Convite

 
Feminismo: o maior inimigo da mulher
Grupo do Facebook • 157 membros
Participar do grupo
Grupo criado com o propósito de desmascarar o feminismo.
 

Pesquisar este blog

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Protocolo e boas maneiras na Igreja

Nunca é demais lembrar do protocolo e das boas maneiras. Prometo me aprofundar neste tema importantíssimo, tendo em vista que discordo de algumas 'normas' da Sra. Chedid, como, por exemplo, quando afirma que não há necessidade de beijar a mão do sacerdote; de uma freira até concordo, porque ela não tem alguma autoridade em particular, como ser o Alter Christus. No mais, lembrem-se que quase tudo é uma questão de bom senso. Na dúvida, seja natural, mas non troppo!

GdA


Etiqueta na Igreja

Por Maria Cândida Gonzaga Chedid
Todos os direitos autorais reservados exclusivamente ao Portal Brasil

(…)

A IGREJA (sempre se refere à Igreja Católica)


 - É na Igreja que encontramos motivos de alegria e alívio. É com respeito que devemos entrar numa igreja. Ao entrar em uma igreja, veja se há lâmpada acesa diante do altar. Havendo, faça uma genuflexão, porque a lâmpada acesa indica a presença do "Santíssimo Sacramento". Não estando acesa a lâmpada, a genuflexão é dispensada.
- Ninguém deve conversar na Igreja, principalmente quando há ofício.
- Não se deve ficar próximo ao confessionário, perturba quem está confessando e é indiscreto.
- Há momentos em que exigem a posição ajoelhada só dispensada apenas aos mais idosos ou doentes (diria melhor se dissesse "aos que tem dificuldades para ajoelhar, porque assim dá a impressão que todos os idosos, mesmo os de boa saúde, são dispensados de se ajoelhar).
- Os homens devem entrar na igreja com chapéu na mão e sem fazer ruído com os passos.
- Gravata e o paletó são indispensáveis para cerimônias formais.
Se não sabe o que fazer à mesa,
acompanhe a anfitriã!
- Nunca é permitida a indumentária de praia, seja para homem ou mulher, mesmo sendo na igreja de uma praia. As mulheres devem estar vestidas com decência, com vestidos adequados que não seja muito decotado e sem mangas, nem muito curto. Mesmo sem casamentos, esse modo de vestir deve ser seguido.
- Não se deve confessar com luvas, a cabeça deve ser coberta por mantilha (véu) ou um lenço. 
- Missa de sétimo dia, as toaletes (roupas, vestes) escuras ou discretas, são sempre bem aceitas.
- Não há necessidade de beijar a mão do sacerdote (aqui, discordo! Quem não beijaria a mão de Cristo?) ou de uma freira.
- Aos "Cardeais", "Arcebispos e Bispos", deve-se beijar o anel pastoral e fazer ligeira genuflexão diante da cruz pastoral que o prelado traz no peito, e na qual há uma relíquia do "Santo Lenho".
- Devemos tratar com deferência, o Vigário da Paróquia.
- Quando um Sacerdote entra em uma das salas, as senhoras também se levantam em respeito. A idade não entra em consideração.
- Um Bispo tem as honras de um chefe de Estado, quando em visita a uma pessoa católica. Aí entra todo o protocolo.
- As visitas ao Papa, obedecem a um protocolo fácil de se conhecer, antes da audiência privada. O embaixador do País sabe como agir e aconselhar. A obrigatoriedade de casaca foi abolida, mas o esmero da indumentária é indispensável.
- Quando há uma personalidade da Igreja em casa de amigos, ela deve ser tratada como um chefe de Estado. Assim é a ele que o Maitre d'hotel deve dirigir-se para dizer: Sua Eminência, está servida", quando se trata de um Cardeal ou "sua Excelência, está servida", sendo um Bispo. A dona da casa chega-se junto ao prelado e o conduz à sala de jantar, onde fica colocado no lugar de honra, no lugar do marido, e o marido senta a direita dele.
- Os Cardeais só cedem sua posição diante de soberanos, chefes de Estado ou Príncipes herdeiros, tendo prioridade sobre os demais Príncipes ou fidalgos.
- Os Cardeais tem procedência sobre os demais Sacerdotes. Entre eles, há regras de protocolo, mas quase sempre é a antiguidade no posto quem dita essa ordem. E se forem dois Cardeais com a mesma antiguidade em cardinalato, o mais antigo no episcopado tem a preferência.
- O Cardeal de uma diocese cede, geralmente, sua posição a um Cardeal visitante.
- A ordem certa, segundo a Igreja, é a seguinte: Núncio – Cardeal – Arcebispo – Bispo e demais dignitários.
- Os Bispos Auxiliares têm precedência sobre os demais colegas.
- Sendo o Núncio Apostólico o representante de S.S. o Papa, tem as honras do cargo.
- No caso em que o Núncio e o Cardeal se encontrem, a dona da casa deve colocar o Núncio à sua frente, no lugar de honra do marido, que se afasta cedendo o lugar; e o Cardeal a seu lado direito.
As boas maneiras nunca saíram de moda
- O Bispo da diocese tem precedência sobre um outro Bispo.
- Se o Sacerdote celebrar Missa na casa em que é hóspede, é necessário que se verifique se não lhe falta nada para o ato.
- Como em todas as Ordens, também a Igreja tem sua Santidade e Santo Padre.
- Um Cardeal tem o direito de ser chamado "Eminência" e, mais cerimoniosamente de "Eminentíssimo Senhor". Se diz "Cardeal Silveira" ou "Dom Antônio".
- Os Bispos e Arcebispos, a maneira de tratar é: "Sr. Arcebispo" ou "Vossa Excelência".
- A um Abade também se diz, "Sr. Abade" ou "Vossa Excelência". 
- Às religiosas superioras, diz-se "Exma. Senhora Superiora" ou se for "Revma. Madre Irmã".
- No protocolo oficial do Brasil e em alguns outros Países, os Cardeais têm privilégios de Príncipes-de-Sangue, e consequentemente, prioridade sobre a maioria dos convidados, sendo precedidos somente pelos Chefes de Executivo.

 Fonte: Regi Saeculorum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE aqui. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

Subscrive here! Siga este blog, receba as novidades por e-mail!

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

Se vc é das Missões Cristo Rei, cadastre-se aqui

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA