Pesquisar este blog

Novidades!!!

sábado, 14 de novembro de 2015

São Josafá, Bispo e Mártir

14 de novembro

São Josafá 

Bispo e Mártir


São Josafá, bispo, carregando
a palma do martírio.
Josafá Kuncewycz nasceu em 1580, seu pai era comerciante e conselheiro da cidade. Na escola, destacou-se muito cedo, aplicando-se nos estudos litúrgicos; aprendeu o breviário completo, tão logo começou a ler. Após a escola, por indicação do pai, começou um aprendizado de comerciante, tendo como tutor Benjamim Rutsky, homem muito sério e temente a Deus.

Em 1595, o metropolitano ortodoxo de Kiev e outros 5 bispos reuniram-se na Bielorússía para discutir a reunião com a Igreja Católica Romana. Dai nasceram dois grupos, um favorável à união, outro cismático. Cada um indicava seus próprios bispos e hierarquia.

Josafá, aos 24 anos, e seu amigo Rutsky entraram no Mosteiro da Santíssima Trindade, em Vilna - atual Lituânia. Um outro conhecido da família chegou a oferecer toda sua fortuna e a mão de sua filha em casamento, caso ele mudasse de ideia. Após receber o diaconato, começou a dedicar-se à salvação das almas.


Uma vez ordenado, Josafá rapidamente passou a ser conhecido pelas suas pregações em favor da reunião. Rutsky foi elevado a Sé de Kiev em 1614. Três anos após foi apontado como bispo de Vitebsk e arcebipo de Polotsk. Durante seis anos conduziu com sucesso uma reforma geral, tanto para presbíteros quanto leigos, aprimorando a vida cristã na diocese.

Seu exercício de piedade favorito consistia em fazer uma reverência completa, tocando o chão com sua cabeça, e exclamar a jaculatória "Jesus Cristo, Filho de Davi, tende piedade de mim que sou pecador." Nunca comia carne, jejuava intensamente, dormia no chão puro e batia-se até sangrar. Os jesuítas que cuidavam de sua direção espiritual muitas vezes pediram para que se mantivesse dentro de certos limites de austeridade.

Dos seus estudos dos livros litúrgicos obteve diversas provas da verdade católica, usando seus conhecimentos na composição de vários livros, como "O Batismo de São Volodimyr", "A Falsificação dos Livros Eslavos pelos Inimigos do Metropolita" e "Os Monges e seus votos".  


Sempre que podia ouvia confissões, não apenas na cidade, mas também nos campos, prisões, hospitais e até mesmo ao longo do caminho. Quando via que seus argumentos eram insuficientes, suas lágrimas ajudavam a converter os corações. Sua piedade e amor os pobres ganharam muitos para a Fé católica, inclusive alguns personagens importantes, como Ignatius, patriarca de Moscou.

Mas muitos, temendo a interferência de Roma na igreja local e a perda de privilégios, organizaram considerável oposição ao bispo. Um grupo deles apontou Melitius Smotritski como bispo de Polotsk. Este, por sua vez, começou a visitar cidades e zonas rurais para ganhar aliados e organizar uma nova diocese. em Outubro de 1623, entregaram uma acusação contra ele ao chanceler da Lituânia, Leo Sapieha. Influenciado por eles, condenou Josafá por ter forçado, através de violência, as pessoas a aceitar a união com Roma.

Em uma carta, assim Josafá defendeu-se, negando as acusações:

Deus é testemunha do meu caráter. Ele vê dentro do meu coração e conhece meus propósitos e ações. Por nenhum mau exemplo ou ações despropositadas, guiei os cidadãos de Polotsk e demais moradores da minha diocese. Não há a menor indicação de severidade de minha parte que possa ser alegada como causa para tal rebelião. Nunca conduzi ninguém contra a sua vontade a unir-se à Igreja de Roma, e disto não encontrarás prova alguma. Minha posição como cabeça da Igreja obriga-me a defender os direitos da Igreja que os cismáticos ameaçam tomar à força. Eu fiz tudo de maneira correta e pacífica, tendo por inspiração e ideal São Ambrósio e São João Crisóstomo, que realizaram tão grandes trabalhos para a glória de Deus enfrentando todos obstáculos. Se estes santos tivessem visto nos seus tempos tantas más ações contra o Senhor como eu tenho visto, eles fariam muito mais do que eu tenho feito.

Não vejo outro motivo para a ação dos cismáticos do que a inveja pelo fato de navegarmos na mesma barca do maior capitão, o verdadeiro sucessor de Cristo. Esta barca nunca navegou por águas tranquilas, mas sempre nas tempestades.

Os cismáticos organizam combates e depois reclamam que estão feridos. Não é isso diretamente oposto aos ensinamentos de Cristo?

Em novembro, Josafá viajou até Vitebsk para enfrentar a animosidade de seus oponentes. Por duas semanas esforçou-se pela paz, mas encontrava sempre ameaças e violências por toda parte. No dia 12, caiu em uma armadilha e teve que enfrentar uma multidão comandada por um padre que os havia incitado. Na confusão, alguém deu uma machada em sua cabeça e outro lhe deu um tiro. Então jogaram seu corpo no Rio Dvina.

Desta forma, São Josafá tornou-se um mártir da Unidade da Igreja. Após numerosos milagres, uma comissão foi organizada pelo papa Urbano VIII em 1628 para examinar a causa, tendo tomado o testemunho de 116 pessoas. Cinco anos após sua morte, seu corpo estava incorrupto. Em 1637, uma segunda comissão aconselhou sua beatificação, que ocorreu no ano de 1643. A canonização, no entanto, ocorreu apenas em 29 de Junho de 1867, pelo Papa Pio IX.

Fonte: http://tesourosdaigrejacatolica.blogspot.com.br/2011/11/sao-josafa-um-martir-contra-o-cisma.html. 


*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA