Pesquisar este blog

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Milagres acontecem!

VOLTOU À VIDA PARA CONFESSAR-SE


O caso de São Felipe Neri

São Felipe Neri
Na vida dos santos há certa tradição de que alguns homens voltam à vida para se confessar, mas não é coisa comum nem mesmo nas tradições populares. A Igreja sempre insistiu no contrário: confesse enquanto puder, para que não te surpreenda a morte! 

O caso de São Felipe Neri é o mais famoso. Diz-se que ressuscitou ao jovem príncipe italiano Paulo Máximo para que confessasse um pecado, e terminada a confissão o menino morreu em paz. 

No filme italiano de 1983, de duas horas e meia de duração, sobre a vida do santo, intitulado "State buoni, se potete" (que envelheceu muito bem, como também sua famosa canção "Vanità de Vanità", fácil de achar traduzida ou legendada na Internet), o menino é realmente um nobre. No novo filme da Lux Vide, que podemos ver atualmente nos cinemas espanhóis, com a história de São Felipe Neri, "Prefiro o Paraíso", o homem que ressuscita para confessar-se é um padre companheiro do santo. "Eu prefiro o Paraíso" é emocionante, mas não muito fiel aos detalhes históricos: agradará a todos que gostam de filmes com crianças, de histórias de mestres que trabalham com pequenos membros de gangues ou crianças de ruas e aos que gostam dos trajes barrocos do tipo "Águila Roja". Na Itália, 6 milhões de pessoas assistiram sua versão televisiva, mais longa (há trailer em espanhol no YouTube aqui).  

Felipe Néri morreu em 1595 rejeitando todos os tipos de honras. Ele foi canonizado em 1622.

São Vicente Ferrer, depois de morto

Conta-se que na Idade Média, isto é, antes de acontecer o caso de São Felipe Neri, algumas mulheres foram chorar diante do túmulo do valenciano São Vicente Ferrer (santo milagre se é que existem), pedindo-lhe que ressuscitasse Juan Suaré, caçador do Duque de Bretanha, não porque tenha sido bom, mas por ser pessoa de vida pecaminosa que morreu sem ter tido tempo para confessar-se. O santo fez o milagre, e Juan Suaré, ao ressuscitar, contou que tinha visto o monge dominicano no portão do inferno e este o havia protegido dos demônios.

*

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA