Pesquisar este blog

domingo, 19 de maio de 2013

MONTFORT: Como se carrega a cruz

A Cruz: nada é tão útil e tão agradável


Carregue sua cruz alegremente e você ficará completo
com o amor divino; porque somente sofrendo podemos
residir no puro amor de Cristo.
(...) Mas se, ao contrário, vocês sofrem da forma correta, a cruz se tornará um jugo fácil e leve, visto que o próprio Cristo a carregará convosco. Dará asas a vocês para elevá-los aos Céus; se tornará o mastro do seu navio, conduzindo-os direta e facilmente ao porto da salvação. Carregue sua cruz pacientemente, e será uma luz em sua escuridão espiritual, porque aquele que nunca sofreu provas é ignorante. Carregue sua cruz alegremente e você ficará completo com o amor divino; porque somente sofrendo podemos residir no puro amor de Cristo. Rosas são encontradas somente entre os espinhos. É a cruz sozinha que alimenta nosso amor de Deus, como a madeira é o combustível que alimenta o fogo. Lembre do belo dito na "Imitação de Cristo", "Conforme você faça violência a si mesmo, sofrendo pacientemente, assim você progredirá" no amor divino.

Não espere qualquer coisa daquelas pessoas sensíveis e preguiçosas que rejeitam a cruz quando esta delas se aproxima, e que são cuidadosas em não procurar por cruzes. O que elas são senão uma terra inculta que não produzirá nada a não ser espinhos porque não foi trazida à tona, trabalhada e modificada por um lavrador experimentado? Elas são como água podre, que é inadequada tanto para lavar quanto para beber.

Carregue sua cruz alegremente e você encontrará nela uma força toda-poderosa que nenhum de nossos inimigos será capaz de resistir, e você encontrará nela um prazer além de tudo aquilo que você já conheceu. Realmente, irmãos, o verdadeiro paraíso terrestre é encontrado no sofrimento por Cristo. Pergunte a qualquer dos Santos, e eles lhe contarão que eles nunca experimentaram um banquete mais delicioso para o espírito do que o experimentar os graves tormentos.

"Deixe todos os tormentos do demônio virem sobre mim", dizia Santo Inácio, o Mártir. "Deixe-me sofrer ou morrer", dizia Santa Teresa de Ávila. "Não morrer sem sofrer", dizia  Santa Maria Madalena de Pazzi. "Eu posso sofrer e ser desprezado pelo seu propósito" dizia o Bendito João da Cruz. E muitos outros têm falado nos mesmos termos, como nós lemos sobre suas vidas.

Meus queridos irmãos e irmãs, tenham fé na palavra de Deus, porque o Espírito Santo nos diz que, quando nós sofremos alegremente por Deus, a cruz é a fonte de todo tipo de alegria para toda espécie de pessoas. A alegria que vem da cruz é muito maior que a de um homem pobre que repentinamente herda uma fortuna, ou de um camponês que é levado ao trono; maior do que a alegria de um negociante que se torna milionário; do que a de um líder militar sobre as vitórias que ele obteve; do que a dos prisioneiros libertos de suas correntes. Em resumo, imaginem maior alegria do que a que pode ser experimentada na terra, e entenda então que a felicidade de alguém que tolera seus sofrimentos no caminho da justiça contém, e até sobrepuja, todos elas.


De "Carta aos Amigos da Cruz" - São Luiz de Montfort

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA