logo foi libertado do cativeiro a ele imposto por Napoleão Bonaparte. 

O nome "Maria Auxiliadora" é bastante popular entre os católicos, sendo bastante usual como antroponímico. Em Porto Alegre, o bairro "Auxiliadora" é nomeado em sua homenagem, e em Campinas o Liceu Salesiano tem seu nome. 

sexta-feira, 23 de maio de 2014

MIRO TU CRUZ

Miro Tu Cruz


Y pienso,

Y siento,

Y lloro,

Y me arrepiento,

Y me arrodillo,

Y me humillo,

Y me entristezco,

Y no encuentro paz por mis pecados.

¡Señor, Señor, sólo Tú puedes salvarme!

Por eso,

Tu Auxilio necesito,

Tu Amor imploro,

Tu Misericordia suplico,

Tu Bendición ruego,

Tu Cielo anhelo.

Exclamo afligido y desconsolado,

Por tanto daño que Te hice,

¡Perdóname, Mi Dios y Mi Señor, perdóname!


(Pecador arrepentido)
 
web

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Historiador levanta dúvidas sobre a santidade de João XXIII

Em entrevista à revista norte-americana Catholic Family News, de 22 de abril, largamente reproduzida por outros órgãos da mídia, o conceituado historiador italiano Roberto de Mattei (*) apresenta suas reservas com relação à santidade de João XXIII. Abaixo trechos importantes da entrevista.

Perguntado sobre as canonizações de João Paulo II e João XXIII, diz De Mattei:

"Eu posso exprimir uma opinião pessoal, sem pretender resolver esse complexo problema. O Primeiro Concílio do Vaticano definiu a primazia de jurisdição do Papa e a infalibilidade de seu Magistério, sob certas condições, mas certamente não a impecabilidade pessoal do Soberano Pontífice.

"Então, seja-me permitido exprimir-me sobre o Papa João XXIII, que eu conheço melhor como historiador. Estudando o Concílio Vaticano II pude aprofundar-me na biografia desse Papa e consultei as atas de seu processo de beatificação.

"No caso de um Papa, para ser considerado santo, ele deve ter praticado virtudes heroicas no cumprimento de seu múnus de Papa; é o caso, por exemplo, São Pio V ou São Pio X.

"Ora, no que se refere a João XXIII, cheguei à refletida convicção de que seu pontificado foi objetivamente prejudicial para a Igreja e que, portanto, é impossível falar de santidade no caso dele.

"Afirmou-o antes de mim, em um famoso artigo na "Revista de Ascética e Mistica"(Ascetical and Mystical Review) o sacerdote dominicano Inocêncio Colosio, especialista em santidade e considerado um dos maiores historiadores da espiritualidade nos tempos modernos.

"É falsa a premissa de que cada ato do Papa, ou quase cada ato, é infalível. A infalibilidade das canonizações não é um dogma de fé.

"Não é por acaso que a doutrina das canonizações não está contida nos Códigos de Direito Canônico de 1917 e de 1983, nem nos Catecismos da Igreja, quer o antigo, quer o novo.

"Quanto a este tema, além do estudo de Mons. Brunero Gherardini [o mais eminente representante vivo da Escola Romana de teologia], remeto também para o excelente artigo de José Antonio Ureta, publicado na edição de março/2014, da revista Catolicismo.

"Sinto que posso, em consciência, manter todas as minhas reservas quanto a este ato de canonização."

(*) Gregorio Vivanco Lopes é advogado e colaborador da ABIM

Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

22 de maio: Deusa, minha mãe.

22 de maio: SANTA RITA DE CÁSSIA

22 de maio

SANTA RITA DE CÁSSIA


Viúva e religiosa


clique para ver mais imagens
A primeira parte da vida de Rita é obscura, as fontes escritas são um pouco tardias; a maior parte das biografias compostas com dados certos concorda ter ela nascido em Roccaporena, cerca de cinco quilômetros de Cascia (em Português Cássia), Itália, e que seu nome deriva do nome Margarida (Margherita em italiano). Estudos e pesquisas confirmam que ela nasceu em 1381 e morreu em 1457, mas por muitos anos tinha sido aceite, respectivamente, 1371 e 1447 (Pe. Agostinho Trapè, A mensagem de Rita). Rita morreu em idade avançada em relação ao tempo e à maneira que ela viveu: fontes dizem que nos 40 anos de reclusão ela sujeitava seu corpo a contínuos jejuns e penitências.

Rita era a filha única de Antonio Lotti e Amata Ferri, descritos como pessoas muito religiosas e "pacificadores de Cristo" nas lutas políticas entre os guelfos e gibelinos e familiares. Diz a legenda que Rita nasceu quando seus pais estavam em idade avançada. Eles lhe ensinaram a ler e a escrever, e a educaram nos valores cristãos.

O primeiro evento considerado milagroso pela tradição é o milagre das abelhas. Diz a legenda que enquanto seus pais estavam ocupados na colheita, a pequena Rita fora colocada debaixo de uma árvore em uma cesta. Um agricultor foi ferido com uma foice e deixou o trabalho para se tratar. Passando pela criança, viu as abelhas ao redor da cesta e, com a mão ferida, ele tentou afastá-las. A ferida foi curada. As abelhas não picavam a pequena Rita, ao contrário, depositavam mel na sua boca.


As hagiografias descrevem-na como uma menina gentil, respeitosa e obediente. Fascinada pela família agostiniana, Rita quando jovem queria ser freira, mas seus pais aconselharam-na a decidir-se pelo casamento. Era costume da época que os casamentos fossem planejados, especialmente se os pais já não eram jovens.


E assim, Rita aos quinze anos de idade casou-se com Paulo Mancini (também chamado Paulo de Ferdinando), comandante da guarnição de Collegiacone, descrito como um homem muito orgulhoso e autoritário, descendente da nobre família Mancini (os Mancini remontam ao século XI; foram originalmente chamados de Lucij, Lucii, ou Lucci; mudaram o nome a partir do século XVI).

O casal teve dois filhos, talvez gêmeos, chamados Antonio e Paulo Maria. Rita dedicou-se incansavelmente à sua família, criando as condições para a conversão de seu marido. Com efeito, levou o marido à Fé e educou seus filhos na Religião.

O casamento durou cerca de dezoito anos, quando Paulo Mancini foi morto à noite, perto de Collegiacone, a caminho de casa, provavelmente devido à mágoas passadas, por seus antigos companheiros e amigos. Rita, fiel até o fim, perdoou os assassinos de seu marido, mas se angustiou quando ela percebeu que seus filhos queriam tomar o caminho da vingança. Ela então rezou a Deus preferindo a morte deles a vê-los responsáveis por atos de violência que pudessem comprometer a salvação de suas almas. Pouco depois ambos adoeceram e morreram.

Santa Julia, Virgem e Mártir

22 de maio

Santa Julia de Cartago


Durante a tomada de Cartago [na atual Tunísia], uma menina cristã de nome Julia foi escravizada e vendida a um mercador pagão, que levou-a consigo à Palestina. Embora estivesse cercada por idólatras, a menina manteve-se apegada aos padrões nos quais havia sido criada, preservando assim sua fé no Cristo. Ela cumpriu com afinco tudo o que lhe era exigido e manteve-se fiel a seu senhor, cumprindo a injunção do Apóstolo: Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne... Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens (Efésios 6:5,7).

Embora Julia fosse mansa e obediente, não havia como persuadi-la a fazer algo contra os mandamentos do Cristo. Por diversas vezes o mercador tentou convencê-la a abandonar a fé cristã e viver à maneira dos pagãos. Mas Julia preferia morrer a ter de negar o Cristo. O mercador enraiveceu-se e tentou matá-la; porém, percebendo o quanto ela era fiel e obediente, finalmente deixou-a em paz. Ele espantava-se com sua mansidão, sua paciência, sua natureza laboriosa. Ao tornar-se adulta, o mercador confiou-lhe importantes questões comerciais. Após os longos e duros dias de trabalho, Julia ficava feliz por ocupar-se de orações e leituras espirituais.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

COROA DE SANTO ESTEVÃO, REI DA HUNGRIA


Imagem inline 1

A santa coroa foi dada ao Rei Santo Estevão, primeiro Rei da Hungria, pelo Papa São Silvestre, no ano 1000, em reconhecimento por ele ter cristianizado o povo magiar. É composta de duas partes: a parte inferior, chamada corona graeca (coroa grega), que circunda a fronte e a cabeça, e a corona latina (coroa latina), em forma de arcos que se sobrepões à caixa craniana.

No centro da coroa grega, há, em esmalte, a imagem de "Cristo, Rei do Universo" (Pantokator), ladeado dos Arcanjos São Miguel e São Gabriel. Ao lado destes, uma série de representações em esmalte se intercala a pedras preciosas. Entre os esmaltes mais significativos estão os de São Jorge e São Demétrio (guerreiros) e os de São Cosme e São Damião (taumaturgos, com o dom de cura). Do lado direito e do lado esquerdo da coroa, bem como no centro da parte posterior, pendem nove torrentes com uma pequena pedra preciosa na ponta.

Sobreposta à coroa grega, está acoplada a coroa latina. Na parte superior do arco central, também está esmaltada a imagem de "Cristo, Rei do Universo". Nos demais arcos estão esmaltadas as imagens dos Apóstolos e, no topo da coroa, eleva-se a Cruz. Não se trata da cruz original, que era um relicário contendo um pedaço da Cruz de Cristo e que se quebrou. A atual que a substitui foi originalmente colocada em sua posição vertical, mas – acredita-se – sofreu um dano físico que a deixou na posição inclinada. Imagens que datam do século XVII já a mostram nesta posição.

A cerimônia de coroação prevê que, após ter sido colocada sobre a cabeça do novo Rei, a coroa é levada à Rainha, que terá seu ombro tocado por ela. Tal gesto significa que a esposa do Rei deve ser seu apoio em todas as vicissitudes do Reino. Após a coroação do Rei Beato Carlos I, a Serva de Deus Zita de Bourbon-Parma teve seus ombros tocados pela cora de Santo Estêvão. O casal teve oito filhos. Zita ficou viúva aos 28 anos de idade.



terça-feira, 20 de maio de 2014

Sobre a RCC - Protestantismo na Igreja Católica XX

A RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Pe. Scott Gardner, FSSPX*

Fruto do Concílio Vaticano II, Semente de Destruição.



São José, patrono da Igreja
livrai-A da RCC!
A Raiz do Problema
 
Ensinamento católico sobre a Graça Santificante e o Livre Arbítrio

A Doutrina Católica sempre ensinou que a graça santificante, a qual os Carismáticos praticamente negam, é a certeza da participação na vida Divina. Ao pensarmos sobre esse fato, devemos evitar dois extremos. O primeiro é aquele típico erro racionalista de pensar a participação na vida Divina como uma mera união moral com Deus, realizada através da imitação humana das Perfeições Divinas. O outro extremo é a ideia quietista ou panteística de que a alma é aniquilada e transformada na Divindade. Esse não deixa de ser o fim lógico das ideias Carismáticas.

Os Católicos sabem que a graça aperfeiçoa a natureza sem, contudo, destruí-la. Deus positivamente modela a alma à Sua Imagem e a assimila à Sua Vida Divina através de um poder que transcende a todos os poderes criados da alma, mas sempre utilizando tais poderes criados em livre cooperação com a vontade Divina. Não é, portanto, nem louvável e nem necessário aniquilar o livre-arbítrio ou vontade, ele deve ser subjugado ou dominado com o auxílio da graça e ordenado de acordo com a vontade Divina.

Com relação à vontade e a operação do Espírito Santo na alma humana, Papa Pio XII resume da seguinte maneira, a posição Católica:

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA