Pesquisar este blog

Novidades!!!

segunda-feira, 10 de março de 2014

Jejum e abstinência, segundo Dom Curzio Nitoglia

Vindo trazer mais luz sobre essa obrigação do católico, o padre Curzio Nitoglia esclarece o por que a lei de jejum e abstinência foi "afrouxada" e como está hoje canonicamente.
 
Quero observar apenas que, sob um ponto de vista essencialmente jurídico, e atentando para o "espírito da lei", ou seja, o motivo que dá origem a uma lei, a meu humílimo parecer, o indulto de Pio XII valeria apenas para as regiões atingidas pela guerra, em face, não só da falta de alimentos, o que enfraquece naturalmente o ser humano, mas também diante da situação moral e espiritual dos povos, pois uma guerra arrasa não apenas o País, mas também seu povo. No caso do Brasil, por exemplo, mesmo tendo havido envolvimento de suas tropas e certo abalo moral e espiritual, não faltou certamente alimento. Mas é uma mera opinião

Outra observação é que essas diretrizes estão no Catecismo de São Pio X, na versão italiana, porque misteriosamente a versão em português termina antes dos anexos, onde se encontram estas disposições. 

E, enfim, lembramos as datas mencionadas:
  1. Todas as sextas-feiras do ano. Abstinência de preceito, tanto no CDC de 1917 quanto no de 1983).
  2. Imaculada Conceição: 8 de dezembro. Jejum e abstinência de preceito, no CDC de 1917.
  3. Vigília de Natal é o dia 24 (então aquela ceia que costuma partilhar em família... esqueça): Jejum e abstinência de preceito, no DC de 1917.
  4. Quatro Têmporas: da Quaresma: 12,14 e 15 de março; de Pentecostes: 11, 13 e 14 de junho; de Setembro: 24, 26 e 27 de Setembro; do Advento: 17, 19 e 20 de dezembro. Jejum e abstinência permitidos, mas não obrigatórios.
  5. Vigília de Pentecostes: 7 de maio (Pentecostes, dia 8). Jejum e abstinência permitidos, mas não obrigatórios.
  6. Vigília da Assunção: 14 de agosto (Assunção, 15). Jejum e abstinência permitidos, mas não obrigatórios.
  7. Vigília de Todos os Santos: 31 de Outubro (Todos os Santos, 1º de novembro). Jejum e abstinência permitidos, mas não obrigatórios.

Vamos ao que diz Dom Curzio!

DOM CURZIO NITOGLIA: JEJUM E ABSTINÊNCIA



O Cardeal Pietro Palazzini, professor de Teologia moral e de Direito canônico junto à Pontifícia Universidade de Latrão, escreve, na Enciclopédia Católica (Cidade do Vaticano, IV vol., 1950, col. 1589-1599):
“(...) nas extraordinariamente adversas circunstâncias produzidas pela guerra, o Supremo legislador (Pio XII, Indulto de 19 de dezembro de 1941, AAS, 33, [1941], p. 516) sentiu paternalmente a necessidade de aliviar a lei da abstinência e do jejum, dando aos Ordinários [Bispos diocesanos], a título de Indulto geral, a faculdade da dispensa no território da própria jurisdição, mantendo vigente a lei do jejum e abstinência nos dois dias da Quarta-feira de Cinzas e Sexta-feira Santa. […]. Recentemente, então (S. Congregação do Concílio(1), 28 de janeiro de 1949), após esperar pela melhora das circunstâncias, repristinou em parte a lei de abstinência e de jejum, dispondo que a faculdade concedida aos Ordinários de dispensar fosse limitada da seguinte forma:
a) a abstinência das carnes seja observada todas as sextas-feiras do ano;
b) a abstinência e o jejum sejam observados na Quarta-feira de Cinzas, Sexta-feira Santa e nas vigílias da Imaculada Conceição e de Natal (AAS, 41 [1949], pp. 32-33” (ibid., col. 1595).

Todavia, Papa Pio XII aconselhou(2), a quem queira e possa, de jejuar e abster-se das carnes como se fazia antes, ou seja:
a) apenas a abstinência das carnes, sem o jejum: todos os dias de Quaresma, menos os Domingos;
b) jejum e abstinência: todas as sextas-feiras e sábados da Quaresma;
c) jejum e abstinência: nas Quatro Têmporas, nas vigílias de Natal, Pentecostes, Assunção, Todos os Santos, a menos que caiam no Domingo ou em festas de preceito; mas sem tornar o conselho um preceito sob pena de pecado.

Recapitulando, com Pio XII (1941/1949):

1°) se deve (Preceito obrigatório sob pena de pecado) abster-se das carnes todas as sextas-feiras do ano; jejuar e abster-se das carnes na Quarta-feira de Cinzas, na Sexta-feira Santa, na vigília da Imaculada e na vigília do Natal. Nada a mais.

2°) se alguém quiser e puder fisicamente fazer mais (Conselho, que não obriga sob pena de pecado) o faça livremente, mas – como o recomendou Jesus no Evangelho – evitando a ostentação farisaica (Mt., XVI, 16-18) e de impor aos outros “pesos difíceis de carregar” (Mt., XXIII, 4).

d. Curzio Nitoglia, aos 7 de março de 2014

Notas:
1. A Congregação do Concílio (em latim, "Congregatio pro executione et interpretatione concilii Tridentini") - atual Congregação para o Clero - era uma congregação da Cúria Romana, surgida para a correta interpretação dos cânones do Concílio de Trento; com o tempo assumiu a tarefa de velar sobre o clero secular. (Wikipédia). 

Vide: http://doncurzionitoglia.net/2014/03/07/digiuno-e-astinenza e http://doncurzionitoglia.wordpress.com/2014/03/07/digiuno-e-astinenza.
+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA