Pesquisar este blog

Retiro

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Retiro do Apostolado da Oração da missão São Jorge de Araguatins

No dia 19 de novembro de 2016, foi realizado o Retiro do Apostolado da Oração da missão São Jorge de Araguatins. 

Iniciado às 11 horas com a reunião mensal do Apostolado da Oração, recepção de fitas, orações do Apostolado... 

Houve o almoço e em seguida palestras sobre vários temas: Nossa Senhora na história da Igreja, heresias antigas e atuais e sobre os Papas do século XIX e XX. 

O Retirou terminou após o lanche as 16:30. 

Algumas fotos:  



 
Alguns Membros da Cruzada Eucarística presentes. 


 
Dois novos membros: sr. Manoel e srta. Lauriana 


 
Membros do Apostolado. 


Definição de Fé pelo Concílio de Calcedônia

Este magno e universal Sínodo, reunido pela graça de Deus e pela vontade dos muito piedosos e muito cristãos nossos imperadores, os augustos Valenciano e Marciano, na Metrópole da Calcedônia da Bitinia, em Templo da Santa e vitoriosa mártir Eufêmia, define quanto segue:

Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, confirmando a seus discípulos no conhecimento da Fé, disse; Dou-lhes minha paz, minha paz lhes deixo, para que nenhum dissentisse de seu próximo dos dogmas da piedade, e se demonstrasse verdadeiro o anúncio da verdade. E por quanto o maligno não cessa de obstaculizar, com seu joio, semeia-a da piedade e de procurar sempre algo novo contra a verdade, Deus, como sempre, provê ao gênero humano e inspirou um grande zelo a este nosso piedoso e fidelíssimo imperador, e chamou a si, desde todas partes, aos chefes do Sacerdócio, para que, com a graça do Senhor de todos nós, Cristo, afastássemos toda peste de engano das ovelhas de Cristo, e os restaurássemos com o alimento da verdade. O que fizemos, proscrevendo com voto comum as falsas doutrinas, e renovando nossa adesão à Fé ortodoxa dos Padres, pregando a todos o Símbolo dos 318 (padres de Nicéia), e reconhecendo como Padres próprios àqueles que acolheram esta síntese da piedade, e aquela dos 150 que se reuniram na grande Constantinopla e confirmaram também eles a mesma Fé (refere-se aqui aos Simbolos ou Credo de Nicéia e de Constantinopla).

domingo, 27 de novembro de 2016

Uma receita para tempos de Crise

Da mesma forma que o Padre Demarís, o Padre Roger Thomas Calmel, um dos primeiros sacerdotes a ter pressentido e resistido à crise na Igreja, que se difundia já rapidamente nos anos 60, traça as grandes linhas do comportamento do católico, que deve buscar força na vida interior para não se deixar transportar para a corrente dos erros e, assim, contribuir com a restauração da Igreja, restauração que deve começar na nossa alma.


"Em um período particularmente difícil, da vida da Igreja, em um tempo onde os socorros e os suprimentos mais necessários progressivamente vão diminuindo, devemos tomar cuidado de permanecer recolhidos em Deus, silenciosos, fervorosos na oração; antes de tudo para não esquecer o ensinamento da experiência, e isto quer dizer que o essencial não poderá jamais nos faltar; então, para ter a força de impedir, segundo as nossas forças, a extensão do caos e da anarquia que perturbam as almas e as perdem.

sábado, 26 de novembro de 2016

Santificação Mutua entre o Homem e Mulher

S. Paulo deixa como incumbência às mulheres o governo da casa; e por isso muitos seguem esta verdadeira opinião que a sua devoção é mais frutuosa para a família que a dos maridos, que, não tendo uma residência tão continuada entre os domésticos, não pode por conseguinte encaminhá-los tão facilmente para a virtude. Segundo esta consideração, Salomão, nos seus provérbios, faz depender a felicidade de toda a sua casa do cuidado e esmero da mulher forte que descreve. 

Diz-se no Gênesis que Isaac, vendo a esterilidade de sua esposa Rebeca, rogou ao Senhor por ela: ou segundo o texto hebraico, rogou ao Senhor em frente dela, porque um orava de um lado do oratório e outro do outro lado; e a oração do marido feita deste modo foi ouvida. A maior e mais frutuosa união do marido e da mulher é a que se faz na devoção, à qual se devem exercitar à porfia um ao outro.  

Frutos há, como o marmelo, que, pela aspereza do seu suco, não são agradáveis senão quando postos de conserva. Há outros que, pela sua brandura e delicadeza, não se podem conservar senão também postos em doce, como as cerejas e os damascos: assim as mulheres hão de desejar que os seus maridos estejam de conserva no açúcar da devoção; porque o homem sem devoção é um animal severo, áspero e duro. E os maridos devem desejar que as suas mulheres sejam devotas; porque, sem a devoção, a mulher é extremamente frágil e sujeita a cair ou embaciar a sua virtude.  

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

A Missa com indulto ou Missa do Motu Proprio

Vale a pena publicar esta análise sobre a "Missa Motu Proprio" que achei em meus e-mail, mas a fonte indicada não existe mais: http://www.crisidellachiesa.com/articoli/liturgia/non_solo_nostalgia/non_solo_nostalgia.htm. Se for o autor ou souber quem é, por gentileza, nos avise. 


A Missa com indulto ou Missa do Motu Proprio. 


Os católicos, que rejeitam os erros do CVII e a nova Missa mantêm vivo o rito antigo de 1969. Mas, em algumas cidades, a partir de 1984, certos Bispos têm procurado ganhar a simpatia dos "tradicionalistas" permitindo (sicque, nas suas dioceses, se possa celebrar regularmente o antigo rito "de maneira oficial". Estas Missas são comumente chamadas de "Missas com indulto" ou "Missas do Motu Proprio". Graças ao indulto (sic), muitos católicos têm podido assistir ao (simulacro do) antigo rito ou vê-lo pela primeira vez. Isto é sem dúvida um grande passo adiante (sic). Mas existem sérios problemas com a Missa com indulto:

- As hóstias retiradas do Tabernáculo, consagradas em modo duvidoso e/ou sacrílego com o novo rito, poderiam (e o são!) ser distribuídas durante a comunhão. 

- O celebrante (ou o bispo do qual recebeu a permissão) poderia ter sido ordenado segundo os novos ritos, que possuem validez altamente duvidosa.  

- As hóstias consagradas e recolocadas no Tabernáculo, durante o rito antigo, poderiam ser distribuídas nas mãos dos fiéis durante a Missa nova

- Poderíamos citar tantos outros problemas análogos. 

Numa última análise, deduzimos que a Missa com o indulto é somente um truque (uma concessão) para neutralizar a resistência contra a Missa nova e o Vaticano II. 

A Missa nova, como podemos observar, é cheia de erros doutrinais e é sacrílega, mas os padres e fiéis que promovem tais Missas (com indulto), para obter a aprovação do seu Bispo, devem se comprometer a calar sobre os males e os erros do novo rito e do Concílio. Este comportamento resulta muito mais evidente em alguns membros da "cúpula" do Vaticano, os quais permitem o rito tradicional sob certas condições. Estes "diretores" obrigam o sacerdote que celebra a aderir às reformas do CVII, assim como promovem o seu adequamento aos valores litúrgicos, disciplinares e doutrinais indicados pelo Concílio. A Missa é assim degradada a um mero exercício de nostalgia, de estética, de antiquariato, de preferência e de doce sentimentalismo. Por outro lado, como a Missa das crianças, a das meninas no Altar ("coroinhas") e com a Comunhão na mão, o grande banquete conciliar pode, deste modo, oferecer uma opção a mais entre os tantos quitutes considerados bons e onde tudo é uma questão de gosto pessoal. Os católicos que vão à "Missa com indulto" podem deste modo sentar à direita (o setor da "Alta Igreja") no grande parlamento ecumênico do CVII.

*

Amigos e Inimigos - Ontem e hoje, o que mudou em Avrillé?

Diz o provérbio popular: recordar e viver, e, tão, vamos a outra OPERAÇÃO MEMÓRIA da Desistência. Olhando meus arquivos, encontrei este texto de 2004 dos "sábios e sabidos" (#SQN) monges de Avrillé, o qual contradiz nitidamente o que esses passaram a defender a partir do ano passado. Leiamo-lo refletidamente e comparemo-lo à postura atual dos dominicanos e seu vergonhoso silêncio diante das asneiras e heresias dita por Dom Williamson, as quais foram e são acobertadas e desonestamente justificadas por seus macaquinhos amestrados, capazes de manipular o Aquinate e instrumentalizar as palavras de Mons. Lefebvre, à moda de Fellay. Vou publicar o texto como chegou a mim, mas, se achar necessário, vou comentá-lo como de costume: com grifos [colchetes]. A tradução parece ter sido feita por um dos macaquinhos, pois há frases que não fazem muito sentido. Vamos ao texto.   



Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo 
é inimizade com Deus? Portanto qualquer que quiser 
ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus 
(Epístola de São Tiago, IV, 4)


Comumente, não teria que abordar este assunto. Preferiria me dedicar à serena e mística sabedoria teológica de São Tomás de Aquino. Infelizmente, a realidade é que impõe: estamos imersos em uma crise terrível. Portanto, não podemos ignorar esta situação particular.

O Concílio Vaticano II sonhou reconciliar a Igreja com o mundo. Este é o sonho de todos os liberais. Eles querem "plenamente conciliar o Cristianismo com o século", enquanto os verdadeiros católicos aspiram "reconciliar a sociedade com Deus". (Bernard Bonvin, "Lacordaire-Jandel: la restauration de l'Ordre dominicain en France après la Révolution, écartelée entre deux visions du monde", éd. du Cerf, Paris, 1989) 

Que o Concílio queria a amizade com o mundo, é notório em sua história, especialmente no discurso de abertura de João XXIII [11/10/1962; cf. aqui]: era necessário lançar anátemas, parar de jogar [???; tradução... sic!]; ou no discurso de encerramento de Paulo VI, que disse: "um imenso amor para com os homens penetrou totalmente o Concílio (...) Nisto ele tomou uma atitude claramente optimista. Uma corrente de interesse e de admiração saiu do Concílio sobre o mundo atual". [07/12/1965. Cf. aqui]

Mas, para buscar a amizade com o mundo, o Concílio assumiu o risco de se tornar "adúltero" e "inimigo de Deus". O Apóstolo São Tiago nos adverte em sua epístola: "Adúlteros, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se em inimigo de Deus."

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

UM CATÓLICO PODE ABANDONAR, 'SEGUNDO A SUA CONSCIÊNCIA', A IGREJA CATÓLICA?

Certamente que o estado presente do mundo e as técnicas de escravidão às ideologias reinantes e corruptoras da fé não facilitam a vida cristã. Mas, precisamente, é para este mundo que os cristãos foram empurrados pela Hierarquia e segundo o espírito do Vaticano II. Eles ficaram desarmados, abandonados, privados do ensinamento da doutrina católica, desfigurada por numerosos catecismos e pregações, face ao desencadeamento da heresia que encontrou muita cumplicidade aberta e oficial no seio da Igreja.

O personalismo [de Emmanuel Mounier], que desde há muito envenenou o pensamento católico, é a filosofia dos direitos do homem, da abertura para o mundo, da liberdade religiosa e do ecumenismo, a filosofia que arrastou o povo cristão a pensar e argumentar à margem da luz da fé católica e que, em retorno, solapa esta.


*

Ou Penitência ou… Purgatório

I. Acerbidade das penas do Purgatório

Ouvindo Santo Agostinho alguns de seu tempo dizer que, se escapassem do Inferno, do Purgatório não tinham tanto medo, encheu-se de zelo e lhes fez ver o grande erro em que estavam, pois as penas do Purgatório superam tudo o que há de mais penoso neste mundo.

E com razão, porque o fogo que atormenta as almas do Purgatório é o mesmo o fogo que atormenta os condenados no Inferno, somente com exceção da eternidade. E assim é que a Santa Igreja não duvida chamar às penas do Purgatório penas infernais [na Liturgia dos defuntos].

O fogo do Purgatório é aceso por um sopro infernal, e é tão ativo que não se chama simplesmente fogo, mas espírito de fogo (Is 4, 4), e derreteria num instante um monte de bronze, mais facilmente que uma de nossas fornalhas devoraria uma palha seca.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

DAS AGITAÇÕES DE CONSCIÊNCIA QUE DEVEM NECESSARIAMENTE EXPERIMENTAR AQUELES QUE DE CATÓLICOS SE FAZEM PROTESTANTES

P - Nunca podem gozar da paz do coração, aqueles que deixam a Igreja católica para passar ao protestantismo?

R - É impossível que os apóstatas e os traidores, que saem do seio da Igreja Católica, tenham sempre a paz no fundo do coração. Pois eles são os inimigos de Deus, eles estão em revolta aberta contra Ele e contra Sua graça, e eles perderam completamente a Fé. Não há paz para o ímpio, é Deus quem afirma. Ora, se há um ímpio no mundo, este é, sem que se possa afirmar o contrário, o herético, o apóstata, o traidor.


P - Segundo o que o senhor diz, estes infelizes deveriam viver em uma incessante agitação de consciência, eles deveriam ser perseguidos por remorsos amargos... 

R - Sem dúvida alguma. Quem sempre resistiu a Deus e teve tua paz?, diz a Escritura. Estes infortunados carregam o inferno em seu coração, eles são constantemente atormentados pelos remorsos e passam momentos em uma tristeza e em uma melancolia inexplicáveis. Eis o que os torna inquietos, tristes e agitados, o que os leva a buscar dissipações e companhias para adocicar suas penas. Mas todos os seus esforços permanecem inúteis.


P - Isso não é possível. Pois eu os vejo, ao contrário, sempre alegres, sempre nos divertimentos e prazeres.

R - Tudo isso é apenas simples aparência. Ao nos determos somente em suas palavras e em seus atos, seríamos tentados em crê-los felizes; mas, na realidade, suas palavras e seus atos enganam. Estas pessoas são semelhantes a devedores esmagados por dívidas, que se embriagam para não sentir seu estado; mas, uma vez a embriaguez dissipada, seus lamentos retornam como antes. É assim que estes miseráveis apóstatas fingem a alegria, evitam a solidão, saem de si mesmos e vão à procura dos divertimentos para suprimir o remorso cruel que os persegue. Mas, não obstante todos os esforços, o verme roedor está sempre lá para devorá-los. Não, eu repito, não confie na aparência, não há paz para o ímpio.

Padre Miguel Augustin Pró - Mártir Cristero


Padre Miguel Augustin Pró

 

 Padre Miguel Pró prestes a ser executado 
pelos comunistas do México. 
Preferiu adotar a posição de Jesus crucificado 
e gritou: "Viva Cristo, Rei!"
segundos antes de sentir as balas assassinas. 
clique para ver mais imagens

Padre Augustin Pró, após rigoroso processo eclesiástico, foi considerado Mártir da Igreja Católica e beatificado por João Paulo II em 25 de Setembro de 1988. Sua festa se comemora no dia 23 de Novembro, dia de sua execução. Livros a este respeito, abundantes em todas as partes do mundo, não entram na América Latina, para que se desconheça os morticínios do Comunismo. Só conseguem ser comprados por encomenda, pois as editoras não os exibem.  


Este símbolo foi o motivo maior de milhões de mortes de inocentes no século vinte. E ainda continua vivo na América Latina e Caribe e em muitas partes do mundo, nos países democratas inclusive. A Igreja Católica Romana, especialmente, foi historicamente perseguida por seus sequazes. Por isso considero inominável que um católico, pior ainda religioso, sinta emoções e enlevos com esta ideologia. 

Padre Miguel Augustin Pró nasceu em Guadalupe de Zacatecas, México, em 13 de Janeiro de 1891, e foi morto em 23 de Novembro de 1927, na cidade do México. Tinha 36 anos. Era sacerdote jesuíta. 

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O projeto de educação sexual do Vaticano é a ameça mais perigosa que já vi em 40 anos



Aviso de um psiquiatra: O projeto de educação sexual do Vaticano é a ameça mais perigosa que já vi em 40 anos. Clique e leia:




 
Um texto interessante para compreender os erros da igreja conciliar quanto à educação dos filhos. 

O autor é um psiquiatra com boas intenções, mas é modernista. O texto contém imagens imodestas, mas necessárias para explicar o que o Vaticano está fazendo com os jovens. Então, se quiserem poupar os olhos, não leiam. Mas quem é pai, talvez, precise ler, porque o que estão fazendo influenciará as escolas "católicas".  

Esse assunto está de certa forma linkado à ideologia de gênero. Voltaremos ao tema em outro post. 

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Conselhos

“Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, e prepara a tua alma para a provação; humilha teu coração, espera com paciência, dá ouvidos e acolhe as palavras de sabedoria; não te perturbes no tempo da infelicidade, sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça. Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação. Põe tua confiança em Deus e Ele te salvará; orienta bem o teu caminho e espera n'Ele. Conserva o temor d'Ele até na velhice” (Eclesiástico 2,1-6). 




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

O que ganhamos com o homeschooling

Não estamos falando de abandonar a escola: estamos falando de uma alternativa para reaproximar as famílias


A família tem primazia na escolha da forma de educação a ser dada aos filhos


Vários tratados internacionais de direitos humanos assinalam que a família tem primazia na escolha da forma de educação a ser dada aos filhos. Mas, no Brasil, nem todas as alternativas de ensino são contempladas pela legislação. Aqueles que hoje são pais e cresceram na década de 80 ou 90 se lembram da liberdade e segurança, das brincadeiras livres na calçada de casa; custa acreditar que um dia isso foi possível. Hoje, a regra é a qualidade de vida deixada de lado em nome do trabalho; pai e mãe com vidas completamente cheias, atarefadas, metas e planos profissionais – sim, somente planos profissionais. Em contraponto, mensalidades caríssimas e satisfação nem sempre garantida, resumida na frase “isso é o que eu posso pagar pela educação do meu filho”, dita por pais que não encontram colégios que atendam a todas as suas expectativas. Sempre falta algo aqui ou ali. 

São justamente esses pais que estão mais atentos a novas alternativas de ensino, incluindo o ensino doméstico, ou homeschooling, que ainda busca regulamentação no Brasil apesar de já ser praticado em muitos países, inclusive no mundo desenvolvido. Encontramos interessados entre recém-casados, noivos, aqueles que já acolhem um bebezinho no lar, pais de famílias numerosas. Famílias que gostam de viajar, passar temporadas no exterior, tanto a passeio como em caráter profissional, ou como atividade cultural. Outras famílias trocam a cidade pelo campo, morando em chácaras, tendo contato com os animais. O homeschooling contempla todas essas situações, acolhe, proporciona flexibilidade. Com ele ganha-se tempo e o relacionamento familiar é marcado por mais contato e proximidade.

No homeschooling, os pais se dispõem a educar os seus filhos em casa. Educar, na verdade, já é função da família: apenas os nomes são substabelecidos ao profissional da educação, professores do ensino escolar. Cada família vai criar sua rotina, metodologia e forma de aplicar a educação doméstica; o que muda é que o ensino será aplicado no lar. Orienta-se que os pais procurem minimamente estar em conformidade com a Base Nacional Curricular Comum de acordo com a faixa de idade de cada criança.

domingo, 13 de novembro de 2016

Informação sobre o caso da Sra. Lourdes G. de Rascón

Prezado leitores, estou devendo um retorno sobre a questão da sra. Sra. Lourdes G. de Rascón, de Kansas (USA), para quem pedimos orações há algumas semanas. 

As notícias são boas. Pela graça de Deus, as crianças foram devolvidas aos pais, na audiência marcada pelo juiz para discutir o caso. O Padre Altamira informou que foram muitos os emails com orações, os telefonemas oferecendo orações e ajuda de vários tipos, e até mesmo a ações práticas de advogados e pessoas influentes intercedendo pela família. Houve uma comunidade inteira que fez jejum em favor dessas crianças. As nossas preces foram ouvidas. Nossa Mãe intercedeu por essa família e obteve junto a Deus essa grande graça. Aqui o e-mail do Padre Altamira: 
Queridos hijos: A Dios, a la Santísima Virgen María, a ustedes, a todas sus oraciones, a todos los que llamaron por teléfono y ofrecieron sus ayudas de todo tipo (hasta contactos con abogados allá en Kansas y con personas influyentes de allá), algunos fieles (en el Eje Cafetero) hasta hicieron ayuno, a todos: Muchísimas gracias: Ha habido un final feliz. Si bien no tenemos aun muchos detalles, hoy viernes por la tarde fue la Audiencia por el tema de estos siete niños familiares de Pío, los hijos de la Sra. Lourdes G. de Rascón, y tanto ella como su esposo pudieron tener la alegría (y el respiro) de recuperar a sus siete niños. Nuevamente gracias a todos, hubo realmente muchos llamados, y muchos de ustedes personalmente en las Misas de estos días, unos y otros se mostraron unidos en la Caridad y en la oración con la familia que sufrió semejante cosa; también fue muy lindo ver todo eso. Dios tenga todas estas cosas en cuenta, ojalá nos ayuden a nuestra santificación personal. Y reciban todos, con mucho cariño, mi bendición sacerdotal. Nos alegramos por la alegría de esta familia. Tal vez mañana sepamos más detalles. En María santísima. Padre F. Altamira (viernes 28 oct 2016) (grifos do original). 

Precisamos rezar ainda por eles, meus caros, para que o Estado os deixe em paz. Com a vitória de Trump se vislumbra esperança para que cesse a perseguição aos cristãos e para que o aborto seja banido dos EUA. O tempo dirá. Mas o que posso dizer agora (parafraseando a Irmã Maria Teresa de Anápolis) é que as orações podem mudar as coisas. 

Viva Cristo Rei! 


Editado em 16/01/2017 para linkar a um notícia posterior, muito boa notícia: aqui

MISSÕES CRISTO REI: Bodas em Boituva - SP

Registramos o matrimônio do casal Augusto Cézar Silva de Lima e Talita Maria Diedrich, celebrado ontem à tarde (12/11/2016), em Boituva, SP, pelo Rev. Padre Ernesto Cardozo.  



clique para ampliar


Aos noivos, nossos cumprimentos e votos de felicidades e bençãos. 


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Uma aula de Catecismo na Missão Cristo Rei de Chihuahua (México)

Mais algumas fotos das Missões Cristo Rei. Desta vez, de uma aula de catequese, em setembro passado, na conclusão do mês dedicado ao Nascimento de Nossa Senhora e às suas Sete Dores.   



⏬⏬⏬







quinta-feira, 3 de novembro de 2016

São Pirmino, o Apóstolo dos Alamanos e Patrono do Palatinado

3 de novembro 

São Pirmino

http://sacragaleria.blogspot.com/2016/02/sao-pirmino.html
Clique para ver mais imagens

Abade, Bispo e fundador
Apóstolo dos Alamanos
(670 ca. ? - Hornbach, 03 de novembro 753)

Do Martirológio: “No mosteiro de Hornbach, próximo a Estrasburgo, na Burgúndia[1], a deposição de São Pirmino, Bispo e Abade de Reichenau, que evangelizou os Alamanos e os Bávaros[2], fundou muitos mosteiros e escreveu um livro para seus discípulos sobre a catequese dos incultos”.

Notas do blog. Para melhor acompanhar a leitura do texto, colocaremos as notas logo abaixo do parágrafo a que se referem: [1] Atual Borgonha. [2] Do latim: ‘bavarii. Os Bávaros foram um povo germânico que surgiu na Boêmia, no território da atual República Tcheca. Seu nome completo originário em germânico era ‘Baio-warioz’.

São Pirmino, também conhecido como “Pirminius”, é o “Apóstolos dos Alamanos[3], evangelizador e Padroeiro do Palatinado[4], da Alsácia[5], da Ilha de Reichenau[6], e da cidade de Innsbruck[7].

[3] Alamanos são um povo germânico ocidental, assim denominados pelos Romanos: o povo de todos os homens. Eles próprios, entretanto, preferiam chamar-se de ‘Suábios’. [4] Palatinado (https://pt.wikipedia.org/wiki/Palatinado_%28regi%C3%A3o%29). [5] Alsácia é uma região administrativa da França, localizada a leste do País, junto às fronteiras alemã e suíça. Sua capital é Estrasburgo. [6] Ilha localizada no Lago Constança, no sul da Alemanha. [7] Innsbruck, ou Insbruque, cidade no oeste da Áustria, capital do Estado do Tirol.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

2 de Novembro: Dia dos Fiéis Defuntos - Ipatinga-MG

Hoje, podem se rezadas três Missas. Aqui a foto de uma das Missas na Missão Cristo Rei de Ipatinga-MG


Também é dia de visita aos cemitérios, para rezar pelos defuntos: 


Recomendação: um terço e seis Pai-Nossos, três Aves e Glória, para ganhar indulgência plenária para uma alma

FOTOS: Missa de Cristo Rei 2016 em Ipatinga-MG

Queridos leitores, apresento as fotos da Missa do dia 30/10/2016, Festa de Cristo Rei, na Missão Cristo Rei de Ipatinga-MG.  





 

BENTO XV: Bul Incruentum Altaris (Sobre o Dia de Todos os Defuntos)

Papa Bento XV
BULA  

INCRUENTUM ALTARIS


Sobre o Dia de Todos os Defuntos 

O BISPO BENTO


SERVO DOS SERVOS DE DEUS.
PARA PERPÉTUA MEMÓRIA


O sacrifício incruento do Altar, porque pela sua natureza em nada difere do sacrifício da Cruz, não só traz glória para os habitantes do céu e beneficia como um remédio de salvação àqueles que ainda se encontram nas misérias desta vida, vale muitíssimo também para o resgate das almas dos fiéis que descansam em Cristo. Esta é uma perpétua e constante doutrina da Santa Igreja. Os vestígios e os argumentos desta doutrina — que ao longo dos séculos trouxe grande conforto a todos os cristãos e que despertou nas melhores pessoas viva admiração pela infinita caridade de Cristo — podem ser encontrados nas mais antigas liturgias da Igreja Latina e da Igreja Oriental e nos escritos dos Santos Padres, e são, enfim, claramente expressos em muitos decretos dos antigos Sínodos. 


O Concílio Ecumênico de Trento, com uma particular solene definição, propôs o mesmo em relação à nossa Fé quando ensinou que “as almas detidas no Purgatório são ajudadas pelos sufrágios dos fiéis, especialmente com o sacrifício do Altar, que agrada a Deus”, e fulminou com a excomunhão quem afirmassem que o sacro sacrifício não deva ser oferecido “para os vivos e para os mortos, pelos pecados, pelas penas, pelas satisfações e pelas outras necessidades.” Na verdade, a piedosa Mãe Igreja nunca seguiu um comportamento diferente deste ensinamento; em nenhum momento, deixou de exortar intensamente aos fiéis cristãos que não permitissem que as almas dos fiéis defuntos fossem privadas daqueles auxílios espirituais que brotam abundantemente do sacrifício da Missa E sobre essa questão, devemos elogiar o povo cristão, que nunca faltou ao amor e ao empenho em sufrágio dos defuntos. Testemunha disso é a história da Igreja vez que, quando as virtudes da Fé e da Caridade elevavam as almas, os reis e os povos se empenhavam mais ativamente em todos os lugares onde se estendia o nome católico, a fim de obter a purificação das almas do Purgatório.

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA