Pesquisar este blog

Novidades!!!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Boletim da Confraria da Sagrada Família A II - N.18

Se quiser receber o boletim por e-mail, escreva para sagradafamilia@capela.org.br  


Boletins da Confraria da Sagrada Família A. II
12 - 13 - 14 - 15 - 16 - 17 - 18

clip_image002 
BOLETIM MENSAL DA
Confraria da
Sagrada
Família


Capela Nossa Senhora da Conceição – Niterói/RJ
Ano II – N. 18 – Dezembro de 2011

São Pio X e a Imaculada Conceição

Concluindo a série de artigos deste ano sobre São Pio X, no mês da Imaculada Conceição, reproduzimos o artigo do Padre Guy de Castelain, publicado na revista francesa Fideliter, que apresenta a devoção desse Santo Papa à Santíssima Virgem Imaculada.


Para compreender a piedade de São Pio X à Imaculada Conceição é preciso recorrer à audiência de 27 de Dezembro de 1908, que o Papa concedeu ao Padre Gebhard, Superior dos padre monfortinhos. Nessa audiência, o Papa revelou que conhecia há muito tempo o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, de São Luís Maria Grignion de Monfort: "Vossa Santidade conhece há muito tempo o Tratado de Bem-aventurado Luis de Monfort" - observou o padre monfortinho. "É verdade - respondeu o Papa. - Quis relê-lo antes de redigir a minha encíclica sobre a Santíssima Virgem".
O trecho que aparece em Gên. 3, 15 é o primeiro fundamento histórico de toda a devoção Mariana segundo o ensinamento de Pio IX e de Pio XII, dado por ocasião da proclamação dos dogmas da Imaculada Conceição (1854) e da Assunção (1950). E esse ensinamento está na base de todo o Tratado, que o explica nestes termos: "É principalmente por estas últimas e cruéis perseguições do diabo, que aumentarão todos os dias até ao reino do Anticristo, que se deve ouvir esta primeira e célebre predição e maldição de Deus, feita no paraíso terrestre, contra a serpente: 'Porei inimizade entre ti e a mulher, e a tua posteridade e a dela; ela te esmagará a cabeça e tu armarás traições ao seu calcanhar' (Gên. 3, 15). Nunca Deus fez e formou senão uma inimizade irreconciliável, que durará e mesmo aumentará até o fim: é entre Maria, Sua digna Mãe, e o diabo. Não só Deus pôs uma inimizade, mas inimizades, não somente entre Maria e o demônio, mas entre a raça da Santíssima Virgem e a raça do demônio, entre os filhos e servos da Santíssima Virgem, e os filhos e sequazes de Lúcifer. Mas a humilde Maria obterá sempre a vitória sobre esse orgulhoso, e tão grande que irá até lhe esmagar a cabeça onde reside o seu orgulho. Os seus humildes escravos, que ela suscitará para fazer a guerra, em união com Maria, esmagarão a cabeça do diabo e farão triunfar Jesus Cristo".
Esse trecho, conhecido também como Protoevangelho, é a chave da compreensão da devoção de São Pio X à Imaculada Conceição.
São Pio X terá a alegria de celebrar um primeiro jubileu Mariano: o da proclamação do dogma da Imaculada Conceição por Pio IX, em 1854.

O Jubileu da Imaculada
Numa carta de 7 de Dezembro de 1903, São Pio X institui súplicas e concede indulgências e, no dia seguinte, publica a famosa Oração da Novena à Imaculada Conceição que começa com estas palavras: "Virgem Santíssima, que agradastes ao Senhor a ponto de tornar-se em sua Mãe, Virgem Imaculada em vosso corpo, em vossa alma, em vossa fé e em vosso amor". Esta oração retoma o Protoevangelho, traduzido-o em um ato de piedade. São Pio X, desde o início do seu Pontificado, compreendeu que entrava no grande combate entre a Imaculada e o demônio. O seu discurso-programa de 4 de Outubro de 1903 testemunha-o: "Pode ignorar-se a doença tão profunda e grave que infecta a sociedade humana e que a arrasta para a ruína? Esta doença é, a respeito de Deus, o abandono e a apostasia. Quem pesa estas coisas tem o direito de temer que tal perversão dos espíritos seja o começo dos males anunciados para o fim dos tempos, e que verdadeiramente, o filho da perdição de quem fala o Apóstolo tenha já chegado ao meio de nós." Propondo essa bela oração, o Papa sublinha que é sob o estandarte da Imaculada que se quer lançar na batalha contra "a reunião de todas as heresias" que é o Modernismo, e que é na Imaculada que põe toda a sua confiança: "Alegrai-vos, Virgem Maria, Vós esmagastes todas as heresias no mundo inteiro."


A Encíclica do Jubileu
Por ocasião do primeiro Jubileu da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, São Pio X vai redigir a Carta Ad diem illum, o grande documento Mariano do seu Pontificado. O Papa constrói todo o documento sobre o Protoevangelho, conforme São Luis Maria. Começa por recordar o fato histórico: "Ao ver, no futuro, Maria esmagar a cabeça da serpente, Adão contém as lágrimas que a maldição arrancava ao seu coração." Explica, a seguir, que este dogma é como o nó que liga todos os mistérios da fé entre si. Afirma, como conseqüência, que "o anarquismo encontra a sua ruína no dogma da Imaculada Conceição de Maria", e que, negado este dogma, "o edifício da fé é revolvido de cima a baixo". Mostra em seguida as suas conseqüências na vida quotidiana: "Quantos socorros eficazes não encontramos, e na sua própria fonte, para conservar estas mesmas virtudes e praticá-las como convém." Depois, assegura-nos a eficácia da devoção à Imaculada: "Ninguém duvida que, se nos confiamos a Maria como convém, sentimos que Ela é sempre a Virgem poderosíssima que, com o seu pé virginal, esmagou a cabeça da serpente." Enfim, anuncia a vitória prometida ao nosso apelo: "A Virgem não deixará de nos sustentar nas nossas provações, por mais duras que sejam, de modo que, quotidianamente, possamos repetir esta palavra: hoje foi esmagada por Ela a cabeça da antiga serpente."

Uma União de Alma
O Padre Mura, no seu livro sobre o Corpo Místico de Cristo, explica que "a bela encíclica de São Pio X sobre Nossa Senhora não é senão uma transposição do livro A Verdadeira Devoção do São Luis Maria: tão bem encontramos, nesta encíclica Mariana, não somente os pensamentos mais familiares do grande servo de Maria, mas, muitas vezes, até as suas expressões." De fato, o Pontífice retoma os grandes temas do Tratado, a tal ponto que Georges Rigault, no seu livro sobre o apóstolo mariano, não hesita em afirmar que Pio X "dele se impregnou, a ponto de ter conferido aos pensamentos e às palavras de São Luis Maria a soberana autoridade do seu Magistério". É tão verdade que, em 27 de Dezembro de 1908, o Santo Papa abençoará o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem e seus leitores. Disse o Papa: "Acedendo às vossas preces, recomendamos fortemente o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, tão admiravelmente redigido por São Luis Maria Grignion de Monfort, e concedemos com amor, aos seus leitores, a Bênção Apostólica."
Nesse mesmo dia, São Pio X vai revelar ao Padre Gebhard que ele mesmo tinha feito a consagração mariana de si mesmo à Imaculada, inscrevendo o seu nome na secção sacerdotal da Confraria Maria Rainha dos Corações.

O Jubileu de Lurdes
Quatro anos após o jubileu do dogma, São Pio X terá a alegria de celebrar o jubileu da aparição da Imaculada Mãe de Deus em Lourdes. Desde o início do seu Pontificado, São Pio X tinha querido embelezar a gruta de Lourdes no Vaticano. Uma carta de 21 de Janeiro de 1904 ao Bispo de Tarbes testemunha-o: "A primeira vez que visitamos os jardins do Vaticano, ficamos surpreendidos ao vermos que, diante da santa imagem da Virgem de Lourdes, não havia uma lâmpada ou outro símbolo de devoção. Falamos a Mons. Radini-Tedeschi, exprimindo-lhe o Nosso desejo de que a gruta fosse embelezada e provida de tudo o necessário para poder celebrar-se ali a Santa Missa."
Numa carta de 24 de Dezembro de 1907, São Pio X anuncia que convém que o Papa seja "o intérprete do reconhecimento público junto da augusta Mãe de Deus". Para isso, nomeia o Arcebispo de Bordeaux como Legado para as "santas solenidades que se preparam em Lourdes, por ocasião do cinqüentenário do dia em que a Imaculada Mãe de Deus, em aparições maravilhosas, se manifestou nessa cidade".

Uma Festa Litúrgica Única
Por ocasião deste segundo Jubileu Mariano, São Pio X vai estender à Igreja Católica do mundo inteiro a festa da aparição em Lourdes da Imaculada Virgem Maria: "Sua Santidade, movido sobretudo pela sua devoção constante à Mãe Imaculada de Deus, e na esperança de que o desenvolvimento do culto à Mãe Imaculada atrairá à Igreja de Cristo, nestes tempos difíceis, os socorros multiplicados da sua poderosa proteção, ordenou que a festa da aparição da Bem-aventurada Virgem Imaculada seja celebrada anualmente, em 11 de Fevereiro, a partir do próximo ano, cinqüentenário das Aparições da Virgem Mãe de Deus nas margens do Gave." Desde então todos os anos, em 11 de Fevereiro, graças a São Pio X, todos os católicos celebram a aparição da Virgem Imaculada em França.
Cumpre-se, com São Pio X, o anúncio de São Luis Maria: "O Altíssimo, com Sua Santa Mãe, devem formar-se grandes santos. Estas grandes almas serão singularmente devotas à Santíssima Virgem. A formação e a educação dos grandes santos que se apresentarão no fim do mundo está-lhe reservada.» De fato, São Pio X é o último Papa canonizado. Pela sua devoção à Imaculada, São Pio X protegeu sobretudo a Fé Católica do verme devorador do Modernismo. Com efeito, é seguindo o ensinamento de São Luís Maria que a devoção à Imaculada Conceição faz os grandes defensores da fé: "A Santíssima Virgem vos dará parte da sua fé, que foi maior sobre a Terra do que a fé de todos os Patriarcas, Profetas, Apóstolos e todos os Santos. Quanto mais ganhardes a benevolência desta augusta Princesa e Virgem fiel, mais tereis fé pura na vossa conduta."
São Pio X, Papa Mariano, rogai por nós!

Padre Guy de Castelain


DATAS A LEMBRAR:

Sexta 02 - 1ª Sexta-feira do mês: Sagrado Coração de Jesus
Sábado 03 - 1º Sábado do mês: Imaculado Coração de Maria
Quinta 08 - Imaculada Conceição
Segunda 12 - Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira das Américas
Domingo 25 - Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo

_

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA