Pesquisar este blog

Cópia livre! Lembre-se, porém, de mencionar a fonte!

Cópia livre! Lembre-se, porém, de mencionar a fonte!
clique para ler a política de direitos autorais e de comentários

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Da eficácia e alcance das orações dos pecadores

Muitos já me perguntaram sobre este tema, se adianta a um pecador rezar, se Deus o ouve, se atende as suas preces por alguma necessidade que esteja a precisar. E eu aprendi que não, mas não tinha um subsídio escrito, uma "fonte" para oferecer, apenas os costumeiros bons conselhos e sermões (nem todos estão registrados, infelizmente) de meu Diretor espiritual, o Rev. Padre Ernesto Cardozo. Um dia desses, a Divina Providência me fez encontrar este texto, enquanto fazia uma tradução para um novo livro da Editora (spoiler: de um grande pregador que foi recentemente censurado por "tradicionalistas"), e resolvi dedicar um post especialmente para ele no Pale Ideas. Demandou pesquisa para encontrar as fontes que o próprio texto cita - e não foi fácil porque, de fato, até onde sei, não temos em português essa homilia de São João Crisóstomo, preciosa!, nem mesmo, até onde sei também, os retumbantes sermões do Padre Paulo Segneri S.J., um dos grandes pregadores da Igreja, e tão desconhecido... Quiçá Deus permita que possam ainda ser traduzidos. Até lá, espero que este breve trecho seja útil a quem dele precise - e a tradução, de um italiano um pouco arcaico, mas que ainda domino muito bem, entremeado por trechos em latim. Uma joia! E a ofereço Àquela que é a única que tem o direito de chamar todo um Deus de Filho, Mãe de Cristo e minha, a Santíssima Virgem Maria. 

Sugestão prática: Seja antes das orações diárias costumeiras como de todas as outras, eu costumo rezar o Confiteor, para melhor me predispor à oração. Contudo, é aconselhável estar sempre "confessado", ou seja, em estado de graça, não apenas para ser atendido nas orações, mas principalmente porque não sabemos quando Deus, nosso Senhor e Criador, vai nos chamar à Sua presença para prestarmos conta de nossos pensamentos, palavras e ações. Nunca é prudente dormir sobre nossos pecados. Caso não tenha um Padre por perto, lance mão da Contrição Perfeita e do Exame de Consciência diário, até poder encontrar um confessionário católico para se limpar de suas celaredezes (pecados, impiedades, crimes...). Boa leitura. 





Da eficácia e alcance das orações dos pecadores


Nem pode vos beneficiar, em semelhantes perigos, recorrer à oração; pois não sabeis vós que, por estarem nesse estado (de pecado), em nada, quanto a isso, são aceitas as vossas súplicas? Ouvi como Deus vo-lo denuncia desde o primeiro capítulo de Isaías: “cum multiplicaveritis orationem, non exaudiam[1]. E vejam como bem o provou a suas custas o ímpio Antíoco[2], o qual, caído em uma horrenda enfermidade [3], recorreu logo ao Céu com grande empenho, mas tudo em vão! “Oravat scelestus Dominum, a quo non erat misericordiam consecuturus[4]. Visto que em um caso apenas são infalivelmente atendidas as preces dos que ainda são pecadores, e é quando pedem, sinceramente, o perdão de suas culpas. Em todas as outras situações, Deus não costuma atendê-las, se não, talvez, para aumentar a miséria deles; e, contudo, como explica o doutíssimo Suaréz (3 p. qu. 86, § 2, n. 18), para Antíoco não havia misericórdia, porque ele não pedia a remissão de suas celeradezes, mas a recuperação da saúde física. Se, portanto, enquanto haveis afeição ao pecado não agradam ao Céu nem mesmo as vossas mais fervorosas preces – mais ainda, lhe são odiosas; mais ainda, lhe são execrandas, segundo aquele horrível dito dos Provérbios: “qui declinat aures suas, ne audiat legem, oratio ejus erit execrabilis[5] – que estado mais desafortunado do vosso se poderá encontrar? Onde podereis vos voltar para obter socorro nas vossas calamidades, conforto em vossas preocupações, felicidade em vossos negócios, proteção nos perigos que vos rodeiam? Vos poreis com David a louvar a Deus? Mas não percebeis que Ele não vos quer em seu coro (louvor)? “Non est speciosa laus in ore peccatoris[6]. Bem que o Crisóstomo[7] nota, com agudeza, que aquele grande Rei convidou a cantar com ele os seus salmos todas as criaturas mais horríveis que há no mundo... Convidou os escorpiões, convidou as serpentes, convidou os mais ferozes dragões; mas não convidou os pecadores. Disse bem ele, “laudade Dominum, dracones[8]; mas nunca disse, “laudade Dominum, peccatores”: tanto é verdade que nem os próprios louvores que os pecadores possam render a Deus lhe são caros: “Scorpii, serpentes, dracones”... Ouvi as próprias palavras do Santo, “scorpii, serpentes, dracones invitantur ad laudandum Deum[9]. Quem foi excluído? “Solus peccator, solus peccator[10], pobre dele!, “solus peccator ab hac sacra chorea excluditur[11]. Que fareis, então? Oferecereis grandes esmolas? Deus abomina, neste momento, o vosso ouro. Fareis longas peregrinações? Deus desdenha, neste momento, as vossas visitas. Empreendereis rígidas austeridades? Não agradam a Deus, neste momento, os vossos jejuns. Fazei quanto quiserdes o bem; enquanto estiverdes em pecado, nenhuma de vossas obras é meritória: “Incensum abominatio est mihi[12], assim mesmo reclama Deus a Isaías, “calendas vestras et solemnitates vestras odivit anima mea (...), laboravi sustinens[13]. Sim!, “laboravi sustinens[14]. Não é meritório para vós nem assistir à missa, nem ouvir a pregação, nem vestir os nus, nem socorrer os enfermos, nem acolher os peregrinos, nem usar qualquer outra obra de piedade; e, ainda que, notais bem, ainda que seja muito melhor continuar a fazer tais obras, mesmo depois do pecado, que deixar de fazê-las – porque Deus, por sua gratuita misericórdia, tende ordinariamente, a respeito delas, como ensinam os teólogos, a nos tolerar com maior magnanimidade; por isso, “laborat[15], é verdade, mas também “sustinet[16] – com tudo isso, é preciso bem dizer a verdade, coisa certa é que todas essas obras são mortas. 

Excerto da Homilia do Domingo da Paixão, do insigne pregador Padre Paulo Segneri, S.J., in Prediche Quaresmali del Padre Paolo Segneri della Compagnia di Gesù”, Vol. 2, 1828, Ed. Figli di Carlantonio Ostinelli, n. X, pp. 174-176.  
Tradução e notas, Giulia d’Amore. 
Direito autorais reservados. Reprodução somente com a devida referência. 

Notas:
1 - “... e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei” (Isaias 1,15). 
2 - 2Mc 9. A derrota de Antíoco. 
3 - “Eis que, de repente, se ouve um estrondo sinistro. Cai violentamente do céu a vingança divina. O homem ímpio tombou de sua carruagem, e, de seus membros contundidos e de suas carnes ainda vivas, saía, em meio a milhares de vermes, tal fedor que ninguém do exército que o seguia quis transportar este Anticristo do Antigo Testamento (2Mc 9,4-12)”. Cf. O Anticristo”, de Mons. Augustin Lémann, Ed. Missões Cristo Rei, 2018, Campo Grande, p. 59
4 - “O celerado rezava ao Senhor, de quem não haveria de receber compaixão” (2Mc 9,13). 
5 - “Aquele que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será execrável” (Pr 28,9). 
6 - “Não é belo o louvor na boca do ímpios” (Ecl, 15,9).
7 - Cf. S. João Crisóstomo, “Quum Praesbyter esset designatus designatus, de ſe ac de episcopo, déq; Populi multitudine. Sermo X”, in Quintus et vltimus tomus operum Diui Ioannis Chrysostomi”, Quintus et ultimus Tomus operum Diui Ioannis Chrysostomi”, Paris, Ed. Guillielmum Roland, 1546, pp. 105-107. 
8 - Salmo 148,7. 
9 - Salmo 148,7 e 10. 
10 - “Só o pecador, só o pecador”. Cf. S. João Crisóstomo, op. cit. P. 106. 
11 - “Só o pecador é excluído desta dança (louvor) sagrada”. Vide: “Quid enim obsecro possit esse miserabilius? Scorpii, serpentes, ac dracones invitantur ac laudandum Deum, à quo condita sunt, solus peccator ab hac sacra chorea submotus est, idq; jure optimo”. Cf. S. João Crisóstomo, op. cit., p. 106. 
12 - “O incenso é para mim abominção” (Isaías 1,13). 
13 - “calendas vestras, et sollemnitates vestras odivit anima mea, facta sunt mihi molesta; laboravi sustinens”: “a minha alma aborrece as vossas neomênias e as vossas solenidades; tornaram-se-me molestas, não as suporto mais” (Isaías 1,14). 
14 - “Tornaram-se-me molestas”. 
15 - “Trabalha”, “opera”. 
16 - “Tolera”, “suporta”. 


2 comentários:

  1. Boa tarde, Giulia!

    Santo Afonso, no seu livro a Oração, no número 25, fala a respeito. Ele comenta, que, segundo São Tomás, Deus não houve o pecador que reza com o desejo de continuar no pecado.

    Ótimo post.

    Obrigado.

    Viva Cristo Rei!

    Viva a Imaculada Conceição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, sr. Emanoel, salve Maria!

      É sempre bom ter a confirmação do Aquinate, transmitida por aquele que, da eficácia da oração, era um doutor!!! Grata pela participação.

      Viva Cristo Rei! Viva a Imaculada!!!

      Giulia d'Amore

      Excluir

Este blog é CATÓLICO. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se reservam o direito de publicar ou não.

COMENTE acima. Para outros assuntos, use o formulário no menu lateral. Gratos.

Convite


Feminismo: o maior inimigo da mulher
Grupo do Facebook • 157 membros
Participar do grupo
Grupo criado com o propósito de desmascarar o feminismo.

Leitores

Se vc é das Missões Cristo Rei, cadastre-se aqui

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA