Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Jack, o Estripador e o Capítulo da FSSPX

Comentários semanais
De S. E. Mons. Richard Williamson
Bispo da Fraternidade Sacerdotal de São Pio X
4 de agosto de 2012

Um capítulo


Como muitos de vocês sabem, certo bispo foi excluído do Capítulo Geral, a reunião dos líderes da Fraternidade de São Pio X, realizada no mês passado em Ecône, na Suíça. Para confirmar a exclusão, parece terem lançado mão da adaptação de "Comentários Eison" (n. 257, de 16 dejunho) sobre o aparente desejo homicida de São Paulo, que queria "eliminar" os corruptores da Fé Católica (Gal. 5,12). Na verdade, Ambrósio, Jerônimo, Agostinho e Crisóstomo consideram que, naquele contexto (Gal. 5,1-12), o pensamento fosse dirigido à virilidade dos judaizantes, mais do que às suas vidas, e Crisóstomo acha que se tratava de uma brincadeira.

No entanto, quando ouvi dizer do uso sério que se fez no Capítulo de tal brincadeira, devo admitir que tive uma visão um tanto malandrinha: imaginei os meus nobres colegas dos Quartel General da FSSPX a olhar para fora das janelas, durante a noite, para ver se não haveria certo bispo Inglês magricela, fantasiado de Jack, o Estripador, a vagar por entre os arbustos, com uma longa faca trinchante brilhando à luz do luar, procurando alguém para esquartejar. Caros colegas, podem dormir sonos tranquilos - eu não tenho ambições homicidas. Honestamente!

Mas o Capítulo foi uma coisa séria. O que produziu? Sobretudo, uma Declaração, divulgada alguns dias depois, e seis pré-condições para um futuro acordo Roma-FSSPX, vazadas logo na Internet (visto que muitas almas estão atualmente confiando sua fé e sua salvação nas mãos de quem guia a FSSPX, acho que tal vazamento não é sem razão). Agora, com todo respeito para as pessoas boas do Capítulo que, pelo que dizem, fizeram o seu melhor para limitar os danos, se a Declaração e as pré-condições nos dizem qual é a intenção atual da totalidade dos líderes da Fraternidade, então há o que se preocupar.

Sobre esta Declaração de 2012, basta confrontá-la rapidamente com a Declaração de Mons. Lefebvre de 1974 para se pergunta o que houve com a sua Fraternidade. Considerando que Monsenhor denunciou explícita e repetidamente a reforma empreendida pelo Vaticano II ("saída do liberalismo e do modernismo, é totalmente envenenada; ela nasce da heresia e acaba na heresia"), com palavras que atraíram sobre ele a ira dos papas conciliares, esta Declaração de 2012, no entanto, limita-se a se referir ao Concílio uma única vez, ao falar de “novidades” simplesmente “viciadas de erros", com termos que, se pode facilmente imaginar, poderiam, do começo ao fim, ser subscritos por Bento XVI.
A FSSPX entende que os papas conciliares não representam mais um problema sério?

Acerca das seis pré-condições para qualquer futuro acordo Roma-FSSPX, elas merecem um exame aprofundado, mas no momento é suficiente dizer por agora que a exigência do Capítulo Geral de 2006, que estabeleceu que qualquer acordo prático deveria ser precedido de um acordo doutrinário, parece ter sido completamente abandonada.
A FSSPX entende hoje que a doutrina dos Romanos a quem se submeteria não é mais tão importante assim? Ou é a própria FSSPX que sucumbiu ao fascínio do liberalismo?

Para um ponto de vista oposto, poderia recomendar a coleção dos "Sermons and Doctrinal Conferences", de 1994 a 2009, de Sua Excelência Jack, o Estripador, agora disponível em sete CDs no site True Restoration Press, com incentivos especiais para a compra até o final deste mês?
Nem todas as palavras são de ouro, algumas são, sem dúvida, muito acaloradas, mas pelo menos se tenta estripar os inimigos, e não os amigos da nossa fé católica.

Kyrie eleison.

Londres, Inglaterra

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA