Pesquisar este blog

Novidades!!!

domingo, 31 de janeiro de 2016

São João Bosco

31 de janeiro 

São João Bosco

Confessor, Fundador
Fundador da Pia Sociedade São Francisco de Sales 


S. João Bosco nasceu em Castelnuovo d'Asti, Piemonte, Itália, a 16 de Agosto de 1815, numa família de camponeses pobres. Desde pequeno sentiu-se chamado a dedicar a sua vida aos jovens, mas para realizar o seu sonho teve de vencer numerosas dificuldades e sujeitar-se a grandes privações e sacrifícios. Ordenado sacerdote em 1841, gastou todas as energias da sua natureza e todo o arrojo do seu zelo incansável na criação de obras educativas para a juventude abandonada, na defesa da fé ameaçada das classes populares, e na atividade missionária de evangelização de terras longínquas.

A 5 de Agosto de 1872, São João Bosco, com outra Santa, Maria Domingas Mazzarello, fundou as Filhas de Maria Auxiliadora (F.M.A) para a educação e promoção das jovens. Anos depois, fundou os "Salesianos Externos", os "Cooperadores Salesianos". São leigos que desejam partilhar os mesmos anseios educativos para o bem da juventude pobre.

Desta espiritualidade salesiana, desabrochou um amplo movimento salesiano: um instituto de leigas consagradas (as "voluntárias de Dom Bosco"); muitas Congregações que aderem a este estilo de vida e tantos "amigos de Dom Bosco", que afetiva e operativamente se relacionam com este "mundo salesiano". Com sentimento de humilde gratidão, cremos que esta família não nasceu apenas de projeto humano mas por iniciativa de Deus.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Santa Martinha, Virgem e Mártir

30 de janeiro 

Santa Martinha

Virgem e Mártir 


Esta célebre Santa, uma das padroeiras de Roma, era de família distinta. O pai, três vezes eleito cônsul, era possuidor das mais belas virtudes e afortunado.

Martinha recebeu uma educação esmerada, baseada nos princípios do Cristianismo, mas teve a infelicidade de perder bem cedo os pais. Inflamada de amor a Jesus Cristo, deu todos os bens aos pobres, fez voto de castidade e em atenção à sua vida santa e exemplar, foi recebida entre as diaconistas, honra com que pessoas de muita probidade eram distinguidas.

Tinha o imperador Alexandre Severo (222-235) concebido o plano de exterminar os Galileus (assim alcunhava aos cristãos). Conhecendo a formosura, nobreza e bondade de Martinha, tudo fez para afastá-la da religião cristã e chegou até a oferecer a dignidade de Imperatriz, caso se decidisse sacrificar a Apolo. Martinha respondeu: “O meu sacrifício pertence a Deus imaculado; a Ele sacrificarei, para que confunda e aniquile a Apolo e, este deixe de perder almas”. Alexandre Severo, interpretando esta resposta em seu favor, organizou uma grande festa no templo de Apolo, para onde levou Martinha, na presença dos sacerdotes e de muito povo. Os olhos de todos estavam dirigidos para a jovem que, no meio do grande silêncio que reinava, fez o sinal da cruz, elevou olhos e braços ao céu e disse em alta voz: “Ó Deus e meu Senhor ! Ouvi esta minha súplica e fazei com que se despedace este ídolo cego e mudo, para que todos, imperador e povo, conheçam, que só Vós sois o único Deus verdadeiro e que não é licito adorar senão a Vós !” No mesmo instante a cidade inteira foi sacudida por um forte terremoto, a imagem de Apolo caiu do seu lugar; parte do templo ruiu por terra, sepultando nos escombros os sacerdotes e muita gente.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Lançamento do Dicionário elementar de apologética na Itália

Traduzi uma resenha de um dicionário que foi lançado na Itália para resgatar o sentido de ser cristão: "Dicionário elementar de apologética", Editora Il Timone, escrito por 36 especialistas, com cerca de 140 verbetes. Não sei dizer se já tem uma versão em português ou se haverá. A sugestão desta resenha é para que busquem livros de apologética já consagrados, e em português, porque é preciso manter o foco sobre quem somos, de onde viemos, para onde vamos e, principalmente, Quem nos criou e Quem nos resgatou com Seu próprio Sangue. 

 

VEM AÍ O MANUAL PARA VOLTAR A SER AUTÊNTICOS CRISTÃOS

Dos adversários externos (poderes político, pagão e o Islã) àqueles internos (heresias), das hoaxes [1] históricas à verdadeira doutrina. O “Dicionário elementar de apologética” é uma obra necessária a todo o Ocidente, que está perdendo suas raízes.

O Cristianismo, goste-se ou não disso, criou o que se costuma chamar de “Ocidente”, deu-lhe a supremacia mundial e fez dele um modelo para todos os homens.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

INFANTICÍDIO INSTITUCIONALIZADO

Aborto é coisa do passado, a moda nos EUA agora é o infanticídio explícito.



Mais uma vítima da "clínica"
de Kermit Gosnell
Uma tendência observada por ativistas próvida próximos de estudantes universitários nos EUA é a crescente aceitação do “aborto pós-nascimento”, ou seja, matar a criança depois que ele ou ela nasceram, afirmam líderes próvida ao “The Fix College”.

A evidência anedótica constatada por líderes dos grupos próvida como “Criados Iguais” e “Sobreviventes ao Holocausto do Aborto” disseram em entrevistas que não só eles veem mais estudantes universitários que dizem apoiar o aborto pós-nascimento, mas alguns estudantes ainda sugerem que as crianças até 4 ou 5 de idade também podem ser mortos, porque eles ainda não são “autoconscientes”.

“Nós encontramos pessoas que pensam que é moralmente aceitável matar bebês após o nascimento em quase todos os campus visitados”, disse Mark Harrington, diretor de “Criados Iguais”. “Enquanto este ponto de vista ainda é considerado absurdo pela esmagadora maioria das pessoas, a ideia está se tornando cada vez mais popular.”

São Pedro Nolasco, Confessor

28 de janeiro 

São Pedro Nolasco 

Confessor 
Fundador da Ordem de Nossa Senhora das Mercês
(O legislador é São Raimundo Penaforte)


Visão de São Pedro Nolasco - por Francisco de Zurbarán
 
São Pedro Nolasco nasceu em 1190. Os pais constatavam com muita satisfação, que ao desenvolvimento físico do filho, correspondia igual progresso moral. Era admirável a terna compaixão que Pedro, criança ainda, revelava pelos pobres. O Aspecto da miséria causava-lhe tanta tristeza, que os pais, querendo consolá-lo, haviam de dar-lhe esmolas para os pobres. Mais tarde, quando estudante, repartia com os pobres tudo que dos pais recebia. Com o maior cuidado guardava o tesouro da pureza do coração, e todo o seu desejo era poder servir a Deus do modo mais perfeito. Daí a fuga de tudo que pudesse desagradar a Deus, ou ser um perigo para a sua alma. Pedro tinha 15 anos quando perdeu o pai. A mãe, desejando ter uma auxiliar no governo da casa, insistiu com Pedro para que estabelecesse família, ao que este se opôs terminantemente. Mais ainda: fez os votos de castidade e de pobreza, com o propósito de repartir os bens entre os pobres.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

São João Crisóstomo, Bispo, Confessor e Doutor

27 de janeiro 

São João Crisóstomo 

Bispo, Confessor e Doutor


São João Crisóstomo
Grande batalhador da Igreja no Oriente

 


 
Cognominado “Boca de Ouro”, pela força e beleza de sua eloqüência, com sua palavra desarmou os bárbaros, combateu o arianismo que infectava o Oriente e os desmandos da decadente Bizâncio 
 
João Crisóstomo nasceu em Antioquia por volta do ano 344, filho de Segundo, principal comandante das tropas do Império do Oriente. Sua mãe, Antusa, ficando viúva aos vinte anos, não quis contrair segundas núpcias, para dedicar-se inteiramente à educação de seus dois filhos e às boas obras.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A Cereja do Bolo II - Padre Cerruti complementa São Tomás de Aquino

Como vimos nos artigos anteriores (aqui, aqui e aqui), não é possível haver milagres na "missa nova". Agora é o Padre Pedro Cerruti que corrobora esse entendimento. 


* * *

Padre Pedro Cerruti e a Cereja do Bolo 


Ontem recebi de meu cumpadre um pérola que não conhecia. Um livro chamado "A Caminho da Verdade Suprema" do Padre Pedro Cerruti. Entre inúmeros assuntos tratados, o sacerdote fala dos milagres. 

Sem muitas delongas (sou péssimo pra isso) vejamos o que diz o Sacerdote sobre como reconhecer um milagre físico apologético. Ele cita quatro pontos importantes para que um milagre, enquanto critério de revelação divina, seja reconhecido como tal:

1 - verdade histórica: Se o milagre aconteceu realmente;
2 - verdade filosófica: Se o milagre é extraordinário, isto é, supera as forças de toda natureza criada;
3 - verdade teológica: Se o milagre foi produzido por Deus;
4 - verdade relativa: Se Deus o produziu para confirmar uma revelação.

Não vou entrar em detalhes sobre todos os itens pois não é o ponto, mas vou prender-me ao item 3, onde o sacerdote diz:

São Policarpo, Bispo e Mártir

26 DE JANEIRO 

São Policarpo 

Bispo e Mártir 


São Policarpo, converteu-se ao Cristianismo no ano de 80, e teve a grande dita de ter sido discípulo do grande Apóstolo São João Evangelista, de quem recebeu o espírito e a doutrina de Jesus Cristo. Em 96 recebeu a sagração episcopal e foi-lhe confiada a diocese de Smirna. É possível que São João Evangelista no livro Apocalipse tenha-se referido a Policarpo quando escreveu: “Sei tua tribulação e pobreza, porém, és rico”, e mais adiante: “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. (Apoc. 2, 9.). O santo Bispo-mártir de Antioquia Inácio, alegrou-se muito com a visita de Policarpo, e escreveu duas epístolas importantes, uma a Policarpo e outra aos fiéis de Smirna, em que lhe dá sábios ensinamentos sobre a santa doutrina.

Policarpo administrou a diocese como verdadeiro Apóstolo, com firmeza e caridade, pela palavra e pelo exemplo. De sua autoria existe uma epístola preciosíssima aos Filipenses, cheia do mais belos ensinamentos e sábios conselhos. No tempo de São Jerônimo esta epístola costumava ser lida publicamente nas igrejas. Muitos infiéis converteram-se ao cristianismo, e para os fiéis Policarpo era verdadeiro Pastor. Já provecto em idade, fez uma viagem a Roma, para tratar com o Papa Aniceto sobre a célebre questão da Páscoa. Em Roma encontrou muitos cristãos, que se tinham deixado enganar pelos hereges Valentim e Marcion, e conduziu-os ao caminho da verdade. Por Marcion perguntado, se o conhecia, respondeu prontamente, que o conhecia, o filho mais velho de Satanás. De volta para a Ásia, encontrou na diocese o decreto de perseguição, publicado pelo imperador Marco Aurélio. Foi o princípio de horrores para a jovem Igreja. O governador de Smirna preludiou a perseguição, pela condenação de doze cristãos, que foram atirados às feras. Policarpo, vendo o rebanho em perigo, redobrou os esforços para conservá-lo na fé e confortá-lo na hora da tribulação. Os cristãos, por seu turno, inquietavam-se muito pela sorte do venerável Bispo. Para salvar-lhe a vida, levaram-no a um sítio fora da cidade, onde o esconderam aos olhos dos fiscais do governo. Três dias antes da sua prisão teve a revelação do martírio que o esperava. Em sonhos viu o travesseiro rodeado de fogo e disse aos amigos: “Meus irmãos, sei que serei condenado à morte pelo fogo. Deus seja bendito, porque se digna de dar-me a coroa do martírio”. Três dias depois se cumpriu o que tinha predito.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Neologismos & Patifarias

Neologismos & Patifarias 




Em primeiro lugar, o que é um neologismo? Em Linguística, neologismo é um fenômeno que consiste na criação de uma palavra ou expressão nova. Infelizmente, em tempos bárbaros em que vivemos, os neologismos não respeitam minimamente a Etimologia, a parte da Gramática que estuda a composição dos vocábulos e as regras de sua evolução histórica. Trata-se de um artifício muito comum na linguagem informal (aceitável e razoável) e na chula, como a gíria (abominável).  

Lembro-me bem que, antigamente, em aulas de Redação, os neologismos eram banidos, preferindo-se os termos já existentes; a menos que fosse absolutamente necessário. É por vezes é mesmo necessário, sobretudo diante da avalanche de novidades que não encontram um termo para "existir" no vocabulário, como é o caso de "mídia", por exemplo, o qual "veio expressar uma ideia nova, mais específica do que o genérico meios de comunicação", e que foi "diretamente metamorfoseada do inglês media". E termos como software e hardware, hoje já dicionarizados nesta forma, e que "exprimem ideias complexas, que não tinham anteriormente uma expressão simples" (cf. aqui).

Mas o neologismo precisa fazer sentido para servir. E, para exemplificarmos bem o que seja um neologismo NULO ou INÚTIL, analisemos o caso do termo HOMOFOBIA.  

CONVERSÃO DE SÃO PAULO APÓSTOLO

25 de janeiro 

CONVERSÃO DE SÃO PAULO APÓSTOLO 


A Igreja celebra no dia 25 de janeiro a Festa Litúrgica da Conversão de São Paulo, Apóstolo.  O dia de São Paulo é celebrado em 30 de junho, mas sua conversão teve tanta importância para a Igreja que mereceu uma celebração à parte.  

 

A Conversão de São Paulo
Bartolomé Estebam Murillo - 1675-1682
Museu do Prado - Madrid
clique para ampliar


Saulo, cidadão romano por privilégio da sua cidade natal, Tarso, era um judeu convicto, formado na escola de Gamaliel, em Jerusalém. Opôs-se decididamente à nova fé que começava a propagar-se na Palestina e arredores. Clamou pela morte de Estêvão, e tomou parte nela, guardando as capas dos que apedrejavam o protomártir. Perseguiu violentamente os crentes em Jesus Cristo. O seu nome causava terror nas comunidades cristãs. Ao dirigir-se para Damasco para prender os cristãos que lá encontrasse e conduzi-los a Jerusalém, encontrou Jesus ressuscitado. Esse encontro mudou-lhe para sempre a vida, com a sua forma de crer e de pensar. Jesus ressuscitado, que ele perseguia, tornou-se o centro da sua espiritualidade e da sua teologia. Em Antioquia, Saulo faz a sua primeira experiência de vida cristã. Tornado apóstolo do Evangelho, com o nome de Paulo, Antioquia será também o ponto de partida para as suas viagens missionárias. Funda diversas comunidades na Ásia e na Europa. Escreve-lhes cartas que testemunham o seu amor a Jesus Cristo e à Igreja, e nos dão elementos importantes da sua teologia. Como apóstolo verdadeiro e autêntico, Paulo tem sempre o cuidado de voltar a Jerusalém para se confrontar com os outros apóstolos e não correr em vão.

domingo, 24 de janeiro de 2016

São Macários do Egito, abade

15 de janeiro 

São Macários do Egito, abade

Século IV




São Macários do Egito, dito o Grande – chamado assim para diferenciá-lo do outro, São Macários de Alexandria – nasceu por volta do princípio do quarto século de uma família pobre e obscura, de tal forma que em sua primeira juventude foi destinado a cuidar de gado.  Um dia, encontrando-se com outros meninos, seus companheiros, roubou alguns figos, ainda que ele tivesse comido só um; mas teve tanta dor por essa ação, quando entendeu quanto seja uma má coisa o ofender a Deus, ainda que levemente, que a lamentou por toda a sua vida. Determinou-se, portanto, em logo abandonar o seu ofício, e se retirou a uma pequena cela próxima a uma terra, onde atendia ao divino serviço e à obra de sua eterna saúde. E com tanto fervor de espírito procurava avançar na perfeição que o perfume de suas virtudes, tendo-se esparramado em breve tempo, fez com que ele fosse tirado de seu retiro e destinado a servir à Igreja daquela terra, recebendo a ordenação clerical. Ele, contudo, não conseguiu resolver-se a continuar naquele emprego e, portanto, fugiu para outro lugar, onde continuou a levar a sua vida retirada, ocupando-se na oração, na mortificação e no trabalho manual, fazendo cestos, os quais dava a um bom secular que lhe dava os mantimentos. Depois, se retirou a um horrível deserto do Egito, chamado “Scete” [em grego “os ascetas”, atual Wadi El Natrun, ou Deserto da Nítria]; estava com trinta anos de idade. Lá o seu exemplo levou muitos a segui-lo e a colocar-se sob sua direção, de tal forma que, dez anos depois, aos 40 anos, foi obrigado a exercer as funções eclesiásticas, para que essa multidão de solitários não fosse privada da palavra de Deus e dos outros socorros que dependem do ministério sacerdotal.

O TEMPO MEDIEVAL



O tempo é um fragmento da eternidade. Portanto, pertence a Deus. E, por conseguinte, à sua Igreja. O sol dita o ritmo das horas com o alternar-se dos anos e das estações, do dia e da noite. Aquele “branco manto de igrejas” que, como escreveu Roberto, o Glabro, recobriu de repente a Europa a partir do ano Mil, envolve também a vida cotidiana do homem medieval (na foto acima, o relógio da catedral de Wells).

As festas litúrgicas marcam o passar dos vários períodos do ano. Assim, os sinos, entre o amanhecer e o pôr-do-sol, sinalizam aos fiéis os ordenados fragmentos que compõem o dia, interrompido e recomposto três vezes pelo Ângelus, a prece católica que recorda o mistério da Encarnação.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Missa na Missão São José de Pouso Alegre - MG

POUSO ALEGRE - MINAS GERAIS

MISSÃO SÃO JOSÉ 


Fotos da passagem do Pe. Cardozo 
para as Missas de Janeiro 2016 





* * *

Contato: 
Rua Ciomara Amaral de Paula, 290, Bairro Medicina, Pouso Alegre.
Sr. Dirceu: 35-3423-0438 e 35-9928-4713
dirceumbf@hotmail.com.
http://www.missaosaojosepa.blogspot.com.br.

_

São Raimundo Pennafort, confessor

23 de janeiro 

São Raimundo Pennafort 

Confessor


  



Grande canonista e moralista
  

Pregou a cruzada contra os mouros e compôs uma Suma de casos de consciência, que exerceu sobre o Direito Canônico e a moral influência durável através dos séculos

Raimundo nasceu por volta de 1176 no castelo de Penhaforte, próximo de Villafranca del Panadés, na Catalunha, Espanha. Seus pais, ricos e nobres, descendiam dos antigos condes de Barcelona. Eram também aparentados com a casa real de Aragão.

Fez seus estudos na escola da catedral de Barcelona e formou-se depois em letras, com tal êxito que o bispo o convidou para nela lecionar retórica e lógica. Tinha então 20 anos. Desapegado de qualquer interesse humano, ensinava gratuitamente, dando a todos o exemplo de suas virtudes.

Em 1210 foi estudar Direito civil e eclesiástico na famosa universidade de Bolonha, na Itália. Fez a viagem a pé, pedindo esmolas pelo caminho.

Ao passar por Briançon, na França, presenciou um estupendo milagre operado por Nossa Senhora de Delbeza. Um jovem fora assaltado por ladrões, que lhe furaram os olhos e cortaram as mãos. A Virgem restituiu-lhe mãos e olhos. O relato autêntico desse fato passou para a História narrado pelo próprio São Raimundo.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Santos Vicente e Anastácio, Mártires

22 de janeiro 

Santos Vicente e Anastácio

Mártires


SÃO VICENTE 


A Igreja comemora no dia de hoje a festa de dois grandes mártires, São Vicente, em cuja memória Santo Agostinho fez diversos sermões, nasceu em Saragoza, na Espanha, e recebeu do Bispo Valério o diaconato. Valério com dificuldade falava; para que aos diocesanos não faltasse a pregação da palavra divina, encarregou a Vicente da missão de pregar em seu lugar. O jovem diácono desempenhou-se com tanta proficiência deste cargo, que a diocese de Saragoza se distinguiu pelo espírito de piedade. Quando Diocleciano principiou a perseguição, apareceu na Espanha seu emissário Daciano, com ordem de exterminar a Igreja Católica naquele país. Valério e Vicente foram as primeiras vítimas. Valério foi mandado ao desterro, e Vicente submetido a cruéis torturas. Tão desumanas foram, que – assim opina Santo Agostinho – para sofre-las era preciso uma assistência divina especial. O mesmo Santo Padre elogia Vicente uma paciência angélica, uma tranquilidade imperturbável e uma paz tão extraordinária, que causou admiração e espanto até aos próprios algozes. Daciano, ao ver isto, não pôde dominar a fúria, que se lhe manifestava no olhar faiscante e na voz trêmula. Ferro e fogo foram os instrumentos de que Daciano se serviu, para martirizar o santo diácono. Mas Deus não abandonou seu servo. O cárcere do mártir encheu-se de grande luz, e os Anjos desceram, cantando com Vicente o louvor de Deus. O próprio carcereiro, vendo este espetáculo, converteu-se ao cristianismo e recebeu o batismo. Os cristãos a que antes era vedado entrar em comunicação com o diácono-mártir, aproximaram-se-lhe, beijaram-lhe as feridas e embeberam panos em seu sangue, guardando-os como preciosas relíquias. Para que os cristãos nada pudessem fazer com o corpo do mártir, Daciano deu ordem que fosse lançado num pântano, mas um corvo defendeu-o contra as feras. Mandou então que o atirassem ao mar, mas o mar despejou-o. Os cristãos tomaram o corpo e sepultaram-no numa capela perto de valência. Mais tarde as santas relíquias foram transportadas para a abadia de Castres, em Languedoc, na França, ocasião em que se observaram muitos milagres. 




SANTO ANASTÁCIO 


Chosroas, rei da Pérsia, tomou Jerusalém em 614 e nesta ocasião se apoderou do santo Lenho e levou-o consigo. Deus serviu-se desta circunstância, para operar a salvação de muitos Persas. Um deles foi Anastácio, filho de um célebre feiticeiro. A santa Cruz, de que tanto se falava, excitou-lhe também a curiosidade e desejo de vê-la.

Sem ter a intenção de abraçar a religião de Cristo, nela se instruiu e a admiração crescia-lhe, à media que se aprofundava nos santos mistérios. Depois de algum tempo, se dirigiu a Hierápolis, hospedando-se em casa de um artista cristão. Este, no intuito de fazê-lo conhecer a fundo a religião cristã, convidou-o para assistir a diversas reuniões cristãs. As santas imagens, as representações dos santos mártires tocaram-lhe o coração bem ao vivo e despertaram-lhe o desejo de, como eles, um dia poder sacrificar a vida em testemunho da fé, que estava prestes a abraçar. Após longa preparação, recebeu o santo Batismo e entrou para um convento em Jerusalém. Tinha um zelo tão vivo e ardente, que em pouco tempo, entre os irmãos, era o primeiro em virtude e santidade. Tinha por leitura predileta, além da Bíblia, a história dos mártires. As lutas e vitórias, os triunfos dos heróis comoviam-no até lágrimas e cada vez mais pronunciado se lhe tornava o desejo de morrer pela fé, o que fez com que saísse do convento e se dirigisse a Cesaréia, na Palestina. Vendo entre os soldados alguns que cometiam atos vergonhosos, censurou-os energicamente. Este rigor chamou a atenção do governador, que suspeitava de Anastácio um espião e mandou-o prender. Perguntado pela religião que professava, Anastácio respondeu que tinha abandonado a magia, para ser cristão.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Missas em Barbacena e São Sebastião do Paraíso

Missões de Barbacena (MG) 

e São Sebastião do Paraíso (MG)

  

Fotos da passagem do Pe. Cardozo 
para as Missas de Janeiro 2016


BARBACENA - 17/01 





* * * 


SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO - 20/01

MISSÃO DO SANTO PRESÉPIO 




* * *
Barbacena/MG
Sra. Helenice: 32-9159-4913
http://farfalline.blogspot.com.br/p/missas-no-brasil.html


São Sebastião do Paraíso/MG
Telefone o escreva para o e-mail
Sr. Cézar Neto: 35-9911 0790 ou 35-3531-3491
cezar-neto@uol.com.br
http://farfalline.blogspot.com.br/p/missas-no-brasil.html
 
_

Santa Inês, Virgem e Mártir

21 de janeiro 

Santa Inês 

Virgem, Mártir  


http://sacragaleria.blogspot.com/2016/01/santa-ines-ou-agnes.html
clique para ver mais belas imagens
Inês, ou Agnes, vem do grego αγνη ("hagnē"), forma femenina de αγνος (hagnós), que significa "casto" ou "sagrado". Ou do latim, "agnus" que significa "cordeiro".

Há algumas santas com este nome:
  • Santa Inês, virgem e mártir - 21/01 - das virgens, noivas, jardineiros e patrona principa da Ordem da Santíssima Trindade.
  • Santa Inês de Poitiers - 13/5 -
  • Santa Inês de Assis - 19/11 - Canonización     1753 por el Papa Benedicto XIV - Irmã de Santa Clara.
  • Santa Inês de Montepulciano - 20/04 - Beatificada em 1608m pelo Papa Clemente VIII; e canonizada em 1726 pelo Papa Benedito XIII.

Mas a santa de hoje é Santa Inês, virgem e mártir, ou Santa Inês de Roma.  

Entre as heroínas da Igreja primitiva, que derramaram o sangue em testemunho da fé é Santa Inês aquela a que os Santos Doutores da Igreja tecem os maiores elogios. São Jerônimo, em referência a esta santa, escreve: “Todos os povos são unânimes em louvar Santa Inês, porque vencendo a fraqueza da idade e o tirano, coroou a virgindade com a morte do martírio”. De modo semelhante se exprimem Santo Ambrósio e Santo Agostinho. Com Maria Santíssima e Santa Tecla, Santa Inês é invocada para obter-se a virtude da pureza.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

CALENDÁRIO DA EDITORA MISSÕES CRISTO REI

São Fabiano, Papa e Mártir

20 de janeiro 

São Fabiano, Papa e Mártir

Pontificado - 236 a 250

 

São Fabiano e São Sebastião
Sucessor de Santo Antero,   foi eleito Bispo da Igreja de Roma em 236.  As extraordinárias  circunstâncias de  sua eleição, em muito se assemelham à  de  São Zeferino (15º Papa da Igreja), e foram relatadas pelo historiador Eusébius.  Depois da morte do Papa Antero,  havia vindo a Roma, com alguns outros de sua vila, e estava na cidade, como mero espectador,  quando a nova eleição teve  início.  Concentrados  no local, haviam nomes de várias pessoas ilustres e também muitos nobres de elevada consideração.   Durante a fase preparatória e as orações para a escolha do novo Pontífice,  repentinamente uma pomba desceu sobre a cabeça de Fabiano, que  não gozava de fama ou qualquer consideração social.  Os membros da assembleia logo associaram  esta manifestação extraordinária à cena descrita no Evangelho,  quando o Espírito Santo desceu sobre o Salvador da humanidade e por isto, com divina inspiração, elegeram  Fabiano e  o aclamaram com tal alegria que, por unanimidade o conduziram à Cadeira de Pedro. 

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Ss. Mário, Marta, Audíface e Ábaco, Mártires

19 de janeiro 

Ss. Mário, Marta, Audíface e Ábaco

Mártires 

*

A Igreja comemora hoje São Mário, Santa Marta, Santo Audifax e Santo Ábaco, que saíram da Pérsia e vieram em peregrinação até Roma, para rezar no túmulo dos mártires. Ainda hoje todo o mundo festeja a prova de fé dada por esta família. Há quem afirme que São Mário e Santa Marta eram casados, e Audifax e Ábaco, seus filhos. Não temos nada que possa comprovar historicamente.

Durante esta viagem São Mário ajudou várias famílias cristãs, dando sepultura digna aos seus entes queridos, mortos pelas perseguições. Foram mais de 260 mártires, cujos corpos jaziam insepultos.  

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Salvo pelo Terço

Salvo pelo Terço



O jesuíta alemão Helmuth Kaiser conta este caso ilustrativo da piedade mariana, acontecido nos princípios do século XX, em terras germânicas.

Duas jovens irmãs, alunas de um colégio interno, costumavam passar as férias com a avó no sitio da família.

E sempre rezavam o terço com ela após o jantar, diante de uma imagem da Mãe do Céu. E contaram este fatinho real.

"Quando rezávamos o terço, não sentíamos o tempo passar. A avó tinha um lindo rosário de pérolas guardado na caixinha, mas preferia usar o de contas grandes, gastas, de marrom desbotado.

Muito curiosas, perguntamos-lhe ao fim da reza:

domingo, 17 de janeiro de 2016

O bispo D. Jeronimo pede ao Cid a honra de dar os primeiros golpes aos muçulmanos




O bispo Dom Jerônimo

A Santa Missa lhes canta,

E uma vez a Missa dita,

Esta alocução lhes dava:

"A quem na luta morre

Pelejando face a face,

Lhe perdoo os pecados

E Deus lhe colherá a alma.


E a vós, meu Cid dom Rodrigo,

Que cedo cingistes espada,

Pela Missa que cantei

Para vós esta manhã,

Peço-lhe me concedeis,

Em troca a seguinte graça:

Que as primeiras feridas

Sejam feitas por minha espada".

Disse-lhe o Campeador:

"Desde já lhe são outorgadas".


(Fonte: Cantares de Mio Cid – Estrofe 94)
  
 
  

El Cantar del Mio Cid é o poema épico espanhol mais antigo (epopeya), preservado, de autor desconhecido. Conta a história de Rodrigo Díaz de Vivar, chamado El Cid.
 
*
*
*

sábado, 16 de janeiro de 2016

O respeito humano

“Meu Deus, eu Vos agradeço por ser filha da Vossa Igreja”
(Santa Teresa)

 
Distinta e rica dama desejava adotar uma filha de Maria cujo procedimento lhe agradava sobremaneira. Mas estabeleceu como condição que se retirasse da associação mariana e depusesse a medalha da Mãe de Deus. Firme e resoluta, embora gentil e cortês, respondeu a donzela que a esta exigência não satisfaria por nenhum preço: preferia ser filha de Maria, a se tornar rica e notável.

A dama encontrou nesta franqueza e firmeza tanta satisfação que tomou consigo a jovem e – o que é mais notável – adotou-a para sua própria santificação.

O bom exemplo da moça reconduziu-a à piedade e à virtude. Se esta filha de Maria, no seu covarde respeito humano, tivesse satisfeito à exigência da rica dama, mui provavelmente, não voltaria esta para Deus, mas cairia na indiferença religiosa.

Eu desejaria animar-te, jovem cristã, a imitares a firmeza desta filha de Maria, e a jamais te tornares infiel a Deus e aos teus deveres, por causa do respeito humano. 


1º – Contentar a Deus há de ser sempre tua principal preocupação.

“Teme a Deus e observa os Seus mandamentos, porque nisto está o homem todo” (Ecl. 12,13).

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

São Paulo, 1º eremita e confessor

15 de janeiro 

São Paulo, 1º eremita e confessor



Em Tebaida (hoje Egito), são Paulo, eremita, um dos primeiros em abraçar a vida monástica (s. IV). A vida deste santo foi escrita pelo grande sábio São Jerónimo, no ano 400. Nasceu no ano 228, em Tebaida, uma região que fica junto ao rio Nilo no Egito e que tinha por capital a cidade de Tebas. Foi bem educado por seus pais, aprendeu grego e bastante cultura egípcia. Mas aos 14 anos ficou órfão. Era bondoso e muito piedoso. E amava enormemente a sua religião.

No ano 250 estalou a perseguição de Décio, que tratava não tanto de que os cristãos chegassem a ser mártires, mas sim de os fazer renegar de sua religião. Paulo se viu ante estes dois perigos: ou renegar de sua fé e conservar suas quintas e casas, ou ser atormentado com tão diabólica astúcia que o conseguissem acobardar e o fizessem passar para o paganismo para não perder seus bens e não ter que sofrer mais torturas.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Um pouco de arte: Iconografia e Simbologia na Arte Cristã

Iconografia e Simbologia na Arte Cristã



"Paraíso", de Giusto de' Menabuoi,
no Batistério do Duomo de Pádua.
CLIQUE PARA AMPLIAR
No século XIV, influenciados pela Divina Comédia de Dante, os artistas começaram a criar imagens do Paraíso como uma sequência de círculos concêntricos, também chamados de coros celestes, rodeando o núcleo que contém Jesus, o qual é representado dentro de um escudo dourado, assistido por um Serafim - os anjos que estão mais próximos d'Ele. Abaixo do Filho, no centro das hostes celestes, está uma grande figura de Maria coroada no interior de uma mandorla dourada [1]. Está em posição orante, confirmando a sua aceitação do plano redentor de Deus, no instante em que foi escolhida para ser parte do plano divino d'Ele.

Imagens do Reino Celeste começam a aparecer na Idade Média em conexão com o Juízo Final, e são um tema frequente em afrescos decorando interiores de cúpulas, ábsides das abóbadas e a parede fundeira de igrejas e capelas. Enquanto que as imagens iniciais representavam um maravilhoso jardim rodeado por uma exuberante vegetação, os posteriores sublinham a paz e a harmonia de um mundo povoado pelas almas dos eleitos. A rígida hierarquia de Anjos e Santos e a perfeita simetria das composições são destinadas a transmitir o sentido de serenidade, intrínseco aos lugares sagrados.  


por Sara Almeida Rocha 
Iconografia e Simbologia na Arte Cristã - Facebook.  

____________

Nota do blog:
1 - "mandorla" (amêndoa, em italiano), ou "vesica pescis" (víscera de peixe, em latim), é a auréola oval que envolve normalmente uma representação de Jesus Cristo. Este símbolo ogival é obtido de dois círculos de mesmo raio que se interseccionam de tal modo que o centro de cada círculo se encontra na circunferência do outro. Elemento decorativo conhecido nas antigas civilizações asiáticas e africanas, como a indiana e a da Mesopotâmia, passa ao Cristianismo como referência a Cristo, evidenciado no "ichthys", o símbolo de um peixe estilizado, formado justamente por duas curvas que partem do mesmo ponto, à esquerda (a cabeça), e se cruzam, então, à direita (a cauda). Na sucessiva elaboração da iconografia cristã, a mandorla é associada à figura do Cristo ou da Virgem em Majestade, e representada em muitas iluminuras e esculturas da Idade Média, e também nos afrescos ou em mosaicos. Nesse contexto, é um elemento decorativo românico-gótico, utilizado para ressaltar a figura sacra representada em seu interior, muitas vezes rodeada externamente por outros sujeitos sacros. Possui dupla valência: 

1. aludindo ao fruto da amêndoa - e à semente em geral - é claro símbolo de Vida e, portanto, natural atributo d'Aquele que é "Caminho, Verdade e Vida";

2. como intersecção de dois círculos, representa a comunicação entre dois mundos, duas dimensões diferentes, ou seja, o plano material e o plano espiritual, o humano e o divino. Jesus, Verbo de Deus, fazendo-se homem, se torna o único Mediador entre duas realidades, o único Pontífice entre o terrestre e o celeste, e como tal é representado no interior da intersecção. A confirmar isso, em algumas miniaturas do período Carolíngio e Otoniano, os dois círculos vinham representados ao redor de Cristo, mas em vertical.




* * *

A página do Facebook acima mencionada se tornará uma "velha conhecida nossa", pois pretendo haurir dessa fonte mais vezes, porque traz informações interessantes e valiosas sobre Arte Sacra, que é o que nos interessa!  

E na esteira dessa informação, que traz estampada uma belíssima obra de Giusto de' Menabuoi, resolvi fazer minhas próprias pesquisas e trazer as imagens do interior do Batistério do Duomo de Pádua, de uma riqueza ímpar. Enjoy yourself



* * *

O Batistério da Catedral, dedicado a São João Batista, está localizado ao lado do Duomo (Catedral) de Pádua. Conserva em seu interior um dos mais importantes ciclos de afresco (1375-1376) do século XIV, obra prima de Giusto de' Menabuoi, um pintor italiano da escola de Giotto (embora não haja certeza documental) do começo do Renascimento, nascido em Florença. Na Lombardia, executou o afresco da Última Ceia, na Abadia de Viboldone (Milão). Depois, se mudou para Pádua, onde completou os afrescos da Igreja de Eremitani, da Basílica de Santo Antonio de Pádua e, mais importante, o Batistério da Catedral de Pádua, em 1376. Morreu também em Pádua.   


AS OBRAS DENTRO DO BATISTÉRIO

 clique nas imagens para ampliá-las 

























Altar Tridentino


Núpcias em Canaã


Anunciação


Apocalipse - A Mulher vestida de sol e o Dragão


Expulsão de Adão e Eva


Os Santos Inocentes


Vista externa

Fontes de pesquisa:
*
*
*

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA