Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Quem foi Mandela?


Diante da reação estapafúrdia do mundo diante da morte do criminoso de guerra, o marxista Nelson Mandela, se faz necessário dizer a verdade. Publico um artigo do blog "Anotaciones de Pensamiento y Critica, Lejos del Discurso Cultural Dominante", de língua espanhola.

Sobre os "The Helders", os atuais são: 
  1. Martti Ahtisaari; ex-presidente da Finlandia e Prêmio Nobela da Paz em 2008.
  2. Kofi Annan (vide abaixo)
  3. Ela Bhatt (vide abaixo)
  4. Lakhdar Brahimi (vide abaixo)
  5. Gro Harlem Brundtland (vide abaixo)
  6. Fernando Henrique Cardoso (vide abaixo)
  7. Jimmy Carter (vide abaixo)
  8. Hina Jilani; ativista paquistanesa.
  9. Graça Machel (vide abaixo)
  10. Mary Robinson (vide abaixo)
  11. Ernesto Zedillo; ex-presidente do México, se diz "católico romano".
Mais dois honorários:
  1. Nelson Mandela
  2. Desmond Tutu (vide abaixo)





Dada a manipulação hagiográfica de Mandela, uma opinião divergente




Em novembro de 2009, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 18 de julho o “Dia Internacional de Nelson Mandela”.
Toda mídia servil ao sistema e muitos outros, em uma demonstração de ignorância imitadora mas cúmplice, participou da campanha hagiográfica.
Esta unanimidade midiática e a origem da proclamação, a ONU, já são elementos suficientes para ‘pensar mal’ do sujeito homenageado e, especialmente, da carga ideológica que está por detrás da celebração.
Quem é Nelson Mandela? Creio seja útil recordar um post anterior
Uma anedota que serve para expressar uma categoria:
Mandela foi “Prêmio Lênin da Paz” em 1962 [foi em 1990, e foi o último a ganhar este prêmio]. O prêmio era entregue anualmente pela União Soviética para os indivíduos que tiverem “contribuído para a causa da paz entre os povos” (traduzido do politiquês: os que tivessem servido aos interesses da URSS). O nome oficial no início era “Prêmio Stalin da Paz entre os povos” e, depois de desestalinização, “Prêmio Lênin da Paz entre os povos”. Entre outros, receberam o prêmio: Fidel Castro [1961], Khrushchev [1959] e Dolores Ibárruri [1964]. [e Jorge Amado (1951), Eliza Branco (1952), Oscar Niemeyer (1963); depois disso, nenhum brasileiro mais ganhou até agora]. 

Mandela em notícias da CNN


Graças a Deus, Mandela foi libertado da prisão por crimes terroristas cometidos (Mandela e o CNA estiveram por décadas na lista negra terrorista dos Estados Unidos [*]), após a queda do Império Soviético.

Assim, a África do Sul, a sua posição geoestratégica e os seus vastos recursos naturais, tinham sido postos a serviço do Comunismo, e milhões de africanos foram escravizados pelo Comunismo.

Mandela com o líder do Partido Comunista Sul-Africano, Joe Slovo.


Também os irmãos hispano-africanos de Angola e Moçambique que não puderam se livrar das ditaduras genocidas do MPLA e do Frelimo (aliados incondicionais da URSS).
.


Mandela com Fidel Castro



Por certo, entre outros desastres, Mandela deixou a África do Sul, depois de passar pelo governo,

  • com um quarto da população infectada com AIDS (é o País com o maior número de infectados),
  • com um nível de criminalidade e insegurança dos cidadãos (por exemplo, mais de 50.000 homicídios por ano em uma população de cerca de 40 milhões de habitantes), das quais as principais vítimas são os sul-africanos pobres e negros,
  • com a fuga, desde que chegou ao poder (1994), até agora, de quase um milhão de brancos (cerca de 20 %), devido à insegurança e às medidas de “discriminação positiva” para os negros. Com eles se foram médicos, arquitetos, engenheiros, contadores, professores, inspetores, veterinários etc., os profissionais que poderiam fazer o País avançar.
  • com uma administração desmontada e corrupta, especialmente nos corpos de segurança (repressivos)...

A respeito de seus suposto antirracismo, que se pergunte aos negros da etnia Zulu, que políticas segue o CNA, do qual
Mandela foi presidente durante décadas. Ou como o CNA tratou a violência xenófoba do verão de 2008, com abundância de assassinatos contra os negros refugiados imigrantes de Moçambique, Malawi e Zimbabwe.

Em qualquer caso, ver o naipe do personagem não seria necessário aportar os dados anteriores. Repito, somente o tratamento favorável que lhe dá a mídia do sistema deveria ser mais do que suficiente para intuir que o personagem é deplorável.

Uma unanimidade que mostra o domínio da Nova Ordem Mundial.


A notícia de que a ONU declara o dia 18 julho “Dia Internacional de Nelson Mandela” e que a citada resolução foi aprovada pela ONU com o apoio de mais de 165 Países mostra o domínio da Nova Ordem Mundial, da qual Nelson Mandela é um personagem paradigmático.

Nelson Mandela participa de todas as iniciativas contrárias aos valores que têm sido característica da Civilização Ocidental.

De modo específico, se comprometeu especificamente na reengenharia anticristã, e por isso é o “líder” do The Elders, “... um grupo independente de eminentes líderes mundiais, reunidos por Nelson Mandela, que oferecem sua influência coletiva e experiência para apoiar a consolidação da paz, ajudar a resolver as principais causas de sofrimento humano e promover os interesses comuns da humanidade”.
 


Esse grupo, conforme relatado do “Noticias Globales”, é sustentado pelo bilionário Richard Branson (Virgin Group) e pelo músico Peter Gabriel (The Peter Gabriel Foundation), ambos ingleses, que apenas para o lançamento da Loja, em 2007, levantaram 9 milhões de libras esterlinas.
    
“The Elders”, como eles informaram, se dedicam “a forçar uma mudança nas ‘religiões tradicionais’.”

 
Através de Mabel van Oranje
[Site da Princesa Mabel: http://www.girlsnotbrides.org/], a Chief Executive Officer, “The Elders” se relaciona como “European Council on Foreign Relations”, o “Fórum Econômico Mundial” de Davos e com o “Open Society Institute”, do judeu húngaro George Soros
 
Além de Mandela, entre os “Elders
, se destacam várias cabeças visíveis da indústria internacional do aborto e do homossexualismo, promotores de uma nova religião universal, em seus vários experimentos: ética planetária, Carta da Terra, Aliança das Civilizações etc.
  1. Kofi Annan, ex-Secretário-Geral da ONU; promotor do aborto e do homossexualismo. [Protestante]
  2. Ela Bhatt, da Índia. Recebeu o “Right Livelihood Award”, chamado “Prêmio Nobel da Paz Alternativo”.
  3. Lakhdar Brahimi, da Argelia. Ex-assessor especial do Secretário-Geral da ONU (2004), por sua vez, membro de outro grupo de pressão dos líderes políticos, a “Global Leadership Foundation”. [Muçulmano]
  4. Gro Brundtland, ex-primeira-ministra da Noruega. Organizou a “Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento” das Nações Unidas; ex-diretora-geral da "Organização Mundial da Saúde" (OMS); fundadora da "Comissão de Governabilidade Global"; abortista e pró-gay.
  5. Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil, fundador da "Comissão de Governabilidade Global"; [abortista e pró-gay].
  6. Jimmy Carter, ex-presidente dos EUA, fundador da "Comissão de Governabilidade Global".
  7. Graça Machel, terceira mulher de Nelson Mandela.
  8. Mary Robinson, ex-presidente da Irlanda e ex-"Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU”; defensora do pseudodireito ao aborto e do lobby gay internacional; contrária à ordem natural dirige a “Ethical Globalization Initiative”.
  9. Desmond Tutu, bispo anglicano abortista e pró-gay.
  10. Muhammad Yunus, fundador do “Grameen Bank”. [ex-membro, segundo Wikipédia italiana]
  11. Aung San Suu Kyi, ativista política da Birmânia/Mianmar. [animista.]

Na primeira lista de 2007, figurava como membro do “The Elders”, Li Zhaoxing, ex-ministro das Relações Exteriores da China comunista.



[este trecho parece ter sido retirado daqui: http://www.sacralidade.com/mundo2009/0246.elders.html].
[ver também: http://www.noticiasglobales.org/comunicacionDetalle.asp?Id=1272].

------------------

[*] Não foi antes de junho de 2008 que o Congresso e o Senado dos EUA aprovaram uma medida para tirar Nelson Mandela e sua organização comunista, o CNA, de sua lista de suspeitos de terrorismo.

Um exemplo paradigmático da manipulação da mídia que cria um Mandela falso é o filme de Clint Eastwood, “Invictus: como fazer um falso herói” [algo em português], como denuncia o artigo de Eduardo Arroyo. 

Fonte: http://anotacionesdepensamientoycritica.blogspot.com.br/2013/12/ante-la-manipulacion-hagiografica-de.html.
Tradução e algumas notas e links: Giulia d'Amore.


* * *

Quem é Nelson Mandela? Nelson Mandela foi retirado da prisão por um Rockfeller, que tinha interesse nas minas de diamante por décadas. Assistam ao vídeo vão entender. O filme "Diamante de Sangue" explica. Nelson Mandela foi um dos que entregaram os diamantes nas mãos dos Rockfeller, que fizeram o favor de sujar com sangue de gente inocente quem nem sabe porque morreu...



Fonte: http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-perdemos-mandela


* * *


Símbolo do ROTARY no Congresso Nacional Africano

Mandela Cavaleiro de Malta
ele era comunista

Mandela e Oliver Tambo, aperto de mão maçônico


Leia também: http://contra-o-aborto.blogspot.com.br/2013/12/mandela-um-idolo-para-chamar-de-seu.html.


Leia mais sobre o aborto: http://farfalline.blogspot.com.br/p/aborto.html.


+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA