Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 29 de abril de 2016

29 de abril: São Pedro de Verona, Mártir

29 de abril 

São Pedro de Verona 

Mártir
1205-1252
   


Pedro de Verona, também conhecido como Pedro Mártir (Verona, ca. 1205 — Séveso, 6 de abril de 1252) foi um frade dominicano, inquisidor e Mártir italiano do século XIII. 

Seus pais eram hereges maniqueus (cátaros), adeptos da doutrina religiosa herética do persa Mani (ou Manes ou Maniqueu), caracterizada pela concepção dualista do mundo, em que espírito e matéria representam, respectivamente, o bem e o mal.

Entretanto, o único colégio que havia no local era Católico, e lá o menino, não só aprendeu as ciências da vida, como os caminhos da alma. Pedro se converteu e se separou da família, indo para Bolonha para terminar os estudos.  


Em Bolonha acabava de ser fundada a Ordem dos Dominicanos, onde ele foi logo aceito, recebendo a missão de evangelizar. Foi o que fez, viajando por toda a Itália espalhando suas palavras fortes e um discurso de fé que convertiam as massas. Todas as suas pregações eram acompanhadas de graças, que impressionavam toda comunidade por onde passava. E isso logo despertou a ira dos hereges.

Primeiro inventaram uma calúnia contra ele. Achando que aquilo era uma prova de Deus, Pedro não tentou provar inocência, aguardou que Jesus determinasse a hora certa de revelar a verdade. Foi afastado da pregação por um bom tempo, até que a mentira se desfez sozinha, e ele foi chamado de volta e aclamado pela comunidade.


Voltando às viagens evangelizadoras, seus inimigos o afrontaram de novo tentando provar que suas graças não passavam de um embuste: um homem fingiu estar doente, e outro foi buscar Pedro. Este, percebendo logo o que se passava, rezou e pediu a Deus que se o homem estivesse mesmo doente ficasse curado. Mas, se a doença fosse falsa, então que ficasse doente de verdade. O maniqueu, então, foi tomado por uma febre violentíssima, que só passou quando a armadilha foi confessada publicamente. Perdoado por Pedro, o homem se converteu na mesma hora. 


Em 1234, o Papa Gregório IX o nomeou Inquisidor Geral para o norte da Itália. Pedro evangelizou quase toda a Itália, pregando nas cidades de Roma, Florença, Bolonha, Gênova e Como.

Em 1251, o Papa Inocêncio IV reconheceu as virtudes de Pedro e nomeou-o inquisidor na Lombardia. Ele passou cerca de seis meses no cargo e não está claro se ele esteve envolvido em algum julgamento. Seu único ato registrado foi uma declaração de clemência por aqueles que confessaram heresia ou simpatia por heresia.

Em seus sermões, Pedro denunciava a heresia e também aqueles Católicos que professavam a Fé apenas por palavras. Multidões vinham ao seu encontro e o seguiam; havia inúmeras conversões, incluindo a de cátaros que retornaram à ortodoxia.  


Pedro, ainda, anunciou, não só o dia de sua morte, como as circunstâncias em que ela ocorreria. E, mesmo tendo esse conhecimento, não deixou de fazer a viagem que seria fatal. 

Por causa de seus sermões, um grupo de cátaros milaneses conspiraram para matá-lo. Eles contrataram um assassino, Carino (ou Carim) de Balsamo. O cúmplice de Carino era Manfredo Clitoro de Giussano. Em 6 de abril de 1252, quando Pedro estava retornando de Como para Milão, os dois assassinos o seguiram até um local solitário perto de Barlassina, e lá o mataram e feriram mortalmente o seu companheiro, um frade chamado Dominic 

Segundo a tradição, Carino atingiu a cabeça de Pedro com um machado e então atacou Dominic. Pedro ficou de joelhos, e recitou o primeiro artigo do Credo dos Apóstolos. Oferecendo o seu sangue como um sacrifício a Deus, ele molhou o dedo com seu sangue e escreveu no chão: "Credo". O golpe que o matou cortou sua cabeça, mas o testemunho prestado no inquérito sobre sua morte confirma que ele começou a recitar o Credo, quando foi atacado. Dominic foi levado para Meda, onde morreu cinco dias depois. 

Carino mais tarde, confessou o crime e, cheio de remorso, se internou como penitente no convento dominicano de Forli

Imediatamente, o seu culto se difundiu em meio à comoção e espanto dos fiéis que passaram a visitar o seu túmulo onde as graças aconteciam em profusão. Apenas onze meses depois o Papa Inocente IV o canonizou, em  9 de março de 1253, fixando a festa de São Pedro de Verona para o dia de sua morte. O dia 6 de abril, data de sua morte, não foi usado porque entraria em conflito muitas vezes com o Tríduo Pascal.  


Leiam, também:
  1. http://vitaefratrumordinispraedicatorum.blogspot.com.br/2012/06/sao-pedro-de-verona-martir-dominicano.html.
  2. http://praelio.blogspot.com.br/2011/05/sao-pedro-martir-de-verona-o-patrono-do.html.
  3. https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_de_Verona
  4. https://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_de_Verona.
 


 
COMENTARISTA, LEIA ANTES O 
LEIA ANTES DE COMENTAR
THANKS! 
  
* * *
 
http://edicoescristorei.blogspot.com.br

*
É possível que, ao enviar este post por e-mail, o botão de doação acima não funcione. Nesse caso, envie um e-mail para edicoes.cristo.rei@gmail.com, ou diretamente para o Rev. Pe. Cardozo: runaejcv@gmail.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA