Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sentenças e avisos úteis para a direção da alma no caminho da perfeição cristã - II

Sentenças e avisos úteis para a direção da alma no caminho da perfeição cristã


Não é minha intenção que este volume cresça nimiamente, e me acho já muito adiante, quando ainda restam doutrinas em outras matérias não menos importantes que as passadas. Pelo que, mudando de estilo, reduzirei a documentos breves os que podiam ser discursos mais difusos. Espero que assim seja mais grato e útil aos leitores, em razão da brevidade e variedade amigas da natureza humana. Por isso porventura seguiram esta forma de escrever S. Martinho Dumiense Arcebispo de Braga, S. Diadoco Bispo Foticense, João Bispo de Carpácia, S. Nilo Abade, S. Hesíquio, S. Isaac Siro, S. Hiperíquio Presbíteros, S. Simeão Júnior, S. Máximo Mártir Constantinopolitano, Talássio, Evágrio Monges, S. Marcos Eremita e outros Padres. Dos quais, e de outros autores espirituais famigerados são excertos pela maior parte os avisos que aqui damos, omitindo outros, cuja luz por ser muito alta e forte, poderia ofender os olhos menos puros. Vão distribuídos em seis classes


I – Dos que são mais especulativos ou teóricos. 09/04/2014
II — Algumas outras sentenças notáveis por sua brevidade e substância. 16/04/2014
III — Avisos e Documentos práticos que respeitam o trato da alma com Deus. 23/04/2014
IV — Os que respeitam o trato da alma consigo. 30/04/2014
V — Os que respeitam o trato da alma com os próximos. 07/05/2014
VI — Os que pertencem ao conflito da alma com o tentador. 14/05/2014




II — Algumas outras sentenças notáveis por sua brevidade e substância. 




Adverte-se que estas sentenças não se põem aqui juntas, para que se leiam juntas; nem se escolheram breves, para se passarem brevemente; porque seria isso causa de que nenhuma se nos imprima, nem sirva de regra prática de nossas ações. Deve-se usar delas como de grãozinhos aromáticos, que se trazem na boca muito tempo e em pouca quantidade.

1. O Evangelho e as vidas dos Santos distinguem-se como a solfa escrita ou cantada. De S. Francisco de Sales.

2. Ser perseguido sem culpa é bocado sem osso. Do Padre Baltasar Álvares.

3. Quando chegares ao fim dos desejos, tens chegado ao princípio da paz. Do Padre Eusébio Nieremberg.

4. Quem vive bem, calando prega. De Kempis.

5. Só a caridade é o distintivo entre os filhos de Deus e os do diabo. De S. Agostinho.

6. Guarda o que Deus te deu, guarda-te do que proibiu, e espera o que prometeu. De S. Bernardo.

7. Quando o homem trata da eternidade, fala o cego da luz. De S. Gregório Magno.


8. Bom é, Senhor, o teu Céu; melhor a tua vontade. Do V. Antão Martins, companheiro de S. João de Deus.

9. O Religioso que tem real, não o vale. Era Provérbio entre os Monges antigos: Monachus, qui habet obolum, non valet obolum.

10. O clamor dos pobres é opróbrio dos ricos. De São Crisóstomo.

11. Melhor é fazer um ato de obediência, do que seiscentos milagres. D. B. Estevão Conde Tironense.

12. Quem não trabalha pela virtude, não provará da sua doçura. De Kempis.

13. Guarde-se o moço da luxúria e o velho da avareza: e ambos serão Santos. De S. Filipe Néri.

14. Quem quiser que lhe obedeçam muito, mande pouco. Do mesmo.

15. Não tardes em bem obrar; porque a morte não tarda em vir. Do mesmo.

16. Suma miséria é ser rico de conceitos e pobre de afetos; rico de verdades e pobre de virtudes. Do P. Luís de la Puente.

17. A pressa é a peste da devoção. De S. Francisco de Sales.

18. Para que não caias nas coisas grandes, acautela-te nas pequenas. S. Isaac Presbítero.

19. Quem não busca a Cruz de Cristo, não busca a glória de Cristo. Do B. Fr João da Cruz.

20. Ninguém é menos conhecido que cada um de si mesmo. Nemo minus notus, quam quisque sibi. S. João Crisóstomo.

21. A humildade é precursora da caridade; como o Batista o foi de Cristo. De um monge do Ermo.

22. Calar-se é ausentar-te. Peregrinatio est tacere. De um Padre do Ermo.

23. Nada mais depressa dana a um homem, como outro homem. Nihil citius perverit hominem, quam alter homo. Oleastro.

24. Muito amor, pouco trabalho. Labor nullus, amor magnus. De S. Agostinho.

25. Quanto mais honrados, mais arriscados: Quanto plus honoramur, tanto plus periclitamur. De S. Agostinho.

26. O misericordioso, tantos servos tem quantos dinheiros. Homo misericors tot servos habet quot numos. S. Pedro Crisólogo.

27. Esta palavra Meu só a Deus compete. Soli Deo competi haec voc, Meum. De Filo Hebreu.

28. Os olhos, que o pecador fechou na culpa, esses abrirá na pena. Impius aperiet oculos in paena, quos clausit in culpa. De S. Gregório.

29. As facilidades e brincos são arrancados da castidade expirando. Tactus, et joci sunt moriturae virginitatis principia. S. Hierónimo.

30. O aproveitamento dos Santos, não é mais que chegarem-se para a humildade. Sanctorum omnium profectus, ad humilitatem est accessus. De S. Doróteo.

31. Não pode acontecer coisa mais gloriosa a um Cristão do que padecer por amor de Cristo. De S. Filipe Néri.

32. Enquanto um não tem a perfeição do Anjo, não tem a presunção do diabo. Quandiu perfectionem Angeli non habemus, presumptionem diaboli non habemus. D. August. Lib. 2, de Batismo contra Donat.

33. Se excluis a discrição, a virtude sairá vício. Tolle discretionem: vitium eriat. D. Bernard.

34. Vê a quais agradas e não a quantos. Non quam multis placeas, sed qualibus stude. S. Martinho Dermiense.

35. A tristeza proíbe-lhe a entrada no coração; se já entrou, proíbe-lhe a saída ao rosto. Tristitiam si potes, ne admiseris: sin minus, ne ostenderis. O mesmo.

36. Velho ajuntamento é fazer alforge no fim da jornada. Monstro similis est avaritia senilis. Quid enim stultius est, quam via deficiente viaticum augere? O mesmo.

37. Do irado ao louco, vai só que dura pouco. Nihil interest inter iratum, et insanum, nisi unus dies. O mesmo.

38. O ruim pregando é vide entre silvas. Colhamos o cacho, mas guardemos a mão. Doctrina per malos, palmes in sepe: botrum carpe, spinam cave. De S. Agostinho.

39. Mais segura e humilde está a alma no ouvido do que na língua. Tutius, et humilius audis, quam loqueris. De S. Boaventura.

40. O proveito do auditório é a glória do Pregador. Gloria Praedicatoris, est profectus auditoris. De S. Gregório Magno.

41. Ama o dinheiro que ele te fará Judas. Aurum est cujus amor Judas facit. De S. Agostinho.

42. Ouro adquirido, sono perdido. Acquisisti aurum? Sonum perdidisti. De S. Agostinho.

43. Não faças força se não tens repuxo. Frustra nititur quis, si non innititur. De S. Bernardo.

44. Dentre o mesmo fogo, o ouro lança luz e a palha fumo. Sub uno igne aurum rutilat, palea fumat. De S. Agostinho.

45. Fazer bem é parecer-se com Deus. Nihil adeo divinum habet homo, quam benefacere. De S. Gregório Nazianzeno.

46. Quem não sente a mão de Deus nos benefícios, a sentirá nos castigos. Qui non sentit Deum per beneficia, sentiet per supplicia. De S. Hierónimo.

47.  Se te escusas, fechas a consciência, deixando dentro o pecado, e de fora a indulgência. Si te excusas, claudis sinum, includis peccatum, et excludis indulgentiam. De S. Agostinho.

48. Quem enterra dinheiro, faz casa ao diabo. Qui pecuniam abscondit in terra, diabolo domicilium facit. De João Tritémio.

49. A tentação a ti, e tu a Deus. Do P. M. Mestre Ávila.

50. Das muitas romarias, poucos trazem virtudes. Qui multum peregrinantur, raro sanctificantur. De Kempis.

51. Se fores sofrido, terás Orador. Si tolerans fueris, semper laetus orabis. De S. Nilo.

52. Oração sem distração é suma discrição. Oratio sine distractione est summa intelligentia. De S. Nilo.

53. Choremos o pecador que lhe vai bem; porque está perto o seu castigo. Luge peccatorem felicem: gladius enim justitiae ipsi imminet. Do mesmo.

54. Não tratem muito com quem os bons não louvam. Ne converseris illi, quem a bonis vides culpari. Do mesmo.

55. Costume sem razão é erro velho. Consuetudo sine ratione, vetustas erroris est. De S. Cipriano.

56. Toda a vida devemos aprender a morrer. Tota vita discendum est mori. De Seneca.

57. A maior pena da injúria é havê-la feito. Maxima est factae injuriae paena, fecisse. Do mesmo.

58. Quando o homem nasce, já é tributário da paciência. Patientiae tributarius nascitur homo. Do mesmo.

59. O que notamos fora de nós, temos dentro. Quidquid in alio reprehenditur, id unusquisque in sinu suo inveniet. Do mesmo.

60. Com fundamento teme quem se lembra de que é homem. Bene timet, qui hominem se esse cognoscit. De S. Ambrósio.

61. Nada avalia bem quem se ignora. Nihil recte existimat, qui se ipsum ignorat. De S. Bernardo.

62. O justo tem as coisas comuns por próprias, e as próprias por comuns. Justus communia pro suis habet, sua pro communibus. De S. Ambrósio.

63. Não há pior vida que estarem juntos na habitação os que estão desunidos no espírito. Nulla vita pro certo deterior, quam simul degere corpore, et non mente. De S. Hieronimo.

64. Não vai bem feita a obra que te cativa. Non est sapienter factum, in quo libertas aufertur. Sisto Pitagórico.

65. Religioso sem companheiro é demônio solitário. De S. Tomás de Aquino.

66. Religioso sem oração é soldado sem espada. Do mesmo.

67. Sofre e sofrer-te-ão. Porta, et portaberis. De um padre do Ermo.

68. Guardando a língua, se guarda a concórdia. Rarus sermo concordiam servat. De Hugo de S. Vitor.

69. Quem quer aparecer, nunca chega a contemplar. Nunquam qui vult apparere, potest venire ad contemplationem. S. Francisco de Assis.

70. Os nomes de Jesus e Maria são duas fornalhas em que se torram os demônios. Disse-o a Senhora ao B. Alano.

71. A vontade faz uso, o uso exercício e o exercício forças. Voluntas facit usum, usus exercitium, exercitium vires. S. Bernardo.

72. Fonte é de todos os bens, viver em Comunidade Reformada. Disse-o um Anjo a S. Arsênio.

73. Pela porta do desprezo se entra nos Paços da Perfeição. Zacarias Monge.

74. Maior sabedoria é a pureza de coração, que o estudo das ciências. O Abade Teodoro.

75. Se tu mesmo não tratas da perfeição, nem o Padre espiritual, nem Deus ta darão. Isto escreveu S. Antão a um Monge.

76. A ciência que por amor da virtude se despreza, pela virtude se adquire melhor. De S. Boaventura.

77. Resistindo à paixão se acha a verdadeira paz do coração. De Kempis.

78. A maior parte dos defeitos dos Religiosos procede de que não andam bastantemente na presença de Deus. De S. Francisco de Sales.

79. Para quem Deus é tudo, o mundo é nada. De S. Francisco de Sales.

80. Não te dês por aproveitado, enquanto te não julgas por mais vil que todos. Ne reputes te aliquid profecisse, nisi omnibus viliorem te judicaveris. De Gerson.

81. O que se queima no inferno é só a própria vontade. In inferno sola propria voluntas ardebit. De S. Bernardo.

82. Vai para a tentação quem não vai para a Oração. In tentationem vadit, qui ad orationem non vadit. De S. Pedro Crisólogo.

83. Nenhum exercício agrada a Deus sem prudência. S. Antão Abade.

84. Há tempo em que a boa ordem é haver menos ordem. S. Bernardo.

85. Renovar todos os dias os bons propósitos quebra as forças às tentações. S. Francisco Xavier.

86. Não está o ponto em gostarmos de Deus, senão em gostar Deus de nós. Do Mestre Ávila.

87. O castigo da luxúria oculta é a soberba manifesta. S. Agostinho.

88. Melhor é não fazer o bem, que faze-lo por vanglória. S. João Crisóstomo.

89. As honras de ordinário mudam os costumes. S. Gregório.

90. Não é perfeito quem o não apetece ser mais. S. Bernardo.

91. Os trabalhos não são ira de Deus; senão admoestações e misericórdia. S. João Crisóstomo.

92. A virtude vence quando é oprimida. S. João Crisóstomo.

93. O Demônio vence não a quem fere, mas a quem desanima. S. Francisco de Sales.

94. Não evitará imaginações torpes quem não procura ter pensamentos honestos. S. Gregório.

95. O pejo no mau é bom, e no bom é mau. S. Gregório.

96. Não busques servir a Deus senão do modo que ele quer. Eusébio Nieremb.

97. Não impedem tanto a contemplação as ações exteriores quanto as paixões interiores. O mesmo.

98. Sofrer nossos inimigos não é menos vitória que vencê-los. S. Gregório.

99. As imagens e Oratórios hão de servir ao espírito, e não ao apetite. Do B. João da Cruz.

100. Tanto aproveitarás, quanto te violentares. Tantum proficies, quantum tibi ipsi vim intuleris. Kempis.

101. Não serás verdadeiro humilde senão fores de outros desprezado. Florêncio.

102. Não acharás a Deus senão onde por ele deixares as criaturas. Taulero.

103. A boca fechada faz que tenha o coração paz. Magnum bonum pro pace cordis,
 silencium oris. Kempis.

104. Ver-se-á a cada passo inconstante, quem se leva do sabor dos seus exercícios. B. João da Cruz.

105. Não é forte o espírito que não cresce à vista da dificuldade. S. Bernardo.

106. Crê-me, que tanto menos padecerás, quanto mais quiseres padecer. P. Eusébio.

107. A boa razão cura a tristeza. Tristitiae medicus est ratio. S. Basílio Magno.

108. Os olhos da intenção reta inclinam a si os olhos do agrado divino. S. Maria Madalena de Pazzi.

109. Para a perfeição importa irmos não andando, mas correndo; não correndo, senão voando. Da mesma Santa.

110. Só de ouvir nomear o pecado deveríamos morrer de espanto. Da mesma Santa.

111. Ai, ai, ai daquele por quem na Religião se introduzir vaidade ou propriedade. Da mesma Santa.

112. A estrada para o Paraíso mais limpa, mais breve e mais segura é a Religião. Da mesma Santa.

113. Ah! Bom Jesus! Quanta doçura está encerrada nesta só palavra: Vontade de Deus! Da mesma Santa.

114. Dar bom exemplo ao próximo é uma das maiores honras que podemos dar a Deus. Da mesma Santa.

115. Sobre o nada da humildade funda Deus o mundo da perfeição. Da mesma Santa.

116. Oh! Que vergonha! Nós entre rosas, Cristo entre espinhos! Da mesma Santa.

117. A alma vestida de caridade é quase onipotente. Da mesma Santa.

118. Faz coisas grandes, mas não as prometas. Age magna, non magna pollicens. O Filósofo Sisto Pitagórico.

119. Entre muitos sempre falar pouco. Santa Teresa de Jesus.

120. Jamais faças coisas que não possas fazer diante de todos. A mesma.

121. Fala o que, e quando, convém, e não ouvirás o que não convém. S. Nilo Abade.

122. A esmola aplaina o caminho. Plana via fit ab elleemosyna. O mesmo.

123. Todo o tempo que não cuidas de Deus, dá-o por perdido. Omne tempus quo de Deo non cogitas, hoc puta te perdidisse. Sisto Pitagórico, Filósofo Étnico.

124. Qualquer coisa grave que se haja de determinar, passe primeiro pela Oração. Santa Teresa de Jesus.

 __________________________________________
Tirado do livro "Luz e Calor", do Pe. Manuel Bernardes.
Visto em: http://www.permanencia.org.br/drupal/node/49
Clique na tag "Pe. Manoel Bernardes", logo abaixo, e veja outras publicações no Pale Ideas sobre ele.  
+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA