Pesquisar este blog

Novidades!!!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Festa do Sagrado Coração de Jesus

Embora o Sacratíssimo Coração de Jesus seja honrado na primeira sexta-feira de cada mês do ano, a Festa do Sagrado Coração de Jesus acontece na sexta-feira seguinte à Festa de Corpus Christi. É uma festa móvel, portanto: 


2017: 23 Jun
2018: 08 Jun
2019: 28 Jun
2020: 19 Jun



FESTA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS



clique para ver mais imagens

Acredita-se que a Devoção ao Sagrado Coração de Jesus seja tão antiga quanto a Igreja, pois começou na Cruz onde o coração do Crucificado, ferido pela lança, tornou-se símbolo da fonte maior do Amor. Mas o Evangelho sinaliza para outra evidência do fato ao narrar o gesto de João, o discípulo amado, encostando a cabeça no peito de Jesus durante a última ceia. Nesses dois momentos tem-se o sofrimento causado pelos pecados da Humanidade e o consolo pela dor do anúncio da Paixão, na Quinta-feira Santa. 

A Primeira Festa do Sagrado Coração foi comemorada no dia 31 de agosto de 1670, em Rennes, na França, graças aos esforços do Padre Jean Eudes (1602-1680). De Rennes, a propagação da devoção espalhou-se, mas tão somente depois das visões de Santa Margarida Maria Alacoque (1647-1690) é que se tornou universal.


Em todas essas visões, o Sagrado Coração de Jesus desempenhou um papel central. Nas aparições, Nosso Senhor deu à Margarida Maria, Doze Promessas àqueles que venerassem Seu Sagrado Coração.  



No dia 16 de junho de 1675, durante a oitava da Festa de Corpus Christi, numa aparição, Jesus Cristo pediu a Santa Margarida Maria que pedisse para que a Festa do Sagrado Coração fosse celebrada na sexta-feira após a oitava (ou oitavo dia) da Festa de Corpus Christi,ou 19 dias após o domingo de Pentecostes, em reparação pela ingratidão dos homens para com o Seu Santo Sacrifício. Esta devoção está, pois, intimamente ligada ao Santo Sacrifício da Missa.


A devoção ao Sagrado Coração de Jesus tornou-se bastante popular após a morte de Margarida Maria, em 1690.  Embora inicialmente a Igreja tivesse dúvidas sobre a validade das visões,  antes ainda de 1765 a Festa já era celebrada oficialmente na França. Quase 100 anos depois, em 1856, o Papa Pio IX, a pedido dos Bispos Franceses, estendeu a festa à Igreja Universal.  


Entre os documentos mais importantes em torno do assunto destaca-se a Encíclica de Pio XII, Haurietis aquas (Sobre o Culto do Sagrado Coração de Jesus), de 15 de maio de 1956. Nela, o Pontífice salienta que é o próprio Jesus quem toma a iniciativa de apresentar o seu Coração como fonte de restauração e de paz:

- Vinde a mim, todos vós, que estais cansados e oprimidos, que Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve, conforme o apóstolo Mateus relata no evangelho.
Há também a Encíclica de Leão XIII, Annum Sacrum (Sobre o Sagrado Coração), de 25 de maio 1899. 

 

FESTA


Assim, na Sexta-feira depois da Oitava da Solenidade de Corpus Christi, a Igreja celebra a Festa do Sagrado Coração de Jesus. Conforme Santa Margarida Maria Alacoque, este deve ser dia de reparação pela ingratidão, frieza, desprezo e sacrilégios que muitas vezes Jesus sofreu na Eucaristia. Em todas as igrejas acontecem atos coletivos de reparação. Para estimular os cristãos e retribuir as provas de amor ao divino Coração de Jesus, a Igreja dedica à sua veneração não só a primeira Sexta-feira de cada mês, mas todo o mês de junho. 


"Na linguagem Bíblica" , embora a palavra coração "indique o centro da pessoa, onde os seus sentimentos e intenções habitam", o Coração do Redentor representa além de tudo o Seu Amor por toda a Humanidade, a Sua Misericórdia Infinita. Praticar a devoção ao Sagrado Coração de Cristo, portanto, significa adorar aquele Coração que nos amou até o fim, que foi trespassado por uma lança e do alto da Cruz derramou sangue e água, uma fonte inesgotável de vida nova.

A Festa do Sagrado Coração de Jesus é antes de tudo uma chamada Eucarística, porque na Hóstia Sagrada, Nosso Senhor está verdadeiramente presente e Ele oferece a cada um de nós Seu Coração, Seu Amor Misericordioso. Passar o tempo na presença Eucarística do Senhor, adorá-lO, é a melhor expressão da devoção ao Seu Sagrado Coração.

.
"Eís o Coração que amou a humanidade!"

O mais profundo desejo do Coração de Jesus é que descubramos o quanto Ele nos ama, e a extensão de Seu terno Amor por todas as criaturas que, arrefecidas por seu egoísmo, olham somente para dentro de si, e  parecem ter até medo de se deixarem ser  amados incondicionalmente por Seu Criador, que nada  pede e ama por pura gratuidade.

Muitas vezes, ao longo de toda história, os Sumos Pontífices lembraram à Humanidade que, sem Nosso Senhor, a vida não tem significado real, e o homem ainda tatearia no escuro para encontrar a si mesmo!

Como a sociedade, a cultura, a economia, a política hoje precisam abrir-se a este Sagrado Coração! Quanto necessita redescobrir o Coração Misericordioso, o Amor Infinito de Deus que se revela em nossas vidas quando nos abrimos para Ele.

É verdade que, quanto mais o homem se cerca de mil coisas, mais ele perde o principal, mais ele se distancia de Deus,  menos ele corresponde a este Amor amando-O.

Nesta festa devemos ter atenção em Jesus presente na Santíssima Eucaristia e devemos refletir sobre o Amor incondicional de Deus e sobre a Misericórdia Infinita, simbolizada pelo Seu Coração. É preciso nos aproximarmos de Jesus, e é por meio da Adoração Eucarística que somos "abertos", a partir de dentro, pelo Seu trabalho invisível em nós. A Santíssima Eucaristia, celebrada e adorada como a Igreja nos ensina, é o maior e mais eficaz tesouro da nossa salvação, um tesouro infinito que deve ser salvaguardado com profundo  respeito e profunda devoção.

É extremamente necessário lembrarmos aqui que a Igreja celebra tanto o Coração Augustíssimo do Filho quanto Coração Amantíssimo da Mãe. Diz o Santo Padre: "O Coração que se assemelha ao de Cristo  mais do que qualquer outro é, sem dúvida, o Coração de Maria, Sua Mãe Imaculada, e por isso mesmo a liturgia os detém juntos para a nossa veneração".

Confiemos o mundo inteiro, o Santo Padre, nossa Santa Igreja, todo o Clero, nossa Diocese, nossa comunidade, nossa família , nosso coração, todo nosso ser e  missão aos Sacratíssimos Corações de Jesus e Maria, para que todos juntos possam  experimentar o Amor misericordioso de Deus e conheçam a verdadeira Paz.



Promessas do Sagrado Coração de Jesus


1. Darei ás almas mais dedicadas a meu Coração todas as Graças necessárias ao seu estado.
2. Farei reinar paz em suas famílias .
3. Eu Consolarei em suas penas.
4. Serei seu refúgio seguro durante a vida e ,sobre tudo na hora da morte.
5. Derramarei copiosas bênçãos sobre todas as suas empresas.
6. Os pecadores acharão em meu Coração a fonte e o oceano de misericórdia .
7. As almas tíbias se tornarão fervorosas.
8. As almas fervorosas elevar-se-ão rapidamente a uma grande perfeição .
9. Abençoarei as casas em que se achar exposta e for venerada a imagem do meu Coração.
10. Darei aos sacerdotes o dom de tocar os corações mais endurecidos .
11. As pessoas que propagarem esta devoção terão seus nomes escritos indelevelmente no meu Coração .
12. O amor todo poderoso do meu Coração concederá a graça da perseverança final a todos os que comungarem na primeira sexta-feira do mês,por noves meses seguidos.   



Devoções

Há inúmeras devoções ao Sagrado Coração de Jesus Santíssimo. A piedade popular, nisso, é riquíssima. Vamos lhes indicar o trabalho de almas piedosas que publicaram em seus blogs e sites essas orações, pedindo-lhes que rezem por elas e por seu apostolado. Algumas aqui. A seguir algumas devoções mais conhecidas:

Súplica ao Sagrado Coração de Jesus 

Oração pedindo fervorosa devoção ao Sagrado Coração de Jesus 
Ladainha do Sagrado Coração  
Oração ao Coração Aberto de Jesus Cristo 
Novena da Confiança ao Sagrado Coração de Jesus


Ato de Consagração ao Sagrado Coração de Jesus


Jesus dulcíssimo, cujo imenso amor pelos homens é com tanta ingratidão retribuído com esquecimentos, negligências e desprezo, eis que nós, prostrados diante de vossos altares, desejamos reparar com particulares atos de honra uma tão indigna frieza e as injúrias com as quais de toda parte é ferido pelos homens o vosso amantíssimo Coração. 

Lembrando, porém, que nós também, em outras ocasiões, nos manchamos de tanta indignidade, e, cheios de vivíssima dor, imploramos antes de tudo para nós a vossa misericórdia, prontos a reparar com voluntária expiação, não apenas os pecados por nós cometidos, mas também os pecados daqueles que, vagando longe da via da salvação, ou recusam seguir-Vos como Pastor e Guia obstinados na infidelidade deles, ou, pisoteando as promessas do Batismo, sacodem o suavíssimo jugo de vossa lei.

E, enquanto desejamos expiar todo o acúmulo de tão deploráveis delitos, nos propomos de repará-los cada um em particular: a imodéstia e as feiuras da vida e do vestuário; as inúmeras insídias da corrupção armadas contra as almas inocentes; a profanação dos dias festivos; as injúrias execrandas lançadas contra Vós e os vossos Santos; os insultos lançados contra o vosso Vicário e a Ordem Sacerdotal; as negligências e os horríveis sacrilégios nos quais é profanado o próprio Sacramento do Amor divino; e, por fim, as culpas públicas das Nações que se opõem aos direitos e ao Magistério da Igreja por Vós fundada. 

Ó!... pudéssemos lavar com nosso próprio sangue estas afrontas! No entanto, como reparação da honra divina pisoteada, nós Vos apresentamos — acompanhando-a com as expiações da Virgem Vossa Mãe, de todos os Santos e das almas piedosas — aquela satisfação que Vós mesmo um dia ofereceste sobre a Cruz ao Pai e que todos os dias renovais sobre os altares: prometendo com todo o coração de querer, na medida em que pudermos e com a ajuda da Vossa graça, reparar os pecados cometidos por nós e pelos outros e a indiferença para com tão grande Amor, através da firmeza da fé, a inocência da vida, a perfeita observância da lei evangélica, especialmente a da caridade; prometemos também de impedir, com todas as nossas forças, as injúrias contra Vós, e de atrair quantos mais pudermos ao vosso séquito. Acolhei, Vos rogamos, ó benigníssimo Jesus, pela intercessão da Beata Virgem Maria Reparadora, este voluntário obséquio de reparação, e conservai-nos fidelíssimos na vossa obediência e no vosso serviço, até à morte, com o grande dom da perseverança, graças ao qual possamos todos nós um dia alcançar aquela pátria onde Vós, com o Pai e com o Espírito Santo, viveis e reinais, Deus, por todos os séculos dos séculos. Assim seja. 


Da encíclica Miserentissimus Redemptor, de S.S. o Papa Pio XI, sobre o ato de reparação ao Sacratíssimo Coração de Jesus. Tradução: Giulia d'Amore. 

Vide mais sobre a Festa, aqui



Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA