Pesquisar este blog

Novidades!!!

domingo, 13 de julho de 2014

A “Bela Primavera” descansou em Deus e, agora, o Vietnã desperta para a Fé!

Notícia antiga (2011), a primeira, mas que merece ser conhecida e que abre uma janela de esperança sobre um País comunista (2ª notícia).

Aos puristas que torcem o nariz porque, evidentemente, se trata da igreja conciliar, gostaria de lembrar que nem todos - creio que 90% - dos que são Tradição hoje são tradicionalistas de berço!!! É preciso compaixão no combate, e manter a porta aberta. Apenas os sectários - e hipócritas - do alto de um imaginário púlpito, batem no peito e condenam essas conversões. Para mim, são o primeiro passo para chegar à verdadeira conversão. Seria ideal se todos se convertessem, de cara, à Igreja Católica, mas como é possível em lugares onde é quase impossível ser cristão e tudo o que eles têm é a Igreja oficial? De grão em grão, a galinha enche o papo: de passo em passo as boas almas voltam à Casa Paterna. 

Grifos nossos.

A “bela primavera” descansou em Deus.
Oriunda de estirpes de alta linhagem e célebre pela ferrenha oposição que ofereceu ao Comunismo no Vietnã, aos 86 anos faleceu piedosamente em Roma a indômita Madame Ngô Đình Nhu, cujo nome de solteira – Tran Xuan – significa “bela primavera”. Ela contava 86 anos. Era Domingo da Páscoa, na bela primavera europeia.

Convertida em 1943, Madame Nhu [na foto, de véu assistindo uma Missa] manteve-se militante católica até os últimos anos de sua vida, só saindo de casa para ir à Missa. Esta boa católica incutia tanto medo aos comunistas do Vietnã que estes a chamavam de “Madame Dragão”.

Seus pais – Tran Van Chuong e Nam-Tran Chuong – eram budistas e renunciaram aos postos de embaixador nos EUA e de observadora permanente junto à ONU em protesto pela orientação católica e anticomunista do governo sul-vietnamita de Ngô Đình Diệm (
Jean-Baptiste Ngô Đình Diệm), junto ao qual a filha exercia grande influência.


Madame Nhu era casada com Ngô Đình Nhu (1910-1963), irmão caçula e conselheiro político de Ngô Đình Diệm (1901-1963), Presidente do Vietnã. Eles eram filhos de um mandarim conselheiro do Imperador da Indochina cuja família fora convertida ao Catolicismo por missionários portugueses no séc. XVII. E se honravam de ser irmãos do Arcebispo de Hué, Dom Ngô Đình Thục [Quando os irmãos foram assassinados em 1963, Dom Pierre Martin Ngô Đình Thục se encontrava em Roma, para o famigerado Vaticano II e não retornou mais ao Vietnã, exilando-se em Tolone, na França - o que, digamo-lo, não tem nada de honrado].

Após diversas vicissitudes, em 1955 – ano no qual Ngô Đình Diệm se tornou seu primeiro presidente – o Vietnã estava dividido em duas partes: o Norte comunista, com capital em Hanói, e o Sul capitalista, sediado em Saigon [atual Ho Chi Minh]. Apoiado pela China, o Norte era uma ameaça constante para o Sul, que reagia à altura apoiado pelos Estados Unidos.


Em 1961, com a ascensão de John Kennedy à presidência dos Estados Unidos, as coisas começaram a mudar. Apesar de católico, Kennedy passou primeiro a adotar uma política de passividade em face das agressões que comunistas e budistas inimigos da Fé moviam contra o governo sul-vietnamita, passando depois a uma política colaboracionista. Assim, seguindo ordens diretas de Kennedy, o embaixador Henry Cabot Lodge deixou de comparecer às reuniões com o Presidente Ngô Đình Diệm, avalizando implicitamente aquelas agressões.
.

Tal situação perdurou até o momento em que, sabendo que alguns generais sul-vietnamitas estavam dispostos a dar um golpe, o governo norte-americano lhes fez saber que podiam agir livremente, pois os Estados Unidos não impediriam.

Assim, no dia 1º de novembro de 1963 o Palácio Presidencial foi cercado, mas o Presidente e seu irmão conseguiram fugir por uma passagem secreta. Capturados no dia seguinte, ambos foram assassinados cruel e friamente por um capitão do exército.

Tudo isso provavelmente não teria acontecido se motivos de ordem pessoal – uma operação no olho – não tivessem obrigado Madame Nhu a prolongar contra a sua vontade a permanência nos Estados Unidos, pois ela, ao contrário do Presidente e do seu marido, não confiava no governo Kennedy.

Seja como for, não se completaram três semanas e chegara a vez de Kennedy prestar contas. Seu assassinato em Dallas no dia 22 de novembro foi interpretado pela Madame Nhu como um castigo de Deus pelo hediondo crime contra os dois líderes anticomunistas e contra o próprio Vietnã, cuja rendição ao Comunismo estava sendo cuidadosamente preparada.

E chegou ao seu termo no dia 30 de agosto de 1975, quando o país foi unificado sob a bota comunista. Iniciou-se então para a sua população um verdadeiro calvário. Milhares de pessoas de todas as idades e condições se puseram em dramática fuga através dos mares, sem que as nações os acolhessem. Ou quando algumas poucas o faziam, eles eram colocados indefinidamente em condições simplesmente subumanas.
.

Em meio a todos esses horrores e traições, uma nota de dignidade: quando, pressionado por Nixon o iniciador da abertura para a China e consumador da traição de Kennedy em relação ao Vietnã – chegou o momento de o embaixador sul-vietnamita assinar em Paris o “tratado de paz” com o Norte, ele o fez; mas em seguida, indignado, jogou a caneta ao chão!

Esta cena foi fixada pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira no artigo que escreveu para a Folha de S. Paulo, intitulado: “Jogando a caneta no chão”. Aliás, por iniciativa do fundador da TFP, esta organização foi das poucas vozes que se alçaram em defesa dos vietnamitas no decurso de seu trágico e longo opróbrio.

Dolorida, de seu exílio a tudo assistiu Madame Nhu. Mas agora, da Eterna Primavera, para o seu Vietnã querido, mas traído, vilipendiado e escarnecido, ela está implorando à Rainha do Céu e da Terra a pronta libertação da tirania comunista.

4 de maio de 20111
Helio Dias Viana é colaborar da ABIM


Segunda notícia do Vietnã, esta atualíssima: 


Onda de conversões de adultos no Vietnã


Tô Hai
No Vietnã, o vazio gerado pelo ateísmo comunista produz efeitos análogos aos verificados na China, atraindo muitas almas para a Igreja Católica. Em Ho Chi Minh City, antiga Saigon, a maior cidade do país, 680 mil dos 9 milhões de habitantes são católicos, e seu número cresce, causando preocupação ao regime socialista. A recente conversão de Tô Hai, “prócer” do comunismo vietnamita e célebre compositor nacional, causou sensação.

Em 2012, por exemplo, foram batizados 6.736 adultos oriundos do ateísmo, do budismo ou do culto aos antepassados. O número anual de batismos de bebês é o triplo.

As dioceses católicas vietnamitas, que reúnem 7 milhões de fiéis num total de 90 milhões de habitantes, não concedem dispensas para a celebração de matrimônios de católicos com não católicos. Por isso podem ocorrer conversões insinceras, embora minoritárias. O que felizmente tem prevalecido é a fé sincera de um dos cônjuges tocando o coração do outro.

Teresa e seu filho
É o caso, por exemplo, de Teresa Nguyen Thuy Kieu, que abandonou o budismo em 2005 porque admirava a firmeza católica de seu noivo. Hoje ela é uma militante da Legião de Maria que ensina o catecismo duas tardes por semana, acompanha adultos em processo de conversão e tenta ir à missa todos os dias, além dos cuidados com sua loja e dois filhos pequenos.

Teresa já teve seu “batismo de sangue” com os médicos socialistas do governo que rotineiramente tentam fazer as grávidas abortarem. No caso de seu segundo bebê, o médico lhe anunciou que ele nasceria com deficiência e a pressionou para o abortasse.

Sendo católica e sabendo que abortar é assassinar, recusou a tentação e confiou o caso a Deus. A criança nasceu prematuramente, mas hoje, com quase um ano, está forte e cheia de saúde.

O exemplo de Teresa Kieu de tal modo impressionou sua família, que sua mãe, sua cunhada e seus 11 sobrinhos pediram o batismo.

O socialismo olha para os católicos com menosprezo, desdém e desconfiança, mas essa oposição dos sem-Deus não consegue conter a onda de conversões suscitadas pela graça divina.

Luis Dufaur é escritor e colaborador da ABIM


Fontes 1ª notícia:
http://www.abim.inf.br/a-bela-primavera-descansou-em-deus/#.U8LUmLFH4qI 
http://cabresto.blogspot.com.br/2014/07/onda-de-conversoes-de-adultos-no-vietna.html 
http://www.abim.inf.br/vietnamitas-homenageiam-presidente-catolico-assassinado-em-1963-com-o-apoio-de-john-kennedy/#.U8LXxLFH4qJ 

Fontes 2ª notícia:
http://ncronline.org/news/faith-parish/converts-find-moral-support-catholicism 
http://dc251.4shared.com/doc/7aejlXAf/preview.html 
http://www.asianews.it/news-en/North-Vietnamese-artist-and-Communist-To-Hai-converts-to-Christianity-31251.html 

  
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA