Convite

 
Feminismo: o maior inimigo da mulher
Grupo do Facebook • 157 membros
Participar do grupo
Grupo criado com o propósito de desmascarar o feminismo.
 

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Os Beneditinos da Tradição

Achei oportuno este artigo do site da FSSPX/Italia sobre os beneditino da Tradição. Acredito, até, que se deveria fazer um trabalho mais denso. Deixo a sugestão no ar. Peço encarecidamente de ajudar este blog com as notas biográficas dos personagens e as informações sobre fatos e locais mencionados no artigo. Seria, realmente, de utilidade pública. Basicamente datas (de nascimento e, se for o caso, de falecimento; ordenação; fundação etc...), fatos relevantes, conceituações necessárias. E fotos, nítidas e expressivas. Antecipadamente, agradeço.

GdA


Ora et labora 





Primado da contemplação e espírito dos antigos monges. Apresentação dos Beneditinos da Tradição.


Em 1970, enquanto a reforma do Concílio Vaticano II arruína as comunidades religiosas, Dom Gerard Calvet[1], um monge da Abadia de Tournay de Notre-Dame, filial de En-Calcat[2], deixa a sua comunidade e se estabelece, com o consentimento de seu abade, perto da Capela da Madalena, em Bédoin, na diocese de Avinhão. Ali funda um pequeno mosteiro no qual a liturgia, os costumes monásticos e a doutrina são coerentes com a Tradição da Igreja.


Apoiada por Monsenhor Lefebvre e por muitos fieis, a comunidade conhece um desenvolvimento tal que deve

transferir-se à aldeia de Le Barroux[3]. A primeira pedra do novo mosteiro é abençoada em 21 de março de 1980, por Monsenhor Ducaud-Bourget[4], pároco da Igreja de Saint- Nicolas du Chardonnet[5] em Paris.


O crescente número das vocações permite enviar um pequeno grupo de monges ao Brasil, guiados por Dom Tomás Ferreira da Costa[6], que lá funda o Mosteiro de Santa Cruz, na diocese de Nova Friburgo.


Depois das consagrações episcopais de 1988, Dom Gerard rompe com Monsenhor Lefebvre e aceita parte da reforma conciliar. Dom Tomás e o Mosteiro de Santa Cruz decidem, então, separar-se de Dom Gerard.


Saem do Le Barroux, Dom Cipriano, que funda o Mosteiro de Nossa Senhora de Guadalupe, nos Estados Unidos, em 1991, e Dom Lourenço Fleichman[7], que se ocupa de uma comunidade de fieis no Rio de Janeiro.


Em 2000, depois de muitos pedidos, Dom Tomás envia à França Dom Anjo[8] para fundar uma comunidade em Vérac, perto de Bordeaux, em um priorado emprestado pela Fraternidade São Pio X. Em 2001, esta comunidade se estabelece na antiga Abadia de Bellaigue[9], no centro da França, e conta atualmente com 25 membros, dos quais seis de profissão solene.


Bellaigue – imagens da Abadia
Silver City - foto mais recentes: Elevação canônica do Mosteiro de Nossa Senhora de Guadalupe, USA, por Monsenhor Alfonso de Galarreta, vestição, ordenações e primeiras Missas
Para saber mais, veja sites Web da Abadia de Bellaigue (em francês) e do Mosteiro de Nossa Senhora de Guadalupe (em inglese).




Fonte: FSSPX/Italia
Tradução: Giulia d'Amore di Ugento



FOTOS:


Dom Anjo Ferreira da Costa
  

Dom Gérard Calvet e Pe. de blignieres

Os Fleichman: Dom Lourenço e Júlio
Dom Lourenço de Niterói



Dom Tomás de Nova Friburgo



Dom Cipriano (EUA)



Dom Plácido de Bellaigue




[1] NdTª.: Dom Gerard Calvet (1927-2008) foi um religioso francês, fundador e primeiro abade do Mosteiro Le Barroux. Calvet apoiou a fundação da Peregrinação Chartres, uma peregrinação anual de três dias, para os católicos tradicionais, de Paris a Chartres, na França. Em 1986, ele publicou a Cristandade de Amanhã, no qual criticou duramente a falta de espiritualidade Cristã na Europa. Em 1988, rompeu com Mons. Lefebvre e aceitou parte da doutrina do CVII.
Le Barroux
[2] NdTª.: Abadia de São Bento de En-Calcat é uma abadia beneditina da Congregação de Subiaco, uma união internacional de abadias e casas beneditinas que fazem parta da Confederação Beneditina dentro da Ordem de São bento, formada em 1872.
[3] NdTª.: Abadia de Sainte-Madeleine du Barroux foi fundada em Le Barroux em 1978, por Dom Gérard Calvet, OSB. O complexo abacial é construído em formas neorromânicas. O decreto de elevação canônica (Elevação canônica: para fundar um mosteiro ou abadia, como 'casa regular formada', de acordo com uma dada Ordem religiosa, é necessária a permissão da Santa Sé, pelo menos no caso dos países indicados na Constitutio Romanos Pontifices. É também necessária a confirmação do Ordinário do lugar - isto é, da autoridade episcopal ou sua representante -, tal como foi estabelecido no Concílio de Calcedónia em 451 e restaurado no Concílio de Trento, depois de algumas violações da letra de lei pelas Ordens mendicante) foi concedido em junho de 1989. A abadia, consagrada a santa Madalena, faz parte da Confoederatio Benedictina Ordinis Sancti Benedicti, desde 2008. A língua liturgia das celebrações é o latim no rito de São Pio V.
Saint-Nicolas-du-Chardonnet
[4] NdTª.: François Ducaud-Bourget (1897-1984), monsenhor, foi um proeminente prelado católico francês tradicionalista, sacerdote e aliado do Arcebispo Marcel Lefebvre. Era capelão da Ordem da Cruz de Malta, aparentemente foi privado do título mais tarde, embora as informações a respeito sejam confusas. Rejeitou a revisão do Missal Romano, quista pelo CVII, e organizou a celebração da Missa Tridentina na capela do Hospital Laënnec. Quando foi excluído deste, tentou em vão obter do Cardeal Arcebispo de Paris, Gabriel Auguste François Marty, outro lugar onde somente o rito Tridentino fosse celebrado. Em 27 de fevereiro de 1977, organizou a tomada da Paróquia de Saint-Nicolas-du-Chardonnet (vide nota abaixo), expulsando o responsável. Quando ele morreu, em 1984, foi sepultado na igreja de Saint-Nicolas-du-Chardonnet. Ele foi sucedido no comando da paróquia pelo padre Philippe Laguérie, que mais tarde fundou o Instituto do Bom Pastor.
[5] NdTª.: Saint-Nicolas-du-Chardonnet é uma igreja católica situada no centro histórico de Paris. Em 1977, foi ocupada pela Fraternidade Sacerdotal São Pio X. A cidade de Paris resolveu tomar providências e, em 1978, a Corte de Cassação francesa confirmou que a ocupação da igreja era ilegal, mas não expediu nenhuma ordem de evacuação. Em 1987, o Conselho de Estado decretou que essa ocupação era uma 'perturbação da ordem pública' e que a expulsão dos precedentes membros católicos era um crime mais grave que o da ocupação ilegal. Em 2002, o Conselho Municipal parisiense decretou a expulsão dos tradicionalistas, contra o parecer do prefeito socialista, Bertrand Delanoë, que considerava este um assunto interno da Igreja Católica. Site da Paróquia.
[6] NdTª.: Tomás de Aquino Ferreira da Costa é um monge beneditino brasileiro egresso do Mosteiro Le Barroux e fundador do Mosteiro da Santa Cruz, em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, em 03 de maio de 1987. Havia ingressado em Bédoin em 1974. Quando Dom Gérard decidiu se separar de Mons. Lefebvre, dom Tomás resolveu deixá-lo, Dom Gérard tentou retomar o mosteiro, mas foi impedido pelos monges e por fieis, entre os quais Júlio Fleichman (vide nota abaixo).
[7] NdTª.: Lourenço Fleichman é um monge beneditino brasileiro também egresso do Mosteiro Le Barroux. É responsável pela comunidade católica tradicionalista do Rio de Janeiro/Niterói e pela editora Permanência, que foi fundada, em 1968, por Gustavo Corção(1896-1978) escritor e pensador católico brasileiro, um dos expoentes da Tradição Católica no Brasil. O nome da revista provém da revista francesa Permanences criada por Jean Ousset, o fundador da Cité catholique (ICHTUS). Biografia de Corção. No Rio de Janeiro, a Missa é celebrada na casa de família de Dom Lourenço, a Capela São Miguel, no Cosme Velho. Em Niteroi, na Capela Nossa Senhora da Conceição, onde é auxiliado pelo padre Rodolfo Eccard Vieira, da FSSPX. História da Capela de Niteroi. Dom Lourenço é filho de Júlio Fleichman (1928-2005), brasileiro de origens russas, judeu convertido ao Catolicismo e próximo de Gustavo Corção, com o qual participou do Centro Dom Vital. De 1963 a 1988, trabalhou no departamento jurídico da Coca Cola. Casou-se, em 1956, com Anna Luiza de Siqueira Menezes, no Mosteiro São Bento, no Rio de Janeiro, onde também foi batizado; tiveram quatro filhos. Assumiu a presidência da Permanência por 22 anos. Foi um grande colaborador da Tradição. Biografia de Júlio Fleichman (em francês).
[8] NdTª.: José Antônio Ferreira da Costa (1965-2008), dom Anjo, foi um monge beneditino brasileiro, prior do Mosteiro de Bellaigue. Breve e tocante biografia pela Permanência.
[9] NdTª.: Abadia de Bellaigue é uma abadia beneditina em Virlet, França. Em 2000, quatro monges se instalam em Bellaigue; em 2008, já eram vinte e seis. Após o falecimento do prior, dom Anjo, o protetor episcopal do mosteiro, S.E. Monsenhor Afonso de Galarreta, nomeou o então celeireiro, padre Matthäus, como superior pelo período de três anos. Em 08/04/11, sob a presidência de Dom de Galarreta, os monges elegeram o então mestre dos noviços, Dom Plácido, como novo prior. Dom Plácido é brasileiro (1978) e foi ordenado em Ecône (2007). O mosteiro beneditino de Bellaigue planeja uma fundação filha na Alemanha, cujo prédio já foi comprado e estará sob a direção do padre Peter Lang (Mosteiro Reichenstein). Site da Abadia.

*

Subscrive here! Siga este blog, receba as novidades por e-mail!

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

Se vc é das Missões Cristo Rei, cadastre-se aqui

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA