Pesquisar este blog

sábado, 15 de junho de 2013

A mentira e o embuste não são valores católicos

Publico o artigo do fórum "Un évêque s'est levé!", em Francês mesmo, que denuncia mais um ato imoral de dom Fellay. A tentativa de hackear contas fazendo-se passar por um padre da Resistência. Vamos por partes. 

1. Foi dom Fellay pessoalmente, ou a seu mando, que violou a privacidade das contas de fiéis da Tradição? Não temos como afirmar, mas não é isso que importa aqui. O cerne da questão é outro: dom Fellay confirmou que leu os emails. Não basta? Não é um ato grave o suficiente? Não deveria ter descarregado sua ira de bom pastor naqueles que agiram de forma tão criminosa? Não deveria ter-se recusado a ler os emails, "excomungando" como sói fazer com aqueles que "falam mal" dele? Como deve agir o Superior Geral de uma Congregação Católica em um caso desses? Senhores padres que ainda militam sob seu comando, senhores fiéis que ainda se deixam enganar com malabarismos intelectuais... me digam vocês! E, pior, como fica, nesse caso, o Oitavo Mandamento de Deus? Como podem continuar pregando o que vocês mesmos não praticam? Como corrigem o irmão se não corrigem a si mesmos? Quem cala... consente!

2. Agir nas trevas. Porque é necessário invadir a caixa postal dos fiéis? Desde quando os fins justificam os meios? Não nos ensinaram que não há bem algum que justifique a prática de um pecado? Infelizmente, não é uma prática que eu possa dizer que desconheça, como já disse aqui, quando respondi às calúnias do Prior de São Paulo contra os resistentes. Eu bem sei do que ele é capaz, porque, em algumas ocasiões, fui a mão ingênua de sua mente "astuta". Mea culpa! Mea culpa! Mea culpa! E agora, como todas as verdades ocultas que estão vindo à luz do dia, passo a ter uma visão diferente de tudo o que vi e ouvi, e a compreender como age o senhor prior, mostrando que aprendeu tudo o que precisava de seu mentor de Menzingen. Tanto o "agir nas trevas" quanto o "caluniar a vítima", sendo descoberto ou não. É a política de dom Fellay.

3. E le stelle stanno a guardare. Alguém pode até pensar que, quando descobrimos e denunciamos as ações dos traidores de Monsenhor Lefebvre, o fazemos com júbilo e sofreguidão. Se enganam. É doloroso! É como matar a inocência, todas as vezes. É como perder as ilusões, todas as vezes. É de tal forma doloroso que não há palavras que possam retratá-lo. É uma vergonha "lavar roupas sujas" publicamente? Sim! E quem discorda? Mas... e então? As roupas devem continuar sujas, por causa de respeitos humanos, boas maneiras, aparências? Eu li em algum lugar que as roupas sujam devem ser lavadas no quintal dos fundos, mas acabam sendo estendidas ao sol, para secar. Ao bom entendedor... 
De qualquer forma, a culpa é de quem as lava (ou estende ao sol) ou de quem as suja? 
Nessas ocasiões me lembro de um fato que acabou se tornando uma anedota, mas é verídico porque eu testemunhei: Quando trabalhava, eu fazia parte de um grupo de profissionais de nível superior (supostamente sérios e responsáveis, portanto), e certa vez, durante uma reunião semanal, um dos colegas foi repreendido publicamente pelo superior por estar fazendo algo que não deveria: no horário de trabalho, às expensas do "patrão", e por mais de uma vez. O colega tentou arrumar desculpas, mas sem êxito. Após a saída do superior, o colega nos repreendeu por sua vez, por alguém entre nós ter contado o que ele havia feito. E exigia saber quem fora. Um outro colega calmamente lhe respondeu: "Quem errou? Você que agiu mal ou um de nós que te denunciou?". Jamais esqueci esta frase e, infelizmente, dela me lembro com frequência ao constatar que isso sempre acontece: a fúria é sempre contra quem revela, não contra quem age mal. Com essa "ceninha", o autor do fato procura tirar a atenção de seus atos para escapar da situação: malabarismo intelectual! E quando faz isso, ele peca duas vezes: uma ao agir, outra ao não assumir a responsabilidade; por vezes, peca uma terceira vez, ao acusar injustamente outra pessoa. 
Bom, isso temos visto acontecer várias vezes. Dom Williamson vem denunciando as ações de dom Fellay há muito tempo. Em público, quando necessário. E qual é a resposta? Malabarismos intelectuais, prestidigitações  verbais... cortinas de fumaça! Ora dizendo que dom Williamson é isso ou aquilo, ora ameaçando com "excomunhões" e acusações de sedevacantismo (sic!) e exigindo OBEDIÊNCIA!!! Total, absoluta e cega! O pior é que as máscaras vão caindo, e tudo o que Dom Williamson disse tem se revelado VERDADE. E onde está a justa reparação que tanto é cobrada - porque devida! - nos confessionários?


Por fim, fica o alerta: redobrem o cuidado! Ao receber o informe do fórum, recebi também esse alerta para observar bem "quem" lhe envia a mensagem. Sim, é possível invadirem sua caixa postal. O que causa assombro é quem está fazendo isso, e por que!

Giulia d'Amore di Ugento

+

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA