Pesquisar este blog

Novidades!!!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

São Pedro Damião, Bispo, Confessor e Doutor

23 de Fevereiro 

São Pedro Damião

Bispo, Confessor e Doutor 


São Pedro Damião, Cardeal e Doutor da Igreja, nasceu pelos fins do ano 1006, ou em começo de 1007, em Ravena (Itália).  

Com receio de ser parcelada demais a fortuna da família, em virtude da prole numerosa, a mãe expô-lo, retomando-o pouco depois. Pedro perdeu os pais muito cedo e ficou debaixo das ordens de um irmão mais velho, que o tratava com muita dureza e sem a menor caridade.  

Tendo 10 anos, a sorte de Pedro melhorou. Um outro irmão, também de nome Damião, que era arcipreste em Ravena, recebeu-o em casa, introduzindo-o no estudo das ciências e foi para ele um pai carinhoso. Para mostrar-lhe a gratidão, Pedro adotou o cognome de Damião. Durante alguns anos, teve por professores esse irmão e um outro sacerdote. Mais tarde continuou os estudos em Faenza e Parma. Nesta última cidade e depois em Ravena, exerceu o cargo de professor. Em todo este tempo se lhe realizou na alma grande mudança.  



Aos 28 anos, fez-se monge do Eremitério de Fonte Avelana, na diocese de Faenza. Com dedicação a mais extremada trabalhou na sua santificação, lançando os alicerces de uma vida ascética, que não mais largou até à morte. Diversos outros mosteiros convidaram a Pedro para pregações e para reformá-los em seu espírito.  

Morto o prior de Fonte Avelana, foi Pedro eleito seu sucessor. Como Superior, dirigiu toda a atenção à formação de um bom espírito ascético nas comunidades. Para este fim, escreveu as biografias dos Santos Odilon, Romualdo, Domingos Loricato e Rodolfo de Eugubio, que apresentavam aos monges exemplos perfeitos da vida religiosa.


Pedro não podia ficar indiferente diante da situação triste em que se achava a Igreja Católica. A Sé Apostólica tinha se tornado objeto de aspirações ambiciosas e achava-se em certa pendência da casa imperial da Alemanha. Em condições análogas estavam as dignidades eclesiásticas na Itália, França e Alemanha. Os prepotentes da política vendiam-nas a troco de dinheiro, ou davam-na às suas criaturas. Grande parte do clero tinha-se esquecido de sua alta missão e estava entregue ao vício da simonia ou nicolaitismo. O povo cristão estava sem guias, e o espírito da impiedade alastrava-se cada vez mais.

Pedro Damião se opôs com toda a força a este estado de coisas. Pôs-se em comunicação direta com os Papas Gregório VI, Clemente II, Leão IX, Estevão IX, e Nicolau II e conseguiu que se abrisse forte campanha contra os dois abusos, que tanto prejudicavam a obra de Cristo na Terra.

Ele mesmo escreveu duas monografias, em que tratou das duas chagas perniciosas no corpo da Igreja. A segunda publicação, contra o nicolaitismo, criou-lhe muitos adversários por causa do assunto, e do modo franco e enérgico com que desvendou e atacou o mal.

O Papa Estevão IX, porém, o nomeou Cardeal-Bispo de Ostia, dignidade a que se achava ligada outra, de decano do Colégio Cardinalício.

Para que Pedro Damião se resolvesse a aceitar a púrpura, foi preciso o Papa ameaçá-lo de excomunhão.

Grandiosa foi a atividade de Pedro Damião na reforma religiosa, em muitas dioceses. Comissões dificílimas e bem melindrosas foram-lhe confiadas pelos Papas, e sua prudência,  energia e caridade conseguiram os mais brilhantes resultados. Foi este o motivo por que os Papas tão pouca disposição mostraram de aceitar-lhe o reiterado pedido de exoneração, para poder voltar ao querido eremitério.  


Muito bem fez a Santa Sé em não se ter privado da cooperação de tão hábil diplomata e santo reformador. A política abusiva do partido imperial na eleição do sucessor de Nicolau II (1061) necessitava de um regulador prudente e enérgico, da têmpera de um Pedro Damião.

Em muitas questões difíceis e melindrosas, quer entre diocesanos e a autoridade diocesana, quer entre religiosos e Bispos, era-lhe decisivo o arbítrio.

Tendo 67 anos de idade, foi enviado ao “Reichstag” de Frankfurt para, na qualidade de delegado pontifício, protestar contra o projeto do imperador Henrique IV, de divorciar-se da legítima mulher.

O Arcebispo de Ravena tinha incorrido na excomunhão e morrido sem absolvição. Reinava na cidade forte animosidade contra Roma. Pedro Damião acalmou os espíritos e restabeleceu a paz. Foi esta a última obra do Santo na sua vida. Ansioso por procurar o merecido descanso em Fonte Avelana, morreu na viagem, em Faenza, no ano de 1089, tendo 83 anos de idade.

São Pedro Damião é enumerado entre as figuras clericais mais eminentes de todos os tempos. Foi grande como sábio, religioso, sacerdote e cardeal. Admiráveis e fora do comum eram-lhe os conhecimentos, principalmente da jurisprudência; admirável era a franqueza apostólica, com que profligava os vícios do tempo; admirável a austeridade e santidade de sua vida; admirável a piedade e zelo sacerdotal; admirável enfim, a dedicação incondicional à Santa Sé e o entusiasmo e atividade pela prosperidade da Igreja.  


O corpo do grande Santo descansa na Igreja dos Cistercienses, em Faenza. Leão XII deu a S. Pedro o título honroso de Doutor da Igreja.
 

Fonte: http://www.paginaoriente.com/santosdaigreja/fev/pedro2102.htm. Vide também: http://fraternidadesaogilberto.blogspot.com.br/2012/02/sao-pedro-damiao-bispo-e-doutor-da.html.  

Leia também, escrito pelo Santo, acerca da hediondez do homossexualismo: http://farfalline.blogspot.com/2013/08/da-hediondez-do-homossexualismo.html.
  
 
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA