Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de março de 2016

Williamson: o “grande autor antiliberal”

Recebi por e-mail e publico, para conhecimento e reflexão de todos. O pseudônimo deve ser - imagino, porque não me foi dada explicação - em razão do temor de represálias por parte dos santos & virtuosos que defendem os erros doutrinários de Dom Williamson. Eu publiquei porque há verdade e bom senso, pois, como nos ensinam, o que importa é o que alguém diz, não quem o diz (como o próprio Dom Williamson já disse, certa vez, citando Santo Agostinho, a verdade nos pertence, a nós, Cristão; cf. aqui). Diferentemente do que dizem nossos detratores: que o problema não é o que dizemos, mas como dizemos... Percebem a diferença clara? Eles se preocupam com os "modos" (fofinhos!), e nós com a "essência".  
 

Williamson: o “grande autor antiliberal”. 


“Não trate muito com quem os bons não louvam.” São Nilo.  


Prezados amigos,

Salve Maria!


É sabido e ressabido o fracasso da obra semi-nati-morta, também chamada “Resistência”, liderada pelo bispo Richard Williamson. Digo semi-nati-morta porque ela não nasceu morta de todo, senão a iniciar pela cabeça, que deteriorou parte dos outros membros. O bispo dizia que não tinha autoridade para tanto e que sua autoridade seria de “suplência”. Ele disse:
Portanto, a menos que esse Papa desse a mim autoridade para liderar a “Resistência”, o que é obviamente inconcebível, eu nunca terei a autoridade católica oficial para estar à frente dos resistentes.  Posso eu ter autoridade de suplência devido à emergência?  Teoricamente sim, mas a autoridade de suplência é relativamente fraca. (grifos nossos) [1].

Entretanto, como já sabemos que a ambiguidade e a contradição são próprias de modernistas, o mesmo que dizia que outrora não tinha autoridade para erigir qualquer obra, agora passou a ter autoridade para legitimar milagres nos ambientes da igreja nova. Para quem dizia não ter autoridade, agora parece que lhe sobra...

Dom Williamson foi citado por Dom Tomás, futuro bispo, como um dos “grandes autores anti-liberais[2], senão, vejamos:
Além disso, leiam e procurem entender os grandes autores antiliberais, sobretudo os que melhor entenderam os erros do mundo moderno, como Dom Antônio de Castro Mayer, Dom Williamson e também Dom Tissier, que expôs com precisão a estranha teologia de Bento XVI e que nos deu a biografia de Dom Lefebvre, sem esquecer os antigos autores, cuja lista seria demasiado grande. (grifo nosso).

Bom, Dom Williamson é aquele que recomenda leituras como as da “vidente” Maria Valtorta [3], que foi condenada pelo Vaticano [4]? Dom Williamson é aquele quem recomenda as pessoas a irem à Missa Nova dizendo, dentre outras coisas que: 
– “Arcebispo Lefebvre diria publicamente para ‘ficar longe’ da Missa Nova”; (…) “, mas eu vou arriscar meu pescoço em um longo caminho (…)”.7– “Eu não digo que cada pessoa deve ficar longe de todas as Missas Novus Ordo”…
– “A Missa Nova pode ser assistida com o efeito de construir a sua fé”…
– “Você faz seu próprio julgamento…”
– “Se a Missa Nova os fez, em todos esses anos, perder a fé, como é que eles têm vindo a Tradição Católica?”.
– “Faça o que você precisa para alimentar sua fé …”.
– “Houve milagres eucarísticos com a Missa Novus Ordo. Eles ainda estão ocorrendo…”
. [5]?
 

Dom Williamson, o grande antiliberal, aquele que diz que Paulo VI emitiu um “Credo relativamente bom” [6]? Vejamos o que Paulo VI diz neste Credo [7]:
“Reconhecendo também que fora da estrutura da Igreja de Cristo existem muitos elementos de santificação e de verdade, que como dons próprios da mesma Igreja impelem à unidade católica, e crendo, por outra parte, na ação do Espírito Santo que suscita em todos os discípulos de Cristo o desejo desta unidade, esperamos que os cristãos que ainda não gozam da plena comunhão com a única Igreja, se unam afinal num só rebanho sob um único Pastor.” (grifos nossos)

Leia aqui como surgiu e quem formulou o “credo relativamente bom” de Paulo VI.

Então, este é o Williamson antiliberal? Ok! E, como sobredito, os modernistas tem de ser contraditórios, O “antiliberal” Dom Williamson diz:
Portanto, assim como o Arcebispo rejeitou a frequência na Missa do Indulto, agora, como regra geral, frequentar as Missas da FSSPX deve ser rejeitado, porque mesmo se sua Missa particular continua sendo celebrada de acordo com a Tradição, a FSSPX está sendo remodelada em geral como uma estrutura dentro da qual a nova religião conciliar vem sendo menos e menos desaprovada, e por isso há mais e mais perigo em frequentar suas Missas. [8]

Muito bom! Não se pode ir às Missas da Neo-FSSPX, mas pode-se ir às Missas Nova, porque, a missa nova, segundo o “grande antiliberal” Williamson, “pode ser assistida com o efeito de construir a sua fé”. Isso é sério? Não estou dizendo que as pessoas devam ir às Missas da Neo-FSSPX, mas não é visível a incongruência? Aos olhos do Dom Tomás & Cia. Ltda., não!

O “grande autor antiliberal” Williamson tem:
“predileção” [...] por “não católicos”, como John Adams, citado no CE 436, e que era MAÇOM; ou o músico Wagner, um “demônio jacobino amante do budismo, cuja música é cheia de impudicícias gnósticas” (CE 433), a quem dedicou pelo menos dois CEs (9 - Wagnerian Redemption e CE 433 - Novamente, Cultura); ou, e principalmente, o poeta & MAÇOM: T. S. Eliot, “gigante da literatura inglesa” (CE 406), a quem Dom Williamson dedicou pelos menos três CEs: CE 406 - A Cultura Importa, de 25/04/2015, 411 - Fim de semana com Eliot, de 30/05/2015, e 433 (já citado), e permitiu um seminário (com seis palestras) de certo dr. David White, entre os dias 1 e 3 de maio do ano passado, em Broadstairs (Inglaterra). [9]

E para não tornar esta lista de “antiliberalices” do “grande antiliberal”, encerraremos com a mais famosa, a do avião, é claro!

Em 2.014, o “grande autor antiliberal” Dom Williamson disse, em alto e bom som, num inglês perfeitíssimo algo que, em português ficou assim:
“Se… Se… Se… por algum milagre, o Papa Francisco me telefonasse semana que vem e dissesse: “Excelência, o senhor e eu tivemos nossas divergências mas, neste exato momento eu estou lhe autorizando a fundar uma sociedade. Você vai em frente para o bem da Igreja.”
“Oh, Santo Padre, eu posso ter isso por escrito? O senhor se importa se eu for a Roma e obter isso com sua assinatura?”
“Sim, é claro.”
“Está certo.”
Então pegaria o próximo avião para Roma. Então pegaria o próximo avião para Roma!” [10].

Bom, se é para ser antiliberal assim, é preferível não ser elogiado por Dom Tomás... 


Por Simão de Cirene 


Notas:
[1] Comentário Eleison nº. 420, podendo ser lido aqui.
[2] Entrevista com Dom Tomás de Aquino, podendo ser lida aqui.
[3] Comentários Eleison nºs. 201 e 275, podendo ser lidos respectivamente aqui e aqui.
[4] Artigo: “O que pensar de Maria Valtorta”, podendo ser lido aqui.
[5] Artigo “Dom Tomás de Aquino vs. Dom Williamson – Onde está esse Dom Tomás?”. O texto pode ser lido aqui.
[6] Comentário Eleison nº. 403, podendo ser lido aqui.
[7] Credo do Povo de Deus, podendo ser lido aqui.
[8] Comentário Eleison nº. 323, podendo ser lido aqui.
[9] Artigo “Sobre Eliot, Wagner e outros tais” que pode ser lido aqui.
[10] Artigo: Dom Williamson: “pegaria o próximo avião para Roma”. O vídeo pode ser visto/ouvido aqui, a partir do 11:30 minuto.



* * *


Nota do Pale Ideas: Se os documentos e vídeos não estiverem nos links indicados, por gentileza nos avisem. E não estranhem... Estão reescrevendo a História. Porque? Só Deus sabe...

 


COMENTARISTA, LEIA ANTES O 
LEIA ANTES DE COMENTAR
THANKS! 
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA