Pesquisar este blog

Novidades!!!

sábado, 16 de agosto de 2014

16 de agosto - São Joaquim, pai da Virgem Maria

16 de agosto 

São Joaquim 

Pai da Virgem Maria, esposo de Santa Ana 


por Giulia d'Amore 
  


clique para ver mais imagens imprimíveis
Joaquim – do latim Ioachim, e este do hebraico Jojakim (Yônâkhîr): “Preparação de Javé” – foi pai da Virgem Maria e avô de Jesus Cristo, e é venerado como Santo pela Igreja.

De acordo, São Joaquim é identificado com Heli, através da variação do nome: Joaquim - Eliaquim - Eli - Heli.

São Joaquim não é mencionado nos textos canônicos. Sua história é narrada por três evangelhos apócrifos – o Protoevangelho de Tiago, o evangelho do pseudo-Mateus (ou “Liber de ortu beatae Mariae Virginis”) e o “Evangelium de nativitate Mariae”, nos quais se inspiraram Santo Agostinho, o Papa Inocêncio I e a “Legenda Aurea” de Jacopo da Varagine (ou de Varazze)(*), e também na “Caverna dos Tesouros” (os quinhentos anos, desde o segundo ano de Ciro até o nascimento de Cristo: as genealogias dos israelitas mais tardios), atribuído a Efrém da Síria.

Joaquim e seu irmão gêmeo Jacó eram filhos de Matã e Sebhrath. Sebhrath era filha de Finéias, e Matã era filho de Eleazar e Dîbath, filha de Tôlâh. Os dados biográficos que sabemos sobre os pais da Virgem Maria foram legados pelo Proto-Evangelho de Tiago, obra citada em diversos estudos dos padres da Igreja Oriental, como Epifânio e Gregório de Nissa




São Joaquim, homem virtuoso e muito rico da tribo do Reino de Judá e da estirpe de Davi, casou-se com Santa Ana (Hannâ ou Dînâ) já em idade avançada, e a união não produziu prole, o que causava constrangimentos a Joaquim. Certa vez foi impedido de sacrificar no Templo por tal Ruben por não ter dado filhos a Israel, coisa que no mundo hebraico era vista como sinal de castigo divino por causa de algum pecado. Joaquim, então, se retirou para o deserto, entre pastores, para jejuar e rezar. Enquanto ele estava no deserto, um Anjo do Senhor apareceu a Ana para anunciar-lhe que logo conceberia um filho: “Ana, o Senhor ouviu tua oração: conceberás e darás a luz. Sobre o fruto de teu ventre falará o mundo inteiro”. O mesmo Anjo apareceu contemporaneamente em sonho a Joaquim. Pela manhã, os dois se encontraram na Porta Aurea de Jerusalém e trocaram um casto beijo. Os autores medievais viam nesse casto beijo o momento da Imaculada concepção de Maria.

Segunda a Tradição, Joaquim, Ana e Maria menina moravam em Jerusalém, próximo à Porta dos Leões, na parte nordeste da cidade velha, onde há os restos da piscina de Betesda. Hoje, naquele local há uma igreja construída pelos Cruzados no século XII, dedicada a Sant'Ana e custodiada pelos Padres Brancos (Sociedade dos Missionários da África, fundada em 1868, por Dom Charles Lavigerie, Arcebispo de Argel).

Segundo a Tradição cristã, naquela casa simples de Jerusalém, em um sábado, 8 de setembro do ano 16 a.C., nasceu Miriam, que em hebraico significa “Senhora”, “Soberana”, traduzido para o latim como “Maria”.

São Joaquim morreu com a idade de oitenta anos, quando Maria Santíssima ainda tinha doze anos e era aluna da escola do Templo de Jerusalém, onde fora oferecida aos três anos de idade.

A devoção aos pais de Nossa Senhora é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos da Era Cristã, atingindo sua plenitude no século VI. São João Damasceno, ao comentar a Natividade de Maria, fala dos pais de Maria como sendo um "um casal venturoso!".

No Ocidente, o culto de São Joaquim foi autorizado pelo Papa Júlio II por volta do século V, mas Pio V suprimiu a festa até que Gregório XV, em 1621, a repristinasse, sendo confirmada definitivamente por Leão XIII, cujo nome de batismo era Joaquim, em 1879, ao estender a festa a toda a Igreja. .

Sua festa era celebrada originalmente no dia 20 de março, associada à de São José, tendo sido depois definitivamente transferida para o dia 16 de agosto, para associá-lo ao triunfo da Filha na celebração da Assunção, no dia precedente.   



São Joaquim, rogai por nós!  


______________________________
Notas: 
* Jacopo de Varazze foi arcebispo de Gênova (1292-1298) e autor da obra conhecida como "Legenda Áurea" que narra a vida de santos; é um dos mais famosos trabalhos hagiográficos da Idade Média. Jacopo nasceu em Varazze na Ligúria (noroeste da Itália) e tornou-se dominicano em 1244, vindo a ser prior de Como, Bolonha e Asti. Foi o superior para a região da Lombardia de sua Ordem entre 1267 e 1286. Em 1295, conseguiu pacificar os Guelfos e os Gibelinos, em guerra há tempos. Também pacificou Gênova e Veneza, em contenda pelo domínio dos mares e dos temperos indianos. Antes de morrer, determinou que o dinheiro para o funeral fosse dado aos pobres. O culto a Jacopo parece ter começado pouco depois de sua morte, em 1298, e foi ratificado pelo Papa Pío VII, em 1816, que permitiu ao clero de Genova, Savona e toda a Ordem de Santo Domingo, celebrar sua festa como a de um santo. 


Vide Também: 


Oração (Novena) a São Joaquim: http://precantur.blogspot.com/2014/08/oracao-sao-joaquim-pai-da-virgem-maria.html.
Novena a São Joaquim e a Santa Ana para os idosos: http://precantur.blogspot.com/2014/08/novena-de-sao-joaquim-e-santa-ana.html.
  

 +
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA