Pesquisar este blog

domingo, 8 de dezembro de 2013

A sionização da Neo-FSSPX ao longo do tempo

A sionização da Neo-FSSPX ao longo do tempo 




As coisas vão de mal a pior no Reino de Menzingen.  

O que um fellayano diz não se escreve. E isso vale também e sobretudo para o Rei de Menzingen, o filo-sionista Bernard Fellay, que entre os amigos mais próximos coleciona um judeu que cuida das finanças da Neo-FSSPX (espólio da Obra de Dom Lefebvre que foi tomado na mão grande), Maximilian Krah

Como vemos da cronologia que o blog Non Possumus se deu ao trabalho de fazer, a mania de dizer e desdizer não se limita ao acordo prático que vergonhosamente dom Fellay tentou "costurar" com Bento XVI, mas vai além, vai até à honra de Cristo. 

O conceito de inimigo de Cristo muda muito nos Alpes suíços, e quem é inimigo hoje não necessariamente o será amanhã, e para isso se manipula a verdade e a História! Em 1989, para a FSSPX, os judeus NÃO ERAM nossos "irmãos mais velhos" e ERAM deicidas. A partir de 2004 temos as duas versões, mas já começa um mitigamento da responsabilidade dos assassinos de Cristo, que É Deus. Até quem em 2012 dom Fellay chega a reescrever o Magistério da Igreja afirmando, com todas as letras, que o Magistério não disse o que disse... Em 2013 nossos olhos desgraçadamente leem que os deicidas não são deicidas. 

E a pergunta que não quer calar é: "se eles NÃO são deicidas, mas MATARAM Cristo... Cristo não é Deus?". 

Isso foi há mais de uma semana, e até agora Menzingen sequer suspirou. Nem pe. Bouchacourt se retratou ou "explicou melhor" o que "quis dizer". Coisa tipicamente fellayana. 

Cristo, pendurado a madeiro, ainda espera por satisfações. E reparações.


A outra pergunta que não quer calar é: por que nenhum padre da "FSSPX versão Fellay" vem a público defender a honra de Deus? Se a covardia os impede, por quê não o fazem privadamente, exigindo seja que pe. Bouachourt se retrate, seja que a FSSPX se manifeste CLARAMENTE - sim sim, não não - sobre esses dois temas: deicídio e Antiga Aliança? Um prato de sopa quente vale isso? 

Mais uma pergunta: por quê os fieis que fazem uso da razão - porque os que não fazem são inimputáveis, ao nível dos mentecaptos - se calam? 

Acerca do por quê dessa mudança gradual, me vem em mente a história da marketização da Neo-FSSPX, lembram? Aqui e aqui. Mas não descarto a influência de Mister Krah ou de qualquer outro organismo sionista que tenha se infiltrado em Menzingen. 

E o que mais me causa espanto nisso tudo é que Mons. Lefebvre considerava os judeus responsáveis pela morte de Cristo e, portanto, DEICIDAS!, como lembra Salomón Kalmanovitz: "Para monseñor Lefebvre, los judíos seguíamos inmersos en el deicidio hereditario", aqui

Finalmente, nunca é demais lembrar a verdade e o ensinamento da Igreja sobre o tema, bem explicado em Orgulho Ancestral, por Mons. Williamson.

Que Nossa Senhora da Imaculada Conceição os ilumine e lhes dê a coragem que qualquer criança de Primeira Comunhão tem.

Giulia d'Amore


* * *

A MUDANÇA GRADUAL DA FSSPX EM SUA POSIÇÃO SOBRE OS JUDEUS



1989, Padre Schmidberger, conferência na Irlanda (AQUI):

“Está claro que Deus escolheu a um povo para preparar a vinda do Messias e, chegado o tempo, este Messias, anunciado pelos profetas, foi rechaçado por seu próprio povo que o Crucificou. (…) Está claro também que os judeus não podem ser chamados de nossos irmãos mais velhos na fé. Como pode o Papa dizer isso quando visitou a sinagoga, em Roma (…)?

Podemos dizer que os judeus são culpáveis de Deicídio? Devemos dizer que sim, pois são eles que pediram a morte de Nosso Senhor e pediram que Seu Sangue caísse em suas cabeças e nas cabeças de seus filhos. Quero deixá-lo muito claro: Não falo dos judeus enquanto raça, falo dos judeus enquanto religião. Então, o que acontece com os judeus de hoje? Bem, enquanto eles não se retratarem de seu crime, dessa ação de seus ancestrais, eles também são culpados. Devem dissociar-se dela e reconhecer a Nosso Senhor, eles devem ser batizados e converter-se em seus discípulos”.


2008: Padre Schmidberger, Carta aos bispos alemães (AQUI):

“Com a morte de Jesus na Cruz, a antiga Aliança foi abolida. (…) Com isso, não apenas os judeus de nossos dias não são ‘nossos irmãos mais velhos na fé’, como assegurou o Papa em uma visita à sinagoga de Roma em 1986. Eles são, também, culpados da morte de Deus, enquanto eles não aceitarem a divindade de Cristo e o batismo, que são as únicas ações que os distanciariam da culpa de seus antepassados. Porém, o Vaticano II sustenta, erroneamente, que os sofrimentos de Jesus não podem ser atribuídos nem aos judeus de Seu tempo, nem aos judeus de nossos tempos.


2011: site oficial da FSSPX do distrito dos Estados Unidos: se faz uma crítica ao livro de Bento XVI “Jesus de Nazareth”. Este artigo desapareceu do site, e nele se lê:

“O Papa Bento XVI fez uma radical exoneração do povo judeu acerca da morte de Jesus Cristo em seu novo livro (…) Isso não é de se estranhar, pois segue a Nostra Aetate, que iniciou a revolução das relações da Igreja com os judeus. Neste novo livro, Bento trata de explicar, bíblica e teologicamente, por que não há bases nas Escrituras para afirmar que os judeus são responsáveis pela morte de Cristo”.

Depois de expor as afirmações do Papa, continua dizendo:

A responsabilidade do povo judeu como tal pela morte de Cristo tem sido um ensinamento constante do Magistério, baseado nas Escrituras e nos Padres da Igreja.”

AGORA O CONTRÁRIO:

2004: Em um artigo do site oficial da FSSPX dos Estados Unidos, tirado do The Angelus, lemos isso:

O Evangelho nos ensina, portanto, que a raça judia carrega a maldição que se seguiu ao crime de deicídio. Mas em que consiste essa maldição? Certamente não pode ser que haja uma culpa coletiva da raça judia pelo pecado de deicídio. Os indivíduos responsáveis pelo pecados são os que, consciente e voluntariamente, o levaram a cabo”.


2009: Padre Schmidberger: 
“A afirmação de que os judeus de hoje carreguem a ‘culpa de seus pais’, se refere apenas ‘àqueles judeus que se alegram da morte de Jesus Cristo’ ...”. http://www.spiegel.de/international/germany/catholic-controversy-german-far-right-hails-holocaust-denier-williamson-a-603770.html

2009: Mons. Fellay: 
“Os judeus são nossos irmãos mais velhos”. http://rorate-caeli.blogspot.com/2009/02/fellay-jews-are.html

2012: Mons. Fellay: 
“Dizer que todos os judeus são responsáveis pela morte de Nosso Senhor não é ensinamento da Igreja, portanto isso é um erro”, “Porém, a gente que está de acordo (com a crucifixão) ... eles se unem aos que foram responsáveis”. http://www.catholicnews.com/data/stories/cns/1201985.htm

E A ÚLTIMA:

2013: Padre Bouchacourt: 
“O povo judeu não cometeu o deicídio. Creio que a religião judaica não aceitou a Nosso Senhor como o Redentor e pediu a morte de Nosso Senhor". http://www.clarin.com/edicion-impresa/Fraternidad-San-Pio-catolicos-Francisco_0_1039696144.html.

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Um comentário:

  1. "Sim sim, não não", tão simples, tão objetivo, tão puro, tão honesto e ... tão difícil.

    Por que difícil ? Porque revela o que ou quem realmente cada um é.

    ResponderExcluir

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA