Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Barilla la pasta della famiglia!!!

Editado em 05/11/2013: 

Beh! A verdade acima de tudo. Barilla mai più! Se se rende ao lobby gay... em minha casa não entra mais! 

LEIA MAIS AQUI... 
 
  
Mais uma vítima da orda gay: Guido Barilla comunicou que sua marca jamais faria um comercial com gays porque para ele a família é apenas aquela composta por um homem, uma mulher e filhos. Foi o suficiente para a patrulha gay cair em cima como carniceiros e ameaçar boicotar a marca... Francamente! A Barilla só teria prejuízo se os gays (e simpatizantes) fossem maioria ou uma minoria "maior" do que são!!! De qualquer forma, esse patrulhamento do pensamento e da opinião deve ter um fim, porque um dia é da caça e outro... do caçador! Se eles acham que os NORMAIS ("hetero" é um termo errado e vindo da cabeça perturbada deles) vão ficar calados muito tempo... se enganam! Basta ver a reação dos italianos à perseguição dos gays, no Twitter e no Facebook!!! Abaixo a notícia, trazida pelos amigos do Annales Historiæ.

Em minha casa nunca falta Barilla... e agora vai ter ainda mais, visto que os gays não vão mais comprar. Nunca mais... rsrs Melhor para nós! Viva a Barilla! Viva a FAMÍLIA!!! 

Minha mensagem, em todos os canais de comunicação da Barilla:

I miei auguri e della mia famiglia a Guido Barilla per osare dire la verità! La famiglia é la famiglia! Basta di dittatura gay. Non c'era manco bisogno di scusarsi, perchè non ha detto nulla di straordinario o scandaloso. Bravissimo!!! I nostri applausi!!!!

Famiglia d'Amore


Além dis gays, as feministas também se "irritaram" porque Guido salientou que na (verdadeira) família a mulher tem um papel fundamental! Li muitos comentários irados de mulheres reclamando dos trabalhos domésticos, como coisa aviltante. Não deve ser aviltante ter uma série infinita de homens entrando e saindo de suas camas, filhos com este e com aquele, um trabalho humilhante, recebendo ordens de patrão fora de casa por se recusar a ter um marido a quem obedecer dentro de casa! 

A Mídia - como era de se esperar - ficou do lado dos gays. Eita, medão dos brabos!!! Quem ousa enfrentar os gays????? A Barilla ousou... É verdade que soltou um comunicado pedindo desculpas por ter ferido suscetibilidades... mas não voltou atrás em uma vírgula. Até porque no 1º comunicado não havia nada de ofensivo, muito pelo contrário.

Viva a diferença! Viva a família como Deus a fez! Viva a Verdade! Viva Cristo Rei! 



Quando formos ao supermercado, já temos uma marca de macarrão pró-família


Fonte: Nouvelles de France - Tradução: Annales Historiae - Guido Barilla, o neto do fundador e presidente da Barilla, declarou na quarta-feira, 25 de setembro, na estação italiana Radio 24:
"Para nós, a noção de família é sagrada, e é um dos valores fundamentais da empresa. [...] Não faremos peças publicitárias (com famílias homossexuais), não por falta de consideração perante os homossexuais, que têm o direito de fazer o que eles querem, e felizmente, aliás [...] mas porque não pensamos a família como eles, pensamos antes que a família à qual nos dirigimos é a família clássica. Na qual a mulher [...] tem um papel fundamental [...]."
E conclui-se que "se isso não convêm a alguns, eles têm que comer somente outras massas".

Na próxima vez que eu for ao supermercado, eu encho meu carrinho de massas Barilla! Vocês também?






Addendum: Segundo informações do blog Le Salon Beige, Guillo pediu desculpas por ter atingido a sensibilidade de algumas pessoas. O pedido de desculpas veio depois que uma onda de "protestos" tomou as redes sociais. Eis mais uma vítima da ditadura gay. 

Porém, nada indica que ele tenha voltado atrás em sua fala sobre a família em seus comerciais.

+
Informe aqui o seu email, para receber nossas publicações: Delivered by FeedBurner.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA