Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

As Armas do Céu

As Armas do Céu 

Os Cinco Primeiros Sábados


Na noite de quinta-feira, 10 de Dezembro de 1925, depois de jantar, a Irmã Lúcia dos Santos (então uma postulante na casa doroteana em Pontevedra, Espanha) recebeu uma visita do Menino Jesus e da Virgem Maria na cela do seu convento. Mostrando à jovem freira um coração rodeado de espinhos, Nossa Senhora disse-lhe:

weapons1.jpg - 8.4 K“Olha, Minha filha,  o Meu Coração cercado de espinhos, que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam, com blasfémias e ingratidões. Tu, ao menos, empenha-te em Me consolar e diz que todos aqueles que durante 5 meses no primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço, e Me fizerem 15 minutos de companhia, meditando nos 15 mistérios do Rosário, com o fim de Me desagravar, Eu prometo assistir-lhes na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas.” 

Encarregada com esta missão pelo Rei e a Rainha do Céu, a freira de 18 anos começou imediatamente o trabalho de fazer conhecer os seus pedidos por esta devoção. Informou logo a sua mãe superior e também ao seu padre confessor, o Padre Lino Garcia. Foi ele, de fato, que a mandou escrever imediatamente tudo o que diz respeito à revelação. Mais tarde, escreveria ainda mais a fundo ao Bispo Pereira Lopes e a muitos outros, trabalhando para estabelecer nos corações dos que a rodeavam a urgência de promover este presente novo de graças e maravilhoso.


Escrevendo à sua mãe dois anos após a visita de Nosso Senhor e Nossa Senhora, a Irmã Lúcia rogou-lhe que adotasse esta devoção nova que “Eu sei é do agrado de Deus, e que foi a nossa querida Mãe do Céu Quem a pediu.” Em outra carta escrita depois de que foram tomados os primeiros passos para conseguir a aprovação oficial da Igreja para a devoção, ela deu ênfase à sua importância crítica em salvar almas: "Não se pode imaginar a alegria que sinto ao pensar no consolo... que os Corações Sagrados de Jesus e de Maria vão receber e do número enorme de almas que vão ser salvas através desta devoção afável."

Através dos esforços incansáveis da Irmã Lucia e do outros, esta enorme mas simples devoção tem-se espalhado pelo mundo nas últimas sete décadas, unindo milhões em um ato de reparação universal e contínuo que procura consolar os Corações de Jesus e Maria e salvar almas em todos lados. A própria Irmã Lúcia escreveu que "a maior alegria" que sente, "é ver que o Coração Imaculado de Nossa Mãe tão carinhosa é louvado e consolado por meio desta devoção." 



Uma Breve Explicação dos Cinco Primeiros Sábados: http://fatima.org/port/resources/cr44p5sat.asp.
 
A IRMÃ LÚCIA EXPLICA A DEVOÇÃO DOS PRIMEIROS CINCO SÁBADOS: http://www.fatima.org/port/essentials/message/plucy3.asp.

  


* * * 

As Sete Orações de Fátima


Durante o processo das aparições de Fátima, as três crianças videntes foram ensinadas cinco orações únicas e poderosas, duas pelo Anjo da Paz e três pela Mãe de Deus. Mais tarde, aparecendo à Irmã Lúcia em Rianjo, Espanha, Nosso Senhor Jesus Cristo ditou mais duas orações. Para milhões de pessoas, estas orações são hoje uma personificação viva da mensagem de esperança e de paz que Nossa Senhora deu ao mundo em Fátima. Nos últimos anos, através dos esforços do Apostolado de Nossa Senhora, tem desenrolado a prática piedosa de recitar uma (ou mais) destas orações em uma base diária. O seguinte horário de orações é apenas uma sugestão; tome a liberdade de as recitar em qualquer ordem que lhe pareça cômoda ou apropriada.



Segunda-feira


Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.



Terça-feira


(quando fazendo um sacrifício dize)
O Jesus! E por Vosso amor, pela conversão dos pecadores, e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.



Quarta-feira


Ó meu Jesus! Perdoai-nos e livrai-nos do fogo do Inferno, levai as almas todos para o Céu, principalmente as que mais precisarem.



Quinta-feira


Ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro... Meu Deus, meu Deus, eu Vos adoro no Santíssimo Sacramento.



Sexta-feira


Doce Coração de Maria, sêde a salvação da Rússia, de Espanha, de Portugal e de todo o mundo.



Sábado


En nome de Vossa Concepção Imaculada y pura, Maria, alcança-me a conversão da Rússia, de Espanha, de Portugal, e de todo o mundo.



Domingo


“Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E, pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.”


A Medalha Milagrosa


Em 1830, Nossa Senhora apareceu três vezes na Casa-mãe das Irmãs da Caridade de São Vicente de Paulo, situada na rue de Bac, em Paris, à humilde noviça (agora Santa) Catarina Labouré. É assim que a Santa descreve como lhe foi revelada a Medalha da Imaculada Conceição:

“Os Seus pés repousavam sobre um globo branco… Vi-lhe três anéis de diferente tamanho em cada um dos dedos - o maior perto da base do dedo, o médio a meio e o mais pequeno na ponta - decorados com joias, umas maiores que as outras… As joias grandes emitiam raios maiores que as pequenas, e que caíam sobre o globo branco a Seus pés. Não posso expressar… o que vi, a beleza e o resplendor dos raios deslumbrantes… Um halo ovalado formou-se em redor da Santíssima Virgem, dentro do qual estava escrito com letras de ouro: ‘Oh Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós’… Nesse instante todo o quadro pareceu rodar sobre si, aparecendo o verso da Medalha: um M maiúsculo atravessado na parte de cima por uma barra, na qual repousava uma Cruz; debaixo do M estavam os corações de Jesus e de Maria, um coroado de espinhos e o outro trespassado por uma lança. Doze estrelas emolduravam tudo isto. Logo uma voz me disse: ‘Faz uma medalha segundo este modelo. Todos aqueles que a usarem receberão muitas graças; devem usá-la ao pescoço. Serão abundantes as graças para quem a usar com confiança’.”



A frente da Medalha representa Maria Santíssima de pé sobre o globo do mundo, com o pé a esmagar a cabeça da serpente e as mãos estendidas, num gesto de compaixão maternal, para todos os que pedirem a Sua proteção. A oração reafirma o Seu título de “Imaculada Conceição”, dogma que foi infalivelmente definido vinte e quatro anos mais tarde pelo Beato Papa Pio IX, no dia 8 de Dezembro de 1854, na sua encíclica Ineffabilis Deus. Os raios de luz das mãos da Senhora simbolizam as graças que Ela anseia outorgar a quem usa a Sua Medalha e a quem Lhe reza.

Em dois anos, com a aprovação do Arcebispo de Paris, as primeiras medalhas foram feitas e distribuídas em França. Imediatamente começaram a chover bênçãos sobre aqueles que a usavam e rapidamente ficou a ser conhecida como “Medalha Milagrosa”.  


Em poucos anos, foram distribuídas aos milhões. Nenhum sacramental da Igreja fez tanto impacto desde o Santo Rosário, com o qual foram derrotados os Albigenses e os Turcos. Faz milagres - literalmente - e parece especializar-se no impossível: a conversão de pecadores endurecidos, o cuidado dos doentes sem esperança. Com exceção da Santa Cruz, nenhum outro símbolo cristão se multiplicou tão amplamente, ou foi o instrumento de resultados tão maravilhosos.


Graças concedidas àqueles que as pedem
  

Nossa Senhora disse a Santa Catarina: “Vem ao pé do Altar… Ali se derramarão graças sobre todos, grandes e pequenos, que as pedem. As graças derramar-se-ão, especialmente, sobre aqueles que as pedem”.

Algumas das graças que Santa Catarina sugeriu que as pessoas deveriam pedir a Deus, incluem: 

  • a graça de uma disposição alegre, 
  • a graça de reconhecer e aceitar as provações de cada dia como bênçãos de Deus, 
  • estar satisfeito com o seu estado de vida, 
  • entender e apreciar o Santo Sacrifício da Missa 
  • e, especialmente, amar a Deus como Nossa Senhora O amou quando Ela tinha a minha idade.


Santa Catarina Labouré íntima da Mãe de Deus
  

Santa Catarina Labouré - que disse que viu a Virgem Maria “em carne e osso” e que teve o privilégio de se ajoelhar a Seus pés e descansar no Seu regaço, favor que não foi concedido a nenhum outro vidente - nasceu durante o repicar dos sinos do Angelus, no dia 2 de Maio de 1806. A mãe morreu-lhe quando tinha só nove anos de idade. Viram-na então a abraçar a estátua da Mãe de Deus, dizendo: “Agora Vós sereis a minha Mãe!” - e alimentava um desejo ardente de ver Nossa Senhora. Era esse o pedido constante nas suas orações, e ela confiava serenamente que se realizaria.

São Vicente de Paulo visitou-a num sonho aos dezoito anos, e foi aceita na sua comunidade em 22 Janeiro de 1830, com a idade de vinte e três anos.  


Santa Catarina considerou as aparições de um modo adequado: não como um favor pessoal (embora em certo sentido o tenham sido), mas como uma bênção geral para a Humanidade. Considerou-se apenas como “um instrumento” e pediu ao seu confessor que lhe prometesse que guardaria sigilo da sua identidade, segredo que foi guardado durante 40 anos, mesmo das próprias religiosas da sua comunidade.

Santa Catarina também tinha o dom da profecia, e uma das suas profecias, ainda não realizada, refere-se ao grande triunfo de Nossa Senhora: 

“Oh que maravilha será ouvir ‘Maria é a Rainha do Universo…’ Será um tempo de paz, gozo e bênçãos que durará por um tempo bastante longo”.

A oração, simples e poderosa, enviado do Céu da Medalha Milagrosa, deve repetir-se três vezes: “Oh Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”. 






RITO de Bênção e Imposição da Santa Medalha da Imaculada Virgem Maria, geralmente chamada “Medalha Milagrosa” 

(S.R.C. o dia 19 de Abril de 1895)

    V. A nossa ajuda está no Nome do Senhor,
    R. Que fez o Céu e a terra.
    V. O Senhor esteja convosco.
    R. E com o vosso espírito.

OREMOS - Deus Todo-Poderoso e misericordioso, que através das aparições da Imaculada Virgem Maria na terra, Vos dignastes obrar continuamente milagres para a salvação das almas, abençoai a esta Medalha simbólica, para que aqueles que meditarem Nela piedosamente e devotamente A usarem possam sentir a Sua proteção e obter a Sua misericórdia. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

O sacerdote, então, asperge a Medalha com água benta, e diz ao colocá-la:

Recebei esta Medalha sagrada, usai-a fielmente e tratai-a com a devida veneração, para que a Santíssima e Imaculada Rainha do Céu vos proteja e defenda, e, sempre renovando os milagres da Sua bondade, obtenha misericordiosamente o que com humildade pedis a Deus, para que possais descansar jubilosamente no Seu abraço maternal por toda a vida e na hora da morte. Amém.

O sacerdote continua:

Senhor, tende misericórdia de nós. Cristo tende misericórdia de nós. Senhor tende misericórdia de nós.

    Pai Nosso que estais no Céu ...
    V. E não nos deixeis cair em tentação,
    R. Mas livrai-nos do mal.
    V. Oh Rainha, concebida sem pecado,
    R. Rogai por nós.
    V. Senhor, escutai a minha oração,
    R. E o meu clamor chegue até Vós.
    V. O Senhor esteja convosco,
    R. E com o vosso espírito.

OREMOS - Oh Senhor Jesus Cristo, que Vos dignastes glorificar, por inumeráveis milagres, a Santíssima Virgem Maria, Imaculada desde o primeiro momento da Sua Conceição, concedei a todos os que devotamente imploramos a Sua proteção na terra que possam eternamente da Vossa Presença no Céu. Vós que, com o Pai e o Espírito Santo, viveis e reinais, Deus, pelos séculos e dos séculos. Amém.  


___________________
Vide, também:  



Em Portugal — Apartado 4066
3030-901 Coimbra
Nos E.U.A.— P.O. Box 142
Kenmore, NY 14217
correio electrónico: info@fatima.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA