Pesquisar este blog

sábado, 27 de setembro de 2014

Eleições 2014: em quem votar para deputado estadual e federal?

Há algum tempo, surgiu na web uma associação que tem a boa intenção, segundo me pareceu, de criar um movimento político católico. Entrei em contato para obter mais informações - S. Jeremias 17,5 - e ainda estamos conversando a respeito, mas como o tempo urge, e como falta uma semana para as eleições, e como os nomes que eles indicam - dos que conheço - são razoáveis, vou publicar aqui o assunto, para reflexão dos católicos, sempre lembrando que NÃO DEVEM SER REFÉNS DAS INFORMAÇÕES QUE CHEGAM ATÉ VOCÊS - MESMO POR MIM!!! - mas sempre devem pesquisar por sua própria conta. Os artigos do Pale Ideas (os que não são Doutrina da Igreja) servem justamente para isso: serem um ponto de partida para ulteriores pesquisas e melhores reflexões!  

A associação a que me refiro é a Aliança da Santa Cruz, e já deixo claro que ela não tem nada a ver com o Mosteiro da Santa Cruz ou com a Resistência. E, embora haja nomes da Tradição por trás ou em volta dela, também não representa exclusivamente a Tradição.  

(Os textos abaixo foram retirados do site da associação e contém alguns erros, que deixamos). 

* * * 

Aliança da Santa Cruz

O que dizem os aliados sobre a Aliança da Santa Cruz: 
A Aliança da Santa Cruz surgiu da vontade de cooperação entre grupos católicos de Portugal e do Brasil, fomentada pela necessidade de responder a uma só voz aos constantes ataques contra os pilares de sustentação das nossas sociedades, fustigadas pelo flagelo das ideologias revolucionárias socialistas e coletivistas.

O  mundo foi invadido por políticas e leis Anti-Cristãs. Os inimigos são vários, mas todos visando um único objetivo: a destruição da Civilização Ocidental Cristã, por meio de redes sincronizadas para a destruição das bases culturais, espirituais, legislativas, jurídicas e institucionais. Urge responder com coragem e com coesão a esta ofensiva, uma vez que os ataques que visam esta destruição são orquestrados de modo global, com acção local nos diversos países. Desta forma, o desafio que se apresenta é definir estratégias a nivel global, de modo a sermos eficazes na defesa dos valores cristãos nas nossas nações.

Por graça de Deus, a partir desta vontade conjunta de brasileiros e portugueses, estamos unidos para propor a católicos de todo o mundo chamados a servir na política e no ambiente cultural, uma aliança de cooperação multilateral internacional, sob o signo da Santa Cruz.

Desta forma, a Aliança da Santa Cruz pretende subsidiar ações estratégicas futuras, por meio de realização de congressos, seminários, think-tank e estudos comparados, entre os diversos países, à luz do Sagrado Magistério e dos luminosos documentos apostólicos da Santa Madre Igreja. Pois é fulcral agir em conjunto, através da partilha de conhecimentos, experiências, sucessos e derrotas no combate em defesa da Vida, da Família e da Fé.

“Não para nós Senhor, mas para glória do teu Nome” (Fonte).

O "COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL MULTILATERAL": 

A humanidade encontra-se hoje, após quase duzentos anos de ataques, cada vez mais intensos, contra todos os seus pilares de sustentação, sob o flagelo mais severo da guerra revolucionária imposta por ideologias socialistas e coletivistas.

O mundo foi invadido por políticas e leis anticristãs. Os inimigos são vários, mas todos visando um único objetivo: a destruição da Civilização Ocidental Cristã.

Vivemos  uma profunda crise de valores, onde os alicerces basilares cristãos, que nortearam a civilização ocidental, vêm sendo atacados de forma sistemática. Urge responder com coragem e com coesão  a esta ofensiva.

Os portugueses trouxeram a fé ao Brasil. A fé germinou na terra fértil, transformando o Brasil no maior país católico do mundo.  Por graça de Deus,  brasileiros e portugueses se unem para propor a todos  os católicos do mundo chamados a servir na política uma aliança de cooperação multilateral, através do compromisso abaixo proposto e ratificado pelos signatários deste documento, que recebeu o nome de “Compromisso da Santa Cruz”.


COMPROMISSO DA SANTA CRUZ

Os signatários deste compromisso, conformando-se sem reservas à Doutrina da Igreja Católica, Apostólica, Romana, comprometem-se, de livre vontade, a honrar os seguintes artigos na sua acção, enquanto candidatos ou detentores de cargos políticos, a partir das eleições que serão realizadas em Outubro de 2014, no Brasil:

Artigo 1º (Em defesa da Vida)
Protegeremos a dignidade de cada vida humana, em qualquer fase do seu desenvolvimento, desde a concepção à morte natural, sem excepções, nem soluções de compromisso. Todo o ser humano deve ser reconhecido como Pessoa nas nossas Leis e Constituições e detém, como tal, um direito inviolável à sua própria vida e desenvolvimento integral.

Assumimos o compromisso de lutar pela revogação, no Brasil, da lei 12.845/2013 (lei “Cavalo de Tróia”) e aprovação da PEC pela Vida (Projeto de emenda constitucional) que visa explicitar no art.º 5º da Constituição brasileira, a inviolabilidade da vida humana, desde a concepção.

Artigo 2º (O Matrimônio)
Reconhecemos somente o matrimônio como modelo de casamento. Casamento é a união entre um homem e uma mulher, aberta à fecundidade, com o objetivo de gerar vida.

Artigo 3º (Família Célula Mater)
Lutaremos por medidas que reconheçam, defendam e amparem a família formada através do casamento, na concepção acima formulada, como a célula primordial da sociedade e repudiamos a interferência de organizações e organismos internacionais nas questões da família e controle populacional.

Artigo 4º (Ideologia de Gênero)
Recusamos a ideologia de gênero, que pretende apagar a diferença sexual em diversas áreas da sociedade, sobretudo nas políticas públicas.

Artigo 5º (Educação)
Promoveremos o direito dos pais a educarem os seus filhos conforme a fé cristã e os seus valores, respeitando a integridade intelectual e moral dos estudantes e defendendo o ambiente escolar da doutrinação política e ideológica.

Artigo 6º (Comunicação)
Protegeremos os jovens e as crianças de toda a perversão moral, violência e práticas audiovisuais que estimulem a degradação do indivíduo ou que estimulem a barbárie.

Artigo 7º (Fé Cristã)
Defenderemos sem concessões ao direito de atuação dos cristãos na vida pública e recusaremos qualquer tentativa de limitá-la. Não pode ser negado aos cristãos o direito a se pronunciaram de acordo com a sua consciência, nem a Fé pode ser relegada exclusivamente para a esfera privada.

Artigo 8º (Economia)
Inspirados pela Doutrina Social da Igreja, observaremos em nossos atos a ética e a moral cristã, defendendo políticas econômicas que respeitem o direito à propriedade privada, que asseguram a prosperidade a todos que trabalham, harmonia e paz social e o fortalecimento do bem comum e enfrentaremos todas as iniciativas que as estes objetivos se contraponham.

Artigo 9º (Cooperação Multilateral)
Assumimos o compromisso de cooperação multilateral. A cooperação assumirá diversas formas, dentre elas: a realização de estudos filosóficos e políticos comparativos, compartilhamento de experiências, análises, seminários e congressos multilaterais, adquirindo relevância a criação de um “Think Tank” destinado a subsidiar a acção dos signatários para a tomada de atitudes estratégicas em conjunto. (Fonte.)

Os apoiadores da Aliança não são entre os mais simpáticos à toda a Tradição (alguns ligados à TFP ou que tais), portanto acompanhe com cuidado o andamento das coisas. Há também uma entidade apoiante, mas não é brasileira.   

A Aliança não se pronuncia sobre a Presidência da República, não nestas eleições pelo menos, mas oferece nomes para Deputado Estadual e Federal, o que já é um bom começo. 

Para a Presidência da República continuamos afirmando que o mal menor é Aécio Neves, ainda mais diante dos novos números das pesquisas eleitorais, das mais favoráveis à menos favoráveis, que mostram que Dilma voltou a crescer (apesar dos escândalos que se multiplicam, e de duas testemunhas dispostas a contar tudo no programa da "delação premiada") e a Marina começou a despencar. Nem Soros e a CIA conseguem mantê-la na disputa!!! O voto honesto, consciente e, porque não, cristão é, desta vez, para Aécio Neves, em que pesem todas as acusações que se lhe fazem, visto que, diante das acusações que pendem sobre Dilma e Marina, são de somenos importância. É um liberal e um socialista? É, mas MENOS do que Dilma e Marina (dispensa comentários, uma vez que as duas são frutos podres do PT que é sabidamente marxista). É um abortista de qualquer maneira? É, mas MENOS do que Dilma e Marina (ele quer deixar as coisas como estão, ELAS querem avançar e liberar o aborto como prática contraceptiva e extermínio da população pobre). É a favor das uniões gay? Parece que sim, mas MENOS do que Dilma e Marina (ele se contenta com as frases padrão "respeito o direito dos outros", elas querem ampliar os "direitos" que levarão fatidicamente aos diretos de outros pervertidos, como os pedófilos e, já se começa a ler notícias, os incestuosos e assim por diante). E com esse MENOS ganhamos um fôlego para começarmos a agir, e eu pressinto que a Aliança da Santa Cruz possa ser um ponto de partida e de união para as ações católicas contra tudo o que já se perdeu até agora. Até por negligência nossa!  

Votar em quem tem 1% ou menos de intenções de voto - sendo ou não honestos os órgãos de pesquisas - pode até aplacar algumas consciências dormidas, mas não é o certo a se fazer. Não desta vez.

Giulia d'Amore 

   
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

2 comentários:

  1. Giulia, bom dia. Apelo pra sua inteligencia e bom senso. E os candidatos Levi Fidelix e Eymael? São católicos contra uma série de coisas erradas no Brasil. é correto votar neles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eymael até fala bem e tem boas propostas, mas é protestante, e, havendo um católico, é melhor votar em católico.

      Levy Fidelix é um gênio, e ontem ME REPRESENTOU, quando disse, sem medo das consequências típicas da ditadura socialista, o que todos nós pensamos! E eu me pergunto: se os gays e simpatizantes são tantos assim pq a Luciana Genro não chega nem em 1% de intenções de voto? Mesmo com o apoio de Jean Wyllys???? Simples, pq são minoria ínfima. É fato.

      Certamente, se não se apresentar um candidato melhor e não se repetirem as conjecturas atuais, em 2018 eu poderia votar nele, não só pelo que disse sobre os gays, mas pelo programa de governo dele.

      Contudo, caro José Antônio, como já disse nos dois artigos anteriores (sobre o Aécio e sobre a Marina) na atual situação em que nos encontramos, que não é nada ideal, não devemos nos deixar levara pelas emoções, mas usar a razão.

      Votar em Levy, nestas eleições, é jogar fora o voto. Não há tempo hábil para promover uma mudança que o leve, pelo menos, ao segundo turno! É tolice!

      Ele mesmo deixou claro que não é UTÓPICO. Seria ridículos que os eleitores o fossem!

      E se prestou atenção no comentário final, quando ele falou sobre o Foro de São Paulo, ele indicou em quem devemos votar DESTA VEZ, quando disse que não era para votar no PT, outros partidos (sem nomear nenhum candidato) e "no PSB da Marina". E se virou para indicá-la. Então, que sobra? Aécio Neves.

      Usemos a razão e sigamos o conselho dele sobre a utopia. A utopia não ganha a guerra.

      Excluir

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA