Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de março de 2013

FSSPX: Vaticano I ou Vaticano II?

OPERAÇÃO MEMÓRIA: texto sugerido pelo Felipe Coelho, do Acies Ordinata, porque ressalta as "qualidades" do pe. Thouvenot. Fiquem de olho nele, está nos devendo mais uma "pérola de sabedoria"!


 

Vaticano I, ou Vaticano II?

A carta misteriosa da FSSPX


Notícia e comentários de:
Dr. Erwan Le Morhedec, do La Croix,
e Pe. Christian Thouvenot, da FSSPX


No site da igreja de São Nicolau do Chardonnet [1] foi publicada uma informação espantosa: haveria se insinuado “um erro importante” no comunicado que foi lido aos fiéis no domingo anterior, a saber, a carta aos fiéis de Mons. Fellay de 24 de janeiro de 2009.


“Foi lido para vocês no domingo último: ‘Nós aceitamos e fazemos nossos todos os concílios até o Vaticano II a respeito do qual temos nossas reservas’. Ora, a versão real da carta escrita ao Papa diz coisa completamente diferente. Cumpre retificar e ler: ‘Nós aceitamos e fazemos nossos todos os concílios até o Vaticano I. Mas nós não podemos deixar de ter reservas sobre o concílio Vaticano II que pretendeu ser um concílio no dizer dos papas João XXIII e Paulo VI ‘diferente dos outros’.”

[«Il vous a été lu dimanche dernier: «Nous acceptons et faisons nôtre tous les conciles jusqu’à Vatican II au sujet duquel nous émettons des réserves.» Or la version réelle de la lettre écrite au Pape dit tout autre chose. Il faut rectifier et lire: «Nous acceptons et faisons nôtres tous les conciles jusqu’à Vatican I. Mais nous ne pouvons qu’émettre des réserves au sujet du concile Vatican II qui s’est voulu un concile aux dires des papes Jean XXIII et Paul VI «différent des autres» »].

[N. do T. – A tradução do trecho controverso: “nós aceitamos e fazemos nossos todos os concílios até o Vaticano II a respeito do qual temos nossas reservas” é a que consta do site oficial da FSSPX no Brasil até hoje (!) e, ainda por cima, com esse “nossas”, que acrescenta, à já horrenda aceitação do Vaticano II “com reservas”, uma espécie de subjetivização dos erros e heresias do conciliábulo, na realidade bastante objetivos: http://www.fsspx-brasil.com.br/page%2001-4-carta-superior-geral-24-01-09.htm]

Como assim? A carta aos fiéis, do Superior da Fraternidade São Pio X, foi deturpada de seu sentido? Ela foi mal reproduzida? Em minha nota de 25 de janeiro de 2009 [2], eu mencionava a primeira versão, e apontava diretamente para o arquivo [3] disponível no site oficial da FSSPX. Ora, a mesma carta, datada do mesmo dia, assinada pela mesma mão, não diz mais a mesma coisa hoje, sobre um ponto essencial.

Além disso, de fato se encontram versões divergentes em numerosos sites, dentre os quais sites próximos da FSSPX, testemunhando assim que não se trata de alteração vinda de outra parte. É o caso do site Eucharistie Miséricordieuse [4], do site lefebvrista Amiens, des catholiques à la rue [5], ou ainda do site Una Voce [6], no qual se constata a aceitação do Vaticano II, “sobre o qual fazemos reservas”.

Mais precisamente ainda, o site da Fraternidade São Pio X na Bélgica referenda hoje a segunda versão [7], que limita a aceitação ao Vaticano I. Mas a versão da mesma página em cache [8] (ou seja, a versão precedente da mesma página, conservada pelo Google) mostra que a carta foi realmente modificada.

No site do Salon Beige, próximo também dos católicos tradicionalistas ou lefebvristas, um internauta, Cristóvão [Xtophe], testemunha [9]: “Ora, o texto de Mons. Fellay que eu baixei no mesmo dia da publicação, de fato, faz referência ao Vaticano II e não ao Vaticano I !!!”. Em seu comentário seguinte, ele dá o link para um arquivo de áudio [10] do sermão pronunciado pelo Pe. De Cacqueray em São Nicolau do Chardonnet, endossando a aceitação do Vaticano II.

Que se há de pensar de tudo isso?


Tratar-se-ia de uma confusão grosseira entre duas versões previamente redigidas de uma mesma carta? Seria um pouco surpreendente que tantos membros eminentes da FSSPX não saibam mais exatamente se aceitam ou não o Concílio Vaticano II. A FSSPX quis adocicar sua posição? Ou então seria ilustração de divergências no interior da FSSPX? Alguns fizeram pressão em Mons. Fellay? A tendência linha-dura teria prevalecido?

Permanece que numerosos elementos fazem pensar, então, que uma modificação “importante” foi feita, tendo a Fraternidade São Pio X alterado sua posição desde 24 de janeiro de 2009 e, potencialmente, procedido à substituição das cartas postas online em seu site oficial. Cristóvão se interroga se isso é “realmente honesto”. A pergunta pode ser feita.

Ela merece, em todo o caso, um rápido esclarecimento, pois é no mínimo delicado contemplar um diálogo sério e construtivo se uma das partes modifica a sua posição ao longo do diálogo e, especialmente, após ter obtido uma “concessão” da outra parte, a saber, no caso, o levantamento das excomunhões.


II. Comentário da FSSPX à notícia acima


Senhor,

Tomando conhecimento da vossa nota, apresso-me em responder-vos que um erro efetivamente se insinuou na carta que Dom Fellay dirigiu aos fiéis, em 24 de janeiro de 2009. Dom Fellay citava sua carta de 15 de dezembro de 2008 enviada, não ao papa, mas ao cardeal Castrillon Hoyos. Essa citação foi truncada por um colaborador que não se apercebeu de que ele estava modificando a citação de um texto oficial: ele acreditou que podia “polir” uma frase sem trair o sentido dela.

O sentido fundamental não muda, mas a ênfase é, assim mesmo, mais salientada e não dá azo a nenhuma ambiguidade. Foi por isso que, quando percebi essa gafe embaraçosa, eu imediatamente fiz com que fosse modificada. Prefiro assumir a responsabilidade por uma confusão do que permitir a difusão de imprecisões.

Não houve malícia nenhuma de nossa parte nem cálculo, mas apenas um erro tolamente humano.

Tendo a guarda dos arquivos, posso atestar que a versão corrigida é conforme a cópia do original, o qual se encontra nas mãos do cardeal Hoyos.

Assegurando-lhe meu devotamento sacerdotal,
Pe. Christian Thouvenot,
Secretário-Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X


III. Defesa do jornalista, não respondida


Sr. Padre, eu quereria somente crer-vos, infelizmente esse episódio suscita em mim surpresa e ceticismo.

Primeiro, a surpresa: eu acreditava ter entendido que, dentro da Fraternidade São Pio X, mostravam-se de uma tal atenção aos textos, que se podia inclusive engajar-se num processo cismático com base numa interpretação divergente de textos. Fico, pois, estupefato de imaginar (e um pouco cético com a ideia de) que o Pe. Régis de Cacqueray, superior do distrito de França, tenha podido ler aos fiéis de São Nicolau do Chardonnet um texto onde figurava aquilo que, então, foi qualificado em seguida de “erro importante”, sem que ele se desse conta disso.

Vós estaríeis querendo dizer-nos que o superior do distrito de França tenha podido desastradamente dizer aos fiéis que a FSSPX “aceitava e fazia seus todos os concílios até o Vaticano II, a respeito dos qual ela tem suas reservas”, sem se dar conta de que essa não é mais a posição da FSSPX? Vós haveis de convir que isso vai um pouco além do erro de um colaborador. A mesma coisa quando a FSSPX na Bélgica [e no Brasil (N. do T.)] publica este texto. Quereis me dizer, nos dizer, e nos fazer crer, que tantos representantes da FSSPX teriam considerado esse “erro importante” como insignificante quando o leram pela primeira vez? Tivésseis invocado um erro tipográfico, ainda passa, mas, no caso, a divergência recai num ponto absolutamente central, e com formulações muitíssimo diferentes: deveríamos pensar que um mero colaborador pôde acreditar-se autorizado não somente a substituir “Vaticano I” por “Vaticano II”, como se a modificação fosse insignificante, mas ainda por cima a suprimir “que pretendeu ser um concílio no dizer dos papas João XXIII e Paulo VI ‘diferente dos outros’.” Vocês têm colaboradores que tomam esse tipo de iniciativa? Eu me resguardo, evidentemente, de prejulgar de vossa boa fé, mas isso me parece muito difícil de imaginar.

Ademais, Padre, o procedimento utilizado não motiva, de modo algum, a dar crédito espontaneamente à FSSPX de ter boa fé na matéria: pode-se publicar uma retificação, pode-se fazer de tudo para voltar atrás numa posição (como por exemplo renegar a própria assinatura no intervalo de uma noite), mas me parece que proceder assim à substituição de um documento e à modificação de páginas não é procedimento de grande franqueza. Essa carta aos fiéis efetivamente foi publicada, ela foi efetivamente lida do púlpito, em suma ela existe: modificá-la tem algo de falsificação. Pode-se verdadeiramente engajar-se na via de um diálogo sincero com a FSSPX se esta adquire, um pouco em demasia, o hábito de modificar suas posições oficiais?

De resto, Padre, quando eu leio, de vossa mão [11], que Bento XVI teria, em seu discurso à Cúria de 22 de dezembro de 2005 [12], manchado “a memória dos mártires que derramaram seu sangue pela” Igreja, e quando releio o discurso do Papa, por mais cortês que seja a vossa mensagem, tendo a pensar que a Verdade não é una e intangível para todo o mundo.
[N. do T. – No entanto, o Rev. Pe. neste caso está coberto de razão, e o artigo dele aliás bem mereceria tradução:
http://www.laportelatine.org/district/france/bo/20ansapres/Rome/rome.php].

*

Aos que me dizem que as duas formulações dão no mesmo, lamento dizer que não sou desse parecer. Entre afirmar que se aceita e faz seu o Vaticano II, com reservas, ou somente que se faz reservas ao Vaticano II, há evidentemente uma distância e uma divergência que não são fruto do acaso. Com toda a evidência, uma tal diferença não teria podido ser qualificada de “erro importante” pela própria FSSPX se ela fosse… coisa de somenos…


IV. Links

(No original, incorporados ao texto; hoje, três anos depois, o 1.º e o 5º estão inativos):

1 http://web.mac.com/nicolas_chardonnet/SNC/Activite_semaine/Entrées/2009/2/2_Activités_de_la_semaine_(du_25_janvier_au_1er_février_2009).html
2 http://www.koztoujours.fr/?p=2975
3 http://www.dici.org/dl/fichiers/Lettre_fideles.pdf
4 http://www.koztoujours.fr/wp-content/uploads/2009/02/mgr-fellay-remercie-le-pape.pdf
5 http://www.amiens-catholiques-sdf.com/content/view/191/1/
6 http://www.koztoujours.fr/wp-content/uploads/2009/02/una-voce-pour-lunite-dan.pdf
7 http://www.koztoujours.fr/wp-content/uploads/2009/02/fraternite-saint-pie-x-bel.pdf
8 http://www.koztoujours.fr/wp-content/uploads/2009/02/fraternite-saint-pie-x-belcache.pdf
9 http://lesalonbeige.blogs.com/my_weblog/2009/02/la-fraternit%C3%A9-saintpie-x-et-le-concile-vatican-ii.html
10 http://fr.gloria.tv/?media=20335
11 http://www.laportelatine.org/district/france/bo/20ansapres/Rome/rome.php
12 http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2005/december/
documents/hf_ben_xvi_spe_20051222_roman-curia_fr.html

_____________


PARA CITAR ESTA TRADUÇÃO:

La Croix de 6 fev. 2009, Vaticano I, ou Vaticano II? A carta misteriosa da FSSPX; trad. br. por F. Coelho, São Paulo, mar. 2012, blog Acies Ordinata, http://wp.me/pw2MJ-1h0

de: “Vatican I, ou Vatican II ? Le courrier mystère de la FSSPX”, Vendredi 6 Février 2009, in: http://vatican-integristes.blogs.la-croix.com/?p=149


Revisão gramatical pelo Pale Ideas. Se quiser comparar com o original, siga o link do Acies Ordinata, logo acima.

_

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA