Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de maio de 2014

Sobre a RCC - Protestantismo na Igreja Católica XIX

A RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Pe. Scott Gardner, FSSPX*

Fruto do Concílio Vaticano II, Semente de Destruição.



São José, patrono da Igreja
livrai-A da RCC!
A Raiz do Problema
 
Ensinamento Católico sobre a Santíssima Trindade

Naturalmente que uma exposição dogmática mais profunda está bem além do objetivo desse artigo, mas de modo a compreender a gravidade dos erros dos Carismáticos é essencial entender as assim chamadas “missões externas”.

Uma missão, ou envio, pressupõe que haja um remitente, um envio e um destino para o qual algo é enviado. Com relação ao remitente e ao envio, os teólogos falam de acordo com as “apropriações” de Deus — Pai como sendo Aquele que envia; Deus Filho como Aquele que é enviado e ao mesmo tempo em que envia, e o Espírito Santo como Aquele que é enviado, mas que não envia. A Doutrina Católica sobre a Trindade ensina que todas as operações externas são comuns às três Pessoas Divinas. Com referência ao destino para o qual uma das divinas Pessoas é enviada, é bom que se fique claro que, embora Deus esteja presente em todas as partes do Universo, Seu modo de presença em qualquer dado lugar muda quando uma das Divinas Pessoas é enviada.

Existem dois tipos de missão externa da S. S Trindade: a visível e a invisível. A missão invisível é adequadamente, insensível à pessoa para quem a divina Pessoa é enviada, ao passo que a missão visível é também sensível. A missão insensível segue-se à conferência da graça santificante e tem como seu objetivo fazer com que Deus habite na alma do justo. Essa habitação na alma geralmente é atribuída ao Espírito Santo, mas juntamente com o Espírito Santo, também o Pai e o Filho habitam na alma do justo.


A missão visível do Espírito Santo compreende fenômenos sensíveis como quando o Espírito Santo apareceu sob a forma de pomba no Batismo de Nosso Senhor, ou Sua descida em forma de línguas de fogo sobre os Apóstolos no Pentecostes, bem como os verdadeiros carismas ocorridos na Era Apostólica da Igreja. “Mas por sua verdadeira natureza, a missão visível é transitória” (S. Tomás de Aquino — Summa Teológica). A missão invisível ocorre com a conferência da graça santificante, a qual acontece normalmente com a digna recepção dos sacramentos.

“Mas a obra principal do Espírito Santo é a santificação das almas através da graça... E mais especialmente através dos Sacramentos, e de forma ainda mais notável através do Sacramento da Confirmação que o Espírito Santo comunica Suas Graças e Seus Dons”. (Abade A. Boulenger.)

Portanto, toda essa insistência sobre a sensibilidade da graça, praticamente negando a graça santificante, faz com que se acabe por negar também a missão invisível do Espírito Santo e rebaixar os Sacramentos de seu alto posto, reduzindo-os apenas a canais ordinários por onde passa a graça e a meros ritos eclesiásticos cujo papel é “complementar” o sensível “batismo no Espírito” durante o processo de “Iniciação Cristã”.


* Autor: Scott Gardner, do Seminário São Tomás de Aquino, Winona, Minnesota — EUA — Publicado pela THE ANGELUS PRESS — Março de 1998.



+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

2 comentários:

  1. Já pisei em solo carismático e não gostei. Dá-se muito valor a oração em línguas e despreza-se orações tradicionais católicas. Lá ocorre muitas visões e visualizações de Nosso Senhor, de Nossa Senhora e dos Santos até por pessoas em pecado constante (amasiados por exemplo). Eles tem a mania de impor as mãos e benzer todo mundo, sendo que nem padres são. Alguns grupos carismáticos são devotos de "Nossa Senhora de Medjugorje" (essas aparições nem foram ainda aprovadas pela igreja e já se anteciparam fazendo novenas e outras coisas mais, até capelas). O primeiro grupo que eu participei criou caso com o padre. O segundo que eu participei tem muita fofoca. A minha ex-patroa pertence a esse segundo grupo. Vi ela várias vezes ligar para outras pessoas do grupo de oração para falar mal e fofocar sobre a noiva do dirigente deste grupo. Todos esses fatores me fizeram afastar-me da renovação e tem mais. Se você não é da renovação carismática eles te olham com pena e alguns te jogam na cara que você não é aberto ao Espírito Santo (como se o Espírito Santo tivesse um clube privado onde ele só agisse lá e não na Santa Igreja Católica como um todo). Enfim, considero a RCC muito elitista: só eles possuem os "dons do Espírito Santo". Fiquem todos com Deus e a Virgem de Fátima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A RCC é protestante e quer protestantizar a Igreja. Ela surgiu em um "acampamento" que reunia católicos liberais e protestantes.

      A Igreja não precisa de novidades para "atrair" fiéis, pq a BOA NOVA já veio, é o Cristo. A RCC é um dos frutos do Concílio Vaticano II, o que prova, mais ainda, o quanto foi e é nefasto para a Igreja e as almas.

      Sugiro que leia o artigo todo, desde o começo: http://permanencia.org.br/drupal/node/2235, pois lhe ajudará a salvar almas, caro sr. José Antonio. Pq para salvarmos almas temos que ter argumentos sólidos, e os teremos estudando mais e mais.

      Infelizmente, o que relata é muito comum, tanto na RCC qto na Igreja em geral, pq as almas, ao invés de cultivar as virtudes, fogem delas como o diabo foge da Cruz. Ninguém quer saber de joelhos esfolados pela oração e penitência, de estudo e renúncia. As pessoas querem ser felizes e... basta. Como se a felicidade terrena fosse possível sem as virtudes, as orações, as penitências e o estudo!!!

      O Espírito Santo sopra onde quer. É verdade. Mas continua sendo Deus, e o próprio Deus nos disse para não darmos pérolas aos porcos...

      Excluir

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA