Pesquisar este blog

Retiro

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Dois bons artigos!

Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Santos Simão e Judas, Apóstolos

28 de outubro 

Santos Simão e Judas

Apóstolos


Virge com o Menino e os Santos simão e Judas
de P. Montebugnolo

clique para ver mais imagens


Simão, o Zelote


Simão, dito Simão, o Zelote, ou Simão, o Cananeu, natural da Galileia, foi um dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo que fazia parte do grupo dos doze Apóstolos,
o mais desconhecido deles. É referido como "o Cananeu" no Livro de Mateus e como "o Zelote", no Livro de Lucas e em Atos dos Apóstolos.

A palavra grega Cananeu e a palavra Zelote, derivada do aramaico e significam a mesma coisa: "zeloso". 
 

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

PAPA PIO XII: ENCÍCLICA MIRANDA PRORSUS - 1957

CARTA ENCÍCLICA DO SANTO PADRE PAPA PIO XII 


MIRANDA PRORSUS 


SOBRE A CINEMATOGRAFIA, A RÁDIO E A TELEVISÃO 


AOS VENERÁVEIS IRMÃOS
PATRIARCAS, PRIMAZES,
ARCEBISPOS E BISPOS
E OUTROS ORDINÁRIOS DO LUGAR
EM PAZ E COMUNHÃO
COM A SÉ APOSTÓLICA 


INTRODUÇÃO


PREÂMBULO

Os maravilhosos progressos técnicos, de que se gloriam os nossos tempos, sem dúvida são fruto do engenho e do trabalho humano, mas são primeiro que tudo dons de Deus, Criador do homem e inspirador de todas as obras; "não só produziu as criaturas, mas uma vez produzidas defende-as e protege-as". [1]

Alguns destes novos meios técnicos servem para multiplicar as forças e as possibilidades físicas do homem, outros para lhe melhorarem as condições de vida, outros finalmente – e estes dizem mais respeito à vida do espírito – servem, directamente ou mediante uma expressão artística, para a difusão das ideias, e oferecem a milhões de pessoas, de maneira fàcilmente assimilável, imagens, notícias e lições, como alimento quotidiano do espírito, mesmo nas horas de lazer e repoiso.

Entre as técnicas referentes a esta última categoria, como todos sabem, alcançaram desenvolvimento extraordinário, durante o nosso século o cinema, a rádio e ùltimamente a televisão.


Motivos do interesse da Igreja

Com particular alegria, mas também com prudência vigilante de Mãe, procurou, desde o princípio, a Igreja seguir e proteger os seus filhos no caminho maravilhoso do progresso das técnicas de difusão. Tal solicitude deriva directamente da missão que lhe confiou o Redentor Divino, porque essas técnicas – na geração presente – têm poderoso influxo no modo de pensar e agir dos indivíduos e comunidades.

domingo, 26 de outubro de 2014

Oração a Cristo, Rei Universal

No dia da Festa de Cristo Rei, uma oração que é um compromisso!


Oração a Cristo, Rei Universal


Cristo Jesus, eu vos reconheço como Rei do Universo, Sois autor de toda a Criação. Exercei sobre mim todos os vossos direitos.  

Renovo as minhas promessas do batismo, renunciando a Satanás, às suas pompas e à suas obras, e prometo viver como bom cristão. De um modo todo especial, comprometo-me a lançar mão de todos os meios a meu alcance para fazer triunfar os direitos de Deus e de vossa Igreja.
 

Ó Divino Coração de Jesus, eu vos ofereço minhas pobres ações para conseguir que todos os homens reconheçam vossa Realeza sagrada, e assim o reino de Vossa paz se estabeleça por todo o Universo.
 
Assim seja.
 
Indulgência plenária, uma vez ao dia (S. Penit. 21-2-23).

Goffiné. Manual do Cristão. Rio de Janeiro. 1944. Sacristia do Colégio da Imaculada. p. 1046. 


   
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

Dos vossos votos, bem como de todas as vossas ações, Deus irá pedir contas!

"Dos vossos votos, bem como de todas as vossas ações, Deus irá pedir contas. O direito de votar é muito mais vinculante à consciência, porque é de seu bom ou mau exercício que dependem os mais graves interesses do País e da Religião" (vide)
Nada, nessas eleições (se é que houve!), está dentro da normalidade! E Dilma ganhou - de novo - em um País supostamente de maioria cristã, e apesar de todas as evidências de corrupção e de crimes eleitorais!   

Os católicos que votaram na Dilma têm contas para prestar a Deus, mas os que votaram em branco ou nulo (totalizando 6%) ou se abstiveram de votar (21,5%), alegando qualquer desculpa esfarrapada para justificar sua COVARDIA, estão em uma situação bem pior, pois os mornos serão vomitados
"Será melhor dar o voto para candidatos que, mesmo não satisfazendo completamente todas nossas legítimas demandas, nos levariam a esperar deles uma linha de conduta útil para o País, do que confiar nossos votos a outros cujo programa possa ser mais perfeito, mas cuja derrota quase certa poderia abrir as portas para os inimigos da religião e da ordem social." (Leia mais aqui).

E que é a Verdade?

Encaminha-se de casa de Caifás toda a multidão, juízes e servos, arrastando a Jesus para o Pretório de Pôncio Pilatos, governador romano. Ao sair de Efraim tinha dito Nosso Senhor: “Vamo-nos a Jerusalém, onde o Filho do Homem tem de ser entregue aos chefes sacerdotes e aos doutores da Lei, que o hão de condenar à morte, e desampará-lo aos pagãos”. Alumiando todos os pormenores deste suplício hediondo, como se nos desvenda a majestade divina à luz das profecias?

Agitavam-se os judeus em burburinho às abas do Pretório, mas não entravam, com receio de se macularem no contato da casa de um pagão. Em tudo se reconhecem os fariseus que descreveu Jesus! Não lhes proibia a Lei que entrassem no lar de um pagão; era isso um uso puramente consuetudinário; proibia-lhes porém que matassem o inocente.

Saiu Pilatos fora e perguntou de que vinha acusado aquele homem. Bradaram-lhe que era um malfeitor, aliás não o teriam levado até ali. Respondeu Pilatos que o houvessem pois de julgar conforme suas leis. Retorquiram: “Sabeis que não nos é lícito matar seja quem for”. Logo, já o cetro não se erguia em Judá, e era chegada a era do Messias.

Tudo punham por obra para que Jesus fosse morto, os inimigos dele: preferiram contudo não ser oficialmente os seus julgadores. Conforme a Lei, só os haveriam podido condenar à lapidação; queriam porém submetê-lo nas ignomínias da cruz. O autor do livro da Sabedoria põe na boca dos iníquos que tramam perder o Justo: Condenemo-lo à morte mais oprobriosa. Por outra parte, forcejavam acautelar-se contra a possível indignação e resistência popular; porque toda aquela plebe vil, que até então conseguiram acirrar, não era ainda a força verdadeira. Logo que houvesse o governador assumindo a responsabilidade da condenação, mais se interessariam em fazer cumprir a sentença. Concordava o ódio dos judeus com a sua política no empenho de que “se cumprisse a palavra que proferira Jesus para indicar de que morte havia de morrer”.

Principiaram portanto a acusá-lo perante Pilatos, dizendo, “encontramo-lo pervertendo a nação, proibindo que se pagasse o tributo a Cesar, e assumindo os títulos de Cristo e de Rei”. Não havia cinco dias, tinha-lhes Cristo aconselhado: “Daí a Cesar o que é de Cesar”. 

 
Não lhes deu Pilatos inteiro crédito, se bem que, depois da acusação daquele gênero, impunha-lhe o seu cargo um simulacro ao menos de informação. Entrou para o palácio, mandou comparecer Jesus à sua presença, e perguntou-lhe: És tu o rei dos judeus?. Disse Jesus: “Perguntais isso por vós, ou alguém vo-lo sugeriu?”. Acaso serei eu judeu?, replicou Pilatos. Os teus patrícios é que te vêm pôr nas minhas mãos. Que fizeste?. Falara o juiz; continuou Jesus a sua resposta: “O meu reino não é deste mundo. Se o fosse, pugnariam os meus servos a fim de que eu não fosse entregue aos judeus; mas o meu reino não pertence aqui”. Ponderou Pilatos: Logo, és rei?. Volveu Jesus: “Vós o estais dizendo, sou rei”.

Já Davi tinha cantado: Pôs-me o Senhor como rei na montanha sagrada de Sião (a Igreja) para eu anunciar o seu mandamento. Jesus, ao concluir as suas respostas a Pilatos, descreve também por aquela forma a sua realeza: “Nasci e vim a este mundo para prestar testemunho à Verdade. Escuta a minha voz todo aquele que está do lado da Verdade”.

Disse então Pilatos: E que é a Verdade?

Festa de Cristo Rei

26 de outubro
Último domingo do mês 

FESTA DE CRISTO REI 

    
CLIQUE NA IMAGEM PARA LER

Algumas palavras do Reverendo Pe. Cardozo para o dia de hoje. Sobre a Festa, clique na imagem acima. 

Na festa de Cristo Rei, rezem o terço nas capelas, no horário habitual, para dar graças por todas as bênçãos e graças recebidas e pedindo a perseverança na Fé. 

En la fiesta de Cristo Rey, favor de rezar el rosario en las capillas, en horario habitual, para dar gracias por todas las bendiciones y gracias recibidas y pidiendo la perseverancia en la Fe. 

Para os que não vivem em centros com capelas, para os que são a única família nas redondezas que guarda a Fé, para quem é sozinho a fazê-lo: reze também o terço nessas intenções.  


Oração a Cristo, Rei Universal

Cristo Jesus, eu vos reconheço como Rei do Universo, Sois autor de toda a Criação. Exercei sobre mim todos os vossos direitos.
Renovo as minhas promessas do batismo, renunciando a Satanás, às suas pompas e à suas obras, e prometo viver como bom cristão. De um modo todo especial, comprometo-me a lançar mão de todos os meios a meu alcance para fazer triunfar os direitos de Deus e de vossa Igreja.
Ó Divino Coração de Jesus, eu vos ofereço minhas pobres ações para conseguir que todos os homens reconheçam vossa Realeza sagrada, e assim o reino de Vossa paz se estabeleça por todo o Universo.
Assim seja.

 

Indulgência plenária, uma vez ao dia (S. Penit. 21-2-23).

Goffiné. Manual do Cristão. Rio de Janeiro. 1944. Sacristia do Colégio da Imaculada. p. 1046.

  
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

sábado, 25 de outubro de 2014

O dever de votar, votar bem, em benefício da Pátria!

Mais considerações sobre as eleições, mais precipuamente sobre o dever de votar, e de votar bem, pelo bem da Pátria.

Em 1921 o Cardeal Léon-Adolphe Amette, Arcebispo de Paris, enviou uma carta pastoral ao seu rebanho sobre tal dever. Posteriormente, em uma Carta conjunta para todos os católicos franceses, a Hierarquia enviou a seguinte mensagem:

"É um dever de consciência, para todos os cidadãos honrados com direito de votar, que votem honesta e sabiamente, com o único objetivo de beneficiar a Pátria. Os cidadãos são sujeitos à lei divina, assim como a Igreja o é. Dos vossos votos, bem como de todas as vossas ações, Deus irá pedir contas. O direito de votar é muito mais vinculante à consciência, porque é de seu bom ou mau exercício que dependem os mais graves interesses do País e da Religião.  
É vosso dever votar. Negligenciar a fazê-lo é uma culpável abdicação de um dever. É vosso dever votar honestamente; isso é, em homens dignos de vossa estima e de vossa confiança. É vosso dever votar sabiamente; ou seja, de tal modo que vosso voto não seja desperdiçado. Será melhor dar o voto para candidatos que, mesmo não satisfazendo completamente todas nossas legítimas demandas, nos levariam a esperar deles uma linha de conduta útil para o País, do que confiar nossos votos a outros cujo programa possa ser mais perfeito, mas cuja derrota quase certa poderia abrir as portas para os inimigos da religião e da ordem social."

Fonte: The Moral Obligation of Voting. Esta parte foi traduzida por Augusto Mendes.  

Algumas considerações recebidas por e-mail, e, ao que parece, da livra do prof. Carlos Nogué: 

Santos Crisanto e Daria

25 de outubro 

Santos Crisanto e Daria

Mártires
+ 283

clique para ver mais imagens


Os Santos Crisanto e Daria foram martirizados em Roma, no ano de 283, junto os Santos Mártires Claudio, Hilária, Jason e Mauro

Crisanto era filho de um ilustre senador. Teve uma brilhante educação e aprendeu a amar as Letras desde sua juventude. Teve acesso ao Evangelho e às Epístolas, e as leu com muito interesse. Maravilhava-se com as mensagens profundas do Evangelho, porém não entendia muitas coisas. A Providência Divina fez com que Crisanto conhecesse um sacerdote que lhe explicou detalhadamente a Fé Cristã. Aprofundando-se nos estudos do Evangelho e se sentindo iluminado com as verdades cristãs, Crisanto deixou os equívocos pagãos de sua família e foi batizado. Desejando converter outros pagãos à fé cristã, começou destemidamente a pregar o Evangelho. Quando seu pai, pagão, soube do Batismo de seu filho, pretendendo afastá-lo do Cristianismo, colocou-o num cárcere, deixando que passasse frio e fome. Mas, ao contrário, estas provações fortaleceram ainda mais a sua fé. Então, seu pai o libertou e casou-o com Daria, uma sacerdotisa da deusa Vesta, esperando que ela pudesse persuadi-lo a voltar ao Paganismo. Mas aconteceu que foi Crisanto foi quem a converteu à Fé Cristã, e ela também foi batizada.  Quando faleceu o pai de Crisanto, a casa do jovem casal tornou-se um lugar de refúgio e abrigo aos cristãos. Mais tarde, Crisanto e Daria foram denunciados ao magistrado romano Claudio como seguidores do Cristianismo.    

Uma metáfora e três perguntas.

GIOTTO: Traição de Judas
O pai fundou uma empresa e lhe deu um estatuto exemplar. Mas um dia faleceu, e um de seus filhos assumiu o comando da empresa. Com o tempo, à semelhança dos hebreus no deserto, o filho afastou-se dos desígnios do pai e procurou aliança logo com aqueles de quem o pai indicara guardar distância, não por uma mera implicância ou “opinião”, mas porque ele mesmo caíra na tentação de procurar uma aliança, confundido pelas aparências, mas, libertado pela verdade e a sã doutrina que possuía, salvou-se, e à empresa, a tempo da ruína de uma união nefasta. Mas o filho, inflado pela vaidade de achar que a salvação de tudo dependia dele, e esquecido dos amorosos conselhos do venerável pai, imprudentemente voltou a dialogar com os inimigos, pondo em risco a si próprio e à empresa. Afinal, se não buscava um acordo, porque foi ao encontro dos inimigos para ouvir-lhes as propostas. De nada valeu a intervenção dos irmãos, que caridosamente o alertavam do perigo e lhe lembravam as instruções paternas! O filho, enraivecido, perseguiu e puniu todos aqueles que tentavam trazê-lo à razão! Por fim, em um tempo razoável, o filho ingrato e traidor, se reconciliou integralmente com os inimigos que deveria combater.

Essa história lhe parece familiar? Deveria, porque é baseada em fatos reais, notórios e estarrecedores, seja porque põem em risco a Obra do Venerável Monsenhor Lefebvre, seja porque põem em risco tantas almas. Nestes tempos em que vivemos, a Obra de Lefebvre é essencial para a defesa e preservação da sã Doutrina e da Fé Católica. Por outro lado, cada alma custou o Sangue de Cristo.

Quem não leu na web o argumento padrão dos ralliés? “Onde está a assinatura de Monsenhor Fellay no acordo?”, ou “Onde está o acordo escrito?”. Às vezes, a ingenuidade – na melhor das hipóteses – é aborrecedora!

Eu tenho três perguntas para os fellayistas:

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

VATICANO FOR RENT!

Quase todos os dias, Francisco nos deixa boquiabertos, abismados e/ou escandalizados! Hoje, a novidade é a inaudita "cessão" da Capela Sistina para uma festa privé da empresa Porche (sim, a do famoso automóvel), reservada a quarenta sortudos que desembolsaram uma alta quantia em euros para um privilegiado concerto na famosa capela. Segundo fontes oficiais do Vaticano, o dinheiro da Porche será entregue a uma instituição de caridade que cuida de "sem tetos", e o dinheiro embolsado por Francisco será revertido aos "pobres". Segundo a notícia, esta não será a única vez.

Ainda que fossem verdade as alegadas boas intenções caritativas, são uma imoralidade, um escárnio e beiram a simonia! Perdeu-se a noção do sagrado, para vender "terrenos no Céu"... é um passo! E o que vem adiante? Vão ceder o Santo Sudário para um desfile da Paris Fashion Week

Neste Domingo, Festa de Cristo Rei, não nos esqueçamos de rezar o terço em ação de graças por todas as bençãos e graças recebidas e para perseverarmos na Fé. Tempos insanos se aproximam!  

   
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

DOIS COMUNICADOS BEM DISTINTOS

Dois comunicados diferentes a respeito da "beatificação" de Giovanni Battista Montini - Paulo VI - por Francisco, para fechar com "chaves de ouro" o escandaloso Sínodo da Destruição da Família, que tentou mudar a doutrina da Igreja para franquear o acesso ao Sacramento da Eucaristia aos adúlteros de variados tipos e aos sodomitas. Não foi a primeira vez que Paulo VI rondou os altares da igreja conciliar, na era de Bento XVI  tentou-se, mas os tempos ainda não estavam maduros. A respeito de Paulo VI, vale a pena ler o que escreveu o Padre Luigi Villa (PDF). Aqui, já publicamos uma carta de Dom Villa aos Cardeais, reunidos para discutir o processo de beatificação de Montini, alertando.

Vamos aos comunicados: primeiro da Casa Geral da Neo-FSSPX e, depois, da União Sacerdotal Marcel Lefebvre (a verdadeira FSSPX).

SEGUNDO TURNO, ÚLTIMA CHANCE

Estamos às vésperas do 2º turno das eleições presidenciais (e de governador de Estado), no último dia de campanha, com o último debate entre os candidatos. A campanha do segundo turno foi mais acirrada que a do primeiro, com ataques pessoais, sobretudo por parte da candidata do PT, típicos dos que não têm argumentos, propostas ou uma história limpa. Aliás, hoje acordamos com uma “Veja” repleta de acusações gravíssimas contra Dilma e Lula – como se ninguém soubesse que eles não só “sabiam”, como participaram dos fatos que envergonham a Nação. E não nos espantemos se, hoje, as acusações pessoais a Aécio serão bem piores, proporcionais à gravidade dos crimes do PT. A calúnia nunca teve tanta audiência!

Ainda recebo e-mails de algumas pessoas preocupadas e indecisas. Me perguntam se tenho certeza, se é mesmo necessário ou correto votar no Aécio Neves, se ele é ou não é maçom, se não é mais correto votar nulo, em branco ou se abster...

Sem julgar as pessoas (pois são de boa fé!), apenas as ideias, me vem à mente Apocalipse 3,16: “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca”. Há momentos na vida em que devemos tomar uma posição, porque ficar em cima do muro pode nos custar caro. E este é um daqueles momentos cruciais em que cada voto faz a diferença.

São Rafael Arcanjo

24 de outubro

São Rafael, Arcanjo 



El arcángel San Rafael y Tobías,
óleo sobre tela, Martín de Vos, siglo XVI.
Catedral Metropolitana de México barroco

CLIQUE PARA VER MAIS IMAGENS
Padre Richa, jesuíta, em um livreto publicado em 1751, dizia que havia em Florença uma mosteiro de religiosas beneditinas muito devotas de São Rafael. O confessor do mosteiro, o carmelita Padre Alvizzo, também tinha muita confiança no Arcanjo. Essas boas religiosas tiveram que sofrer uma grande provação relativa nada menos do que a sua reputação. A questão chegou à Santa Sé, e as religiosas estavam amarguradas. Um dia, por volta da cinco da tarde, ouvir bater fortemente à porta do mosteiro. A irmã porteiro foi abrir e se deparou com um jovem peregrino que pedia a esmola, dizendo: “Vou a Roma e lá vos ajudarei, à minha volta vos trarei boas notícias. Rezai, enquanto isso, por nove dia os salmos “Os Céus narram a glória de Deus” (Salmo 129) e “De Profundis” (Salmo 130), acendendo nove velas de cera branca em honra aos nove coros angélicos.

O confessor havia sido consolado por uma visão de São Rafael, e todas as monjas obedeceram com solicitude. Um dia, depois de algum tempo, era um domingo 1º de outubro, por volta das seis da tarde, a abadessa se encontrava com algumas religiosas quando um jovem os alcançou rapidamente e lhe disse: boas notícias. E foi embora.


De fato, o problema havia sido resolvido, e as irmãs estavam livres de preocupações. Como prova de gratidão, a abadessa Margarida Macci fez representar em um quadro a São Rafael vestido como peregrino conforme lhes aparecera.

As religiosas estabeleceram de rezar todas as noites, após as completas, os salmos recomendados pelo Arcanjo. Além disso, por nove dias consecutivos antes da festa dos Santos Arcanjos, 29 de setembro, acendem nove velas de cera branca em honra dos nove coros de anjos.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

UM CONVITE: FESTA DE CRISTO REI EM JOÃO MONLEVADE - MG

Um convite! 

Salve Maria!

Convidamos a todos os irmãos a juntarem-se conosco em orações pelo Brasil! Que Cristo Reine na sociedade brasileira!

Viva Cristo Rei e sua Mãe Maria Santíssima, Salve!



Laise Esteves Silva Pires

Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

A mãe que rejeitou o presente de Deus

A mãe que rejeitou o presente de Deus



Gregorio Vivanco Lopes 
 
Numa cidade do Brasil, Deus misericordioso favoreceu uma mulher, Jaína, e seu esposo, para que deles nascesse uma criança especialmente dotada. Passado, porém, o primeiro mês após a concepção, Satanás começou a desconfiar que aquela criança pudesse ser um futuro inimigo seu, difícil de vencer.

O demônio — homicida desde o princípio (Jo, 8, 44) — não duvidou em soprar no ouvido de Jaína:

–– É melhor para você abortar. Afinal, você já tem outros filhos, e mais um constituirá um peso insuportável. Você não poderá dedicar-se a seu trabalho, gozar seus prazeres, tomar suas liberdades, se esse importuno vier a conhecer a luz do dia. Há um direito da mulher a seu próprio corpo, e ninguém tem nada a ver com isso.

Santo Antônio Maria Claret

23 de outubro 

Santo Antônio Maria Claret

 Bispo e Confessor

clique para mais imagens
Antônio Maria Claret, nascido Antoni María Claret i Clará (Sallent, Catalunha, 23 de dezembro de 1807 — Fontfroide, Narbona, 24 de outubro de 1870), foi um sacerdote espanhol, Arcebispo de Cuba, fundador dos ordem dos Padres Claretianos, também conhecida como "Congregação dos Filhos do Imaculado Coração de Maria" (Cordis Mariae Filius -C.M.F.-) em 1849.  

Vida

Chegou a ser um excelente trabalhador de tear, que aprendeu a usar na fábrica de seu pai e posteriormente em Barcelona.

Um dia quando assistia à Missa escutou as palavras do Evangelho: "De que aproveita ao homem ganhar todo o mundo, se finalmente perde a sua alma?", o que lhe causou uma profunda impressão (Autobiografia, 68). Diante desta impressão, busca conselho com o Padre Pablo Amigó, da Congregação do Oratório de São Filipe Neri. A princípio queria ser cartuxo, mas por diferentes sinais decide não ingressar nesta ordem religiosa.

Ordenou-se sacerdote em 1835, em Solsona. Em 1850, foi sagrado Arcebispo de Cuba. Ali criou diversas instituições para apoiar o desenvolvimento humano, principalmente dos mais pobres. Contribuiu para o desenvolvimento agrícola da Ilha. Por causa de seu apostolado, sofre um atentado e refere haver sentido um grande gozo ter tido a oportunidade de derramar o próprio sangue por praticar o que Cristo pregava (Autobiografia, 577).

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Padre Pio: para que vivemos?




+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

PROCISSÃO 12 DE OUTUBRO MONLEVADE - AGRADECIMENTOS

Salve Maria!

A Virgem Santíssima foi honrada, no dia 12 de outubro, com procissão e ato de desagravo em praça pública na cidade João Monlevade-MG. Esteve presentes, além da Missão local, Sagrados Corações, a Missão de Ipatinga (Cristo Rei) e os fiéis de Vitória (Capela Nossa Senhora das Alegrias). Agradecemos a Nosso Senhor por ter providenciado tudo a favor de Sua Igreja!

Agradecemos aos nossos irmãos que, com imensa solicitude e caridade, viajaram de suas cidades, vindo juntar-se a nós em orações. Foi uma imensa alegria tê-los conosco. Nesses tempos de crise da Fé, encontrarmos irmãos que buscam viver o Catolicismo conforme o depósito de fé confiado a Igreja, é revigorante.

Que Deus os abençoe, e a Virgem Santíssima os guardem!

Que a piíssima Virgem abençoe nosso diretor espiritual em sua Missão no México!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Santa Ursula e suas companheiras, Mártires

21 de outubro 

Santa Ursula e suas companheiras

Mártires


clique para ver mais imagens
Uma "Passio" do século X narra a história de uma jovem de excepcional beleza, Úrsula, filha de um soberano bretão - Dionotus - que se havia consagrado secretamente a Deus, mas foi pedida em casamento pelo príncipe pagão Ereo. A recusa dela provocaria uma guerra e também por isso, aconselhada por um anjo, em uma visão que teve em sonho, pedi para esperar por três anos uma resposta, para melhor compreender a vontade do Senhor e na esperança que o prometido esposo se convertesse ao Cristianismo e mudasse de ideia. Vencido o prazo, ainda exortada por um mensageiro divino, Úrsula tomou consigo onze mil companheiras e enfrentou a viagem de navio. Algumas versões dizem que o noivo estava com elas. A comitiva atravessou o mar da Inglaterra até o continente, em uma frota de onze navios, depois, por causa de uma tempestade, acabou subindo pelo Rio Reno até Colônia (Alemanha) e sucessivamente Basileia (Suíça), de onde seguiram a pé em uma devota e multicolorida procissão até Roma. 

Ainda segundo essa "Passio", em Roma, Úrsula e suas companheiras foram acolhidas pelo Papa "Siríaco", um personagem ainda não individualizado. O noivo, que nesse meio termo havia se convertido, também foi a Roma. Um ano depois, voltando à pátria, passaram novamente por Colônia, que, nesse meio termo, havia sido tomada por Átila, o rei dos Hunos. Aqui as onze mil virgens, exortadas por Úrsula, foram imediatamente trucidadas pela fúria dos bárbaros, em um só dia, enquanto o famigerado rei, encantado com a beleza de Úrsula, a poupou para casar-se com ela em troca de sua vida. Úrsula recusou e Atila mandou matá-la com flechas. Com ela, segundo uma versão tardia, teria perecido também o Papa Siríaco, que a teria acompanhado em sua viagem de volta à Inglaterra.

11 de outubro: Santo Hilarião, Abade

21 de outubro 

Santo Hilarião

Abade 

clique para ver mais
Santo Hilarião de Gaza (Tabata, 291 – Pafo, 371) foi um monge de origens orientais que viveu uma vida de eremita.

Estudou em Alexandria, onde se converteu ao Cristianismo e foi batizado. Desejando dedicar-se à vida de ascese, encontrou Santo Antão Abade e voltou à Palestina onde , depois de saber da morte dos pais, doou todos os seus bens aos pobres. Depois de introduzir o ascetismo nas regiões próximas a Gaza, dedicou-se à vida monástica viajando por todo o Império Romano. Em 330, embarcou para a Sicília, onde viveu como eremita em uma gruta de Cava Ispica.

Quase no fim de sua vida, os milagres lhe deram fama de cura e viajou, a partir de 365, ininterruptamente por todas a Itália, a Croácia e Chipre, seguido por multidões de enfermos. Morreu em Pafo em 371.


Seu culto resta circunscrito a pouco locais. Todavia, teve ampla popularidade durante a Idade Média, a ponto de vários mosteiro atribuírem ao santo sua fundação.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

São João Câncio

20 de outubro 

São João Câncio 

Confessor 


clique para ver mais imagens
João Câncio (ou Giovanni Canzio, ou de Kęty), (Kęty, 1397 – Cracovia, 24/12/1473), foi um sacerdote e teólogo polonês.  

Professor de teologia em Cracovia, deixou o ensino por alguns anos e se dedicou ao serviço pastoral na paróquia de Olkusz, distinguindo-se pelo espírito de oração e penitência, e por sua caridade com os pobres.

Em 1440, abandonou o ministério paroquial para retomar a docência (contribuiu para a educação do príncipe Casimiro) na Universidade de Cracovia, onde recuperou o posto de professor e durante muitos anos deu aulas sobre as Sagradas Escrituras ou explicação da Santa Bíblia. Sua fama chegou a ser extremamente grande. Nas discussões repetia o que dizia São Agostinho: "Combatemos o pecado mas amamos o pecador. Atacamos o engano, mas não queremos violência contra ninguém, a violência sempre faz mal, em troca a paciência e a bondade abrem as portas dos corações"".

Quando pregava sobre o pecado chorava ao recordar a ingratidão dos pecadores para Deus, e as pessoas ao vê-lo chorar se comoviam e mudavam de conduta.

domingo, 19 de outubro de 2014

S. Pedro de Alcântara, Padroeiro do Brasil

19 de outubro 

S. Pedro de Alcântara

Confessor e Padroeiro do Brasil

São Pedro de Alcântara foi confirmado Padroeiro do Brasil, por solicitação de D. Pedro I, pelo Papa Leão XII, em 31 de maio de 1826.

clique para ver mais imagens
São Pedro de Alcântara, de nome de batismo Juan de Garabito y Vilela de Sanabria (Alcântara, 1499 — Arenas de San Pedro, 18 de outubro de 1562), foi um frade franciscano espanhol que fez grandes reformas na sua ordem religiosa, a Ordem dos Capuchinhos, no Reino de Portugal


Nasceu em 1499, em Alcântara, Estremadura, Espanha. Filho de Pedro Garavita, governador, e sua era mãe membro de uma família nobre de Sanabia. Estudou gramática e filosofia em Alcântara, e leis canônicas e civis na Universidade de Salamanca. Franciscano com 16 anos em Manjarez, fundou o convento em Babajoz com 20 anos e serviu como seu superior. Ordenado em 1524, com 25 anos, ele era notável pregador. Um recluso por natureza, ele vivia no convento de Santo Onóphrius, um local remoto onde ele poderia estudar e rezar entre as missões. Não obstante, foi indicado Provincial Franciscano para o Monastério de São Gabriel em Estremadura, em 1538. Trabalhou em Lisboa em 1541, ajudando à reforma da Ordem. Em 1555, ele iniciou as reformas "Alcântarinas", hoje conhecidas como a "Estrita Observância". Amigo e confessor de Santa Tereza d'Ávila, ele a ajudou em 1559 durante o trabalho de reforma da sua Ordem. Místico e escritor seus trabalhos foram usados por São Francisco de Salles.  

sábado, 18 de outubro de 2014

São Lucas, Evangelista

18 de outubro 

São Lucas, Evangelista 


clique para ver mais imagens

São Lucas, o Evangelista (do grego antigo Λουκᾶς, Loukás) é, segundo, a Tradição, o autor do Evangelho de São Lucas e dos Atos dos Apóstolos - o terceiro e quinto livros do Novo Testamento. É o santo padroeiro dos pintores, médicos e curandeiros. 

São Lucas foi um médico grego que viveu na cidade grega de Antioquia, na Síria Antiga. Chamado por São Paulo de "O Médico Amado" (Colossenses 4:14), foi um dos cristãos do primeiro século que conviveu pessoalmente com os doze apóstolos.  

A primeira referência a São Lucas encontra-se na Epístola a Filemon, de São Paulo, no versículo 24. É mencionado também na Epístola aos Colossenses, 4:14 , bem como na Segunda Epístola a Timóteo, 4:11. A segunda menção mais antiga a São Lucas encontra-se no "Prólogo Anti-Marcionita ao Evangelho de São Lucas", um documento que já foi datado do século II, mas que recentemente é considerado como do século IV. Contudo, Helmut Koester defende que o seguinte excerto – a única parte preservada do documento original, em grego – pode ter sido escrito, realmente no século II: 

“Lucas é um sírio de Antioquia, sírio pela raça, médico de profissão. Tornou-se discípulo dos apóstolos e mais tarde seguiu a Paulo até ao seu martírio. Tendo servido o Senhor com perseverança, solteiro e sem filhos, cheio da graça do Espírito Santo, morreu com 84 anos de idade.”
Alguns manuscritos afirmam que
São Lucas morreu "em Tebas, capital da Beócia". Todas estas referências parecem indicar que São Lucas terá, de fato, seguido São Paulo durante algum tempo.

Tradições mais tardias desenvolveram-se a partir daqui. Epifânio de Salamina assegura que
São Lucas era um dos Setenta Discípulos (Panarion 51.11), e São João Crisóstomo refere que o "irmão" referido por São Paulo na Segunda Epístola aos Coríntios, 8:18 ou é São Lucas ou é São Barnabé. J. Wenham assevera que São Lucas era "um dos Setenta, um dos discípulos de Emaús, parente de Paulo e de Lúcio de Cirene." Nem todos os acadêmicos têm tanta certeza disso quanto Wenham.

Outra tradição cristã defende que foi o primeiro iconógrafo, e que pintou a Virgem Maria,
São Pedro e São Paulo. É por isso que, mais tarde, as guildas medievais de São Lucas, na Flandres, ou a Accademia di San Luca ("Academia de São Lucas") em Roma - associações imitadas noutras cidades europeias durante o século XVI - reuniam e protegiam os pintores.  


O que diz a Bíblia sobre Lucas
  

São Lucas é mencionado somente três vezes pelo seu nome no N.T. (Cl 4.14 - 2 Tm 4.11 - Fm 24). Pouco se sabe a respeito da sua vida. Têm alguns julgado que ele foi do número dos setenta discípulos, mandados por Jesus a evangelizar (Lc 10.1) - outros pensam que foi um daqueles gregos que desejavam vê-lo (Jo 12.20) - e também considerando que São Lucas é uma abreviação de Lucanos, já têm querido identificá-lo com Lúcio de Cirene (At 13.1).

Dois dos Pais da Igreja dizem que era sírio, natural de Antioquia. Na verdade, não parece ter sido de nascimento judaico (Cl 4.11). Era médico (Cl 4.14). Ele não foi testemunha ocular dos acontecimentos que narra no Evangelho (Lc 1.2), embora isso não exclua a possibilidade de ter estado com os que seguiam a Nosso Senhor Jesus Cristo. Todavia, muito se pode inferir do emprego do pronome da primeira pessoa na linguagem dos Atos. Parece que
São Lucas se juntou a São Paulo em Trôade (At 16.10), e foi com ele até à Macedônia - depois viajou com o mesmo Apóstolo até Filipos, onde tinha relações, ficando provavelmente ali por certo tempo (At 17.1).

Uns sete anos mais tarde, quando
São Paulo, dirigindo-se a Jerusalém, visitou Filipos, São Lucas juntou-se novamente com ele (At 20.5). Se São Lucas era aquele ‘irmão’, de que se fala em 2 Co 8.18, o intervalo devia ter sido preenchido com o ativo ministério. São Lucas acompanhou São Paulo a Jerusalém (At 21.18) e com ele fez viagem para Roma (At 21.1). E nesta cidade esteve com o Apóstolo durante a sua primeira prisão (Cl 4.14 - Fm 24) - e achava-se aí também durante o segundo encarceramento, precisamente pouco antes da morte de São Paulo (2 Tm 4.11). Uma tradição cristã o apresenta como pregando o Evangelho no sul da Europa, encontrando na Grécia a morte de mártir. (*veja Lucas - o Evangelho segundo.) 


Fontes: 
  1. http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Lucas 
  2. http://www.igrejaortodoxa.com/vidasaolucas.php 
  3. http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?idmat=FC08E5D6-3048-560B-1C2ABF52FFF333F7&mes=Outubro2006.

  
Ajude o apostolado do Rev. Pe. Cardozo, adquirindo alguns dos itens do Edições Cristo Rei, encomendando Missas (consulte a espórtula diretamente com o rev. Padre), ou fazendo uma doação aqui:

+
Informe aqui o seu e-mail para receber as publicações do PALE IDEAS: Delivered by FeedBurner

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Sta. Margarida Maria Alacoque


17 DE OUTUBRO

SANTA MARGARIDA MARIA ALACOQUE

1647-1690

clique para ver mais imagens
Marguerite-Marie Alacoque, Santa Margarida Maria Alacoque, nasceu na aldeia de Lautecour, na Borgonha, no dia 22 de Julho de 1647, no seio duma família religiosa, honesta, de boa posição, reputação e de seriedade. Seu pai, Claude Alacoque, era notário real. Sua mãe, Philiberte Lamyn era filha também dum notário do rei, François Lamyn.

Horror ao pecado

Os seus pais perceberam logo o horror que Margarida Maria tinha pelo pecado quando ainda era pequena de três anos. Bastava lembrar-lhe que um ato qualquer ofendia a Deus para que a menina se afastasse horrorizada. Nas suas memórias a Santa afirma que Deus lhe fez ver “o grande horror do pecado, o que me horrorizou tanto que a mais mínima mancha resultava para mim num tormento insuportável.” (1)

A essa aversão ao pecado acrescentou-se logo um agrado muito grande pela oração e pela penitência, juntamente com uma tendência enorme para ajudar os pobres. “Deus, escreve a Santa, deu-me um amor tão terno pelos pobres que eu teria desejado só ter contato com eles. Ele incutiu-me uma compaixão tão grande pelas suas misérias que, se estivesse em meu poder, abandonaria tudo por eles. Quando tinha dinheiro, dava-o aos pobres para os estimular a aproximarem-se de mim e então ensinava-lhes o Catecismo e a rezar.” (2)

ABORTO - O GRITO SILENCIOSO

CONHEÇA O NOVO SITE DA EDITORA